Temporario



Jogos | Séries | Filmes | RPG e Tabuleiro | Animes | Creepypastas | Quadrinhos | Livros | Mapa do Blog | Sobre o Blog | Contato |

sábado, 14 de maio de 2016

O Símbolo Amarelo - Um livro de terror muito inspirador

O gênero terror é completamente batido, infelizmente é um estilo que é tão usado de forma esculachada por quem cria conteúdo como filmes, livros, séries e etc, que acaba sendo visto por muitos como puro besteirol. Em boa parte de obras e terror simplesmente não há profundidade, é algo que você sente facilmente que foi feito sem um pingo de amor. No entanto sempre existem obras que conseguem se destacar e essa aqui não é apenas intenso, mas também inspirador o suficiente para ser citado em inúmeras obras do gênero.


A primeira vez que eu realmente notei a presença do Rei de Amarelo foi na série True Detective, o que é curioso, porque depois comecei a notar que é o tipo de coisa que eu já tinha visto em toda parte porém era como um ponto cego, o que sei que aconteceu também com muita gente também. Então quando você conhece a obra, acaba se identificando com os próprios personagens. Depois inclusive cheguei a traduzir uma das influências pra essa obra que é Um habitante de Carcosa.

Mas bom, O Rei de Amarelo foi lançado em 1895 pelo escritor Robert W. Chambers, contendo dez contos. Há indícios de que a obra original continha apenas quatro contos, que são os que estão interligados e que tem a ver com O rei de amarelo. Os outros seis parecem ser meio aleatórios, então tudo indica que eram contos que o autor tinha em estoque e foram adicionados de última hora com pequenas modificações para que não fosse um livro pequeno demais.

A história é sobre um livro que contém uma peça de teatro chamada "O Rei de Amarelo", no entanto ele foi rapidamente recolhido quando suas cópias começaram a causar loucura em todos aqueles que liam. Mesmo assim cópias continuaram rondando por aí, algumas até mesmo aparecendo de forma misteriosa na casa de pessoas que não as tinham comprado.

Como falei, o livro é composto por contos, sendo assim a história da peça é apenas um plano de fundo que é citado nas histórias. Ou seja, elas tem um tema e de repente em algum ponto é citado sobre o livro e assim você vai ligando os pontos e formando aquele universo que é criado de uma forma bem discreta. Existem quatro elementos básicos que aparecem nos contos e os ligam.

O primeiro é a peça "O Rei de Amarelo", que não é um livro desconhecido, é mais pra uma lenda urbana. Alguns acreditam no que aconteceu, outros não, alguns tem muita vontade de ler, outros realmente temem seu conteúdo. No começo de cada conto você vê um trecho do conteúdo da peça, como a fala entre personagens ou uma canção de algum dos atos. É notável o poder do livro, pois uma vez que os olhos dos personagens encontram suas páginas, acabou, se torna irresistível ler inteiro.

O segundo elemento presente nos contos é o Símbolo Amarelo, que pode aparecer em formatos variados como um broche ou um desenho em um documento. Os infelizes que tem o azar de ver o símbolo amarelo estão condenados. É como se fosse uma distorção da realidade que surge em algum lugar e se alguém está passando por ali no momento é como se estivesse marcado.

O terceiro elemento é a cidade de Carcosa, que como falei não foi criado por Robert W. Chambers, mas sim pelo escritor Ambrose Bierce. É uma cidade misteriosa que aparentemente está em outra dimensão, e que deixa todos paranoicos para chegar a aquele lugar, não se tem muitas informações sobre ela.

E o quarto elemento é o próprio Rei de Amarelo, uma entidade que usa um manto amarelo, uma coroa muito peculiar e uma máscara completamente branca. De repente ele surge em frente aos personagens, não se sabe o motivo, o que ele quer ou se algo em especial o atrai. De repente ele simplesmente surge.

Uma coisa curiosa sobre os contos é que eles se passam no futuro da época, apresentando o ano de 1920 e é curioso que Chambers cita que o país acabou de sair de uma guerra com a Alemanha. Isso coincide um bocado com a primeira guerra mundial. Em 1927 o autor H.P. Lovecraft leu o livro e se apaixonou, pegando emprestado diversos conceitos e inserindo em suas próprias histórias. O próprio Rei de Amarelo se tornou um dos deuses do panteão dos Mitos de Cthulhu.

E no começo de 2014 a editora Arte & Letra pegou os quatro primeiro contos, que são os que compõem a peça maldita e os uniu em um livro, além disso adicionou um bônus no final, o conto Um habitante de Carcosa. Tudo foi lançado em um formato luxuoso em capa dura e uma capa que me deixou bem apaixonado. O título ficou "O Símbolo Amarelo e outros contos", não entendi a mudança, talvez porque a o Rei de Amarelo tenha 10 contos e assim pra deixarem claro que não é aquela versão, decidiram colocar esse título.

Uma coisa que me foi uma bela de uma surpresa é que nos sites de venda a impressão que tive era que esse livro era grandão. Apesar de tudo é um livro bem pequeno, to tamanho da mão, isso com esse formato capa dura deixou ele tão charmoso! Outra coisa é que cada conto começa com uma página em vermelho, e as próprias letras do livro são em um vermelho escuro que dá um charme imenso.

Enfim, livrinho fantástico, formato muito bonitinho mesmo e que me peguei diversas vezes segurando encantando. Perfeito para ficar na estante, aquele tipo que não é apenas mais um livro, é um enfeite que chama a atenção. Você pode conferir o livro a venda aqui.

Nenhum comentário: