Temporario



Jogos | Séries | Filmes | RPG e Tabuleiro | Animes | Creepypastas | Quadrinhos | Livros | Mapa do Blog | Sobre o Blog | Contato |

quinta-feira, 24 de março de 2016

Royal Heroes - Um jogo bastante simples porém viciante

Esse é um daqueles jogos que pega uma fórmula e a deixa da forma mais simples possível, sem complicação, indo direto ao ponto com poucos textos e muitas imagens. No caso é algo do gênero estratégia e pode facilmente encantar muita gente especialmente os que jogam em um smartphone, até porque hoje em dia qualquer smartphone de menos de R$ 250 roda fácil algo assim, por outro lado pode parecer simples demais para o pessoal do PC.

A história usada também é bastante minimalista e usa talvez a versão mais clichê de sagas medievais, o reino que era bom e lindo mas um dia magia negra chegou ao lugar com um monte de criaturas que dominaram tudo e infernizaram o lugar. Agora alguém terá que fazer a limpa e adivinha quem é esse alguém?


Antes de tudo que fique claro que esse jogo não é minimalista do estilo movimentado como o jogo Kingdom, ele é mais para um estilo pausado e em geral se passa em telas, como o fantástico Pre-Civilization Marble Age que causa uma sensação mais voltada para a administração da coisa do que a ação em si.

Ou seja, o que temos aqui é um jogo do gênero CMS, mas ao invés de você administrar construções ou um negócio, você administra tropas. Um por um de seus guerreiros precisa de investimento e treinamento, equipamento adequado e assim vai. Isso vai fazendo com que cada vez mais a sensação de poder aumente.

A primeira tela que você tem no jogo é o mapa do mundo, onde é possível ter acesso a todas as outras áreas principais como organização da posição das tropas, área para contratar mais soldados, área de aperfeiçoar e equipar soldados, forja para criar novos equipamentos e outros lugares. Nem todas vem destravadas já no início.

Na tela de contratar personagens você pode pagar para achar heróis mais poderosos, o pagamento é feito com cálices que são conseguidos durante missões, no entanto se tiverem personagens, eles são descartados e a próxima leva pode ter alguns piores. Mas claro, você pode resolver contratar todo mundo, o problema é que custa dinheiro e quanto mais habilidoso, mais caro custa o personagem.

Na tela de organização de tropas você pode posicionar os personagens da melhor maneira, dependendo da batalha pode ser melhor colocar alguns em determinado ponto. Por exemplo se tiver um baita troll vindo pelo meio em uma batalha, é bom colocar um herói forte ali. Assim como certas coisas mais básicas, por exemplo arqueiros ficarem atrás porque são mais fracos.

Já em aperfeiçoamento  de personagem você pode ver um por um de seus guerreiros e fazer diversas coisas como usar uma poção de XP nele, equipar armaduras, armas e acessórios, comprar novas habilidades e aperfeiçoar elementos como o dano que ele dá. Claro que tudo custa dinheiro, mas assim você é livre pra fazer do jeito que quiser, um personagem bem normalzinho por exemplo pode se tornar um verdadeiro herói e causar um estrago se você comprar muita coisa pra ele.

Também é possível forjar itens no jogo, como espadas e armaduras, além de poder reciclar, você vai equipando cada um dos seus heróis e o tornando bem mais eficientes graças a esse elemento. Existem também áreas especiais para mágica e um tipo de enciclopédia de monstros e heróis.

Enfim, apesar de Royal Heroes ter uma baita de uma simplicidade e ser compreensivo o jogo parecer meio vazio para PC, é realmente algo muito divertido. Vale a pena dar uma conferida no site da G2A, pois lá eles costumam vender keys da steam por um valor bem mais barato que na própria steam e ainda aceitam boleto bancário. Dê uma conferida aqui.


Nenhum comentário: