Temporario



Jogos | Séries | Filmes | RPG e Tabuleiro | Animes | Creepypastas | Quadrinhos | Livros | Mapa do Blog | Sobre o Blog | Contato |

quarta-feira, 2 de setembro de 2015

Zombi - Um sombrio simulador de apocalipse zumbi

Para quem não sabe, Zombi U foi inicialmente lançado como um jogo exclusivo para Nintendo Wii U, tendo como grande atração a sua mecânica que usava como elemento principal o controle daquele console, fazendo o jogador ter que constantemente usá-lo como se fosse um acessório real do personagem, e tornando assim as coisas incríveis. Tanto pelo nome quanto pelo controle feito especialmente para o Wii U, o jogo parecia ser impossível para outras plataformas, porém com o fim do contrato de exclusividade a Ubisoft decidiu lançá-lo para Xbox One, Playstation 4 e PC, algo que chamou muito a atenção e despertou a curiosidade.


A história se passa durante o apocalipse zumbi em Londres, para quem assistiu os filmes da incrível franquia Extermínio certamente vai se sentir em casa ao poder controlar o personagem por esse ambiente. Mas a trama não tem foco no seu personagem e sim em algo misterioso envolvendo um homem que se autointitula "O Estrategista" e diz que já sabia que esse acontecimento ocorreria, portanto estava preparado.

Então aqui você é só mais um que acabou parando no meio de todo esse caos e enquanto fugia, acabou ouvindo uma voz saindo de um fone em um prédio. E assim passa a ser guiado por essa voz que te filma constantemente e dá dicas sobre como sobreviver, o que você tem que fazer, além de vários outros detalhes.

Tenho que assumir que a primeira vez que vi Zombi U, olhei bem torto, achei esse nome horroroso e forçado demais, porém achei sim legais os controles só que como eu não pensava em ter um Wii U, não foi algo que fui muito atrás. E assim veio a grande surpresa com o lançamento dele para outras plataformas, se tornando assim apenas "Zombi", o que deu uma certa sensação de que o nome tinha sido cortado ao meio.

A jogabilidade é realmente bem legal, um jogo charmoso. É verdade que não é algo assim que se pode chamar de um jogo inovador sobre mortos vivos (não em um console que não seja o Wii U), mas ainda assim é aquele tipo de jogo gostoso de se aproveitar, passar o tempo. Uma atmosfera pesada, porém não algo de fazer você cuspir o coração pra fora, como o medonho Monstrum, algo mais pra um jogo que você se sente inquieto, porém capaz.

Esse é um daqueles títulos que faz uma boa simulação da vida de sobrevivente como o imersivo Project Zomboid e o gigantesco State of Decay. No entanto enquanto o primeiro jogo citado está mais para jogo em cidade pequena e o segundo tem mais um clima de sobrevivência na área rural, esse aqui fica voltado para um clima urbano e noturno, existe uma tensão a mais na coisa.

Você vive em um abrigo onde tem sua cama e coisas guardadas, além de eletricidade que é gerada graças a preparação do Estrategista, no entanto ainda é preciso conseguir suprimentos e eles estão espalhados pela cidade, para isso você precisa constantemente sair e procurar por coisas, vasculhar áreas e ir além cada vez mais, abrir caminhos e se preparar para o pior.

Você conta com um aparelho especial que te permite fazer uma série de coisas como escanear a área em busca de elementos coisas interessantes que podem ser marcadas, hackear determinados aparelhos eletrônicos e usar um radar que é capaz de detectar algumas coisas. Esse aparelho é uma adaptação do controle do Wii U e se você sabe da existência dele ou até mesmo jogou a versão original do jogo, acaba sendo inevitável não fazer comparações e pensar em como deve ser incrível a liberdade.

O negócio é que existem tantas coisas oferecidas por esse tablet e imaginar que você realmente aponta ele para os lugares em busca de coisas e constantemente o consulta, acaba tornando uma experiência imersiva que é retirada em outros consoles. Toda aquela sensação de você realmente estar com aquilo na mão e poder olhar pra ele e consultá-lo não está aqui.

O Estrategista é outro elemento interessante do jogo, como o cara se preparou para os acontecimentos, você vai descobrindo aos poucos quem ele é e o motivo de saber que aconteceria, além de que ele te observa o tempo todo, te dá informações e guia, é fantástica essa sensação, as coisas que ele pode fazer e como podem te surpreender. Li que no Wii U a voz dele não sai da TV, mas sim do controle, então imaginem que fantástico?

Um outro detalhe interessante e exatamente o que deixa a sensação de ser um sobrevivente realmente como um simulador é o fato de que se o seu personagem morrer, acabou. Um novo personagem é gerado e você precisa começar com ele, e pode inclusive achar o corpo do seu personagem antigo transformado em zumbi, e se matá-lo é possível pegar suas coisas de volta.

Graficamente o jogo é legal, mas não é exatamente o que se pode dizer que é uma maravilha. O gráfico é básico voltado para o lado bonito. Daquele tipo que você não para pra admirar as coisas nem nada, mas também não se incomoda, algo neutro, o típico "bonitinho" que para a maioria é o suficiente, mas que para uns poucos que exigem mais da coisa pode acabar sendo um ponto fraco do jogo.

Enfim, Zombi é um jogo bem legal para se passar o tempo, ele é divertido, tem seus elementos e seus momentos. Mas se forem jogar e tiverem a oportunidade de jogar a versão do Wii U, recomendo demais, a experiência pode dar um salto de um jogo legal para um jogo espetacular! Mas mesmo assim pode gerar muita diversão em qualquer versão, então fica essa dica, confira se ele roda em seu PC. Vale a pena dar uma conferida no site da G2A, pois lá eles costumam vender keys da steam por um valor bem mais barato que na própria steam e ainda aceitam boleto bancário. Dê uma conferida aqui.


Nenhum comentário: