Temporario



Jogos | Séries | Filmes | RPG e Tabuleiro | Animes | Creepypastas | Quadrinhos | Livros | Mapa do Blog | Sobre o Blog | Contato |

domingo, 19 de julho de 2015

Aleister Crowley - O homem mais macabro do mundo

Achar um título mais ou menos ideal para essa matéria foi complicado, algumas pessoas tem um pensamento bem fixo sobre Aleister Crowley. É fácil achar títulos como "O homem mais Maligno do mundo", assim como "Um gênio incompreendido". Ou seja, o cara é amado e odiado... No entanto acho que quase todos que conhecem concordam que ele tem um certo toque sombrio, então acho que macabro é uma boa classificação (Ou não hahaha).

Quando penso em Crowley, é como ver um personagem de H.P. Lovecraft vivendo na vida real, e chega a ser engraçado pensar que os dois viveram na mesma época e poderiam ter se conhecido. Imagino o quanto Lovecraft não teria achado inspirador uma fonte tão pesada de informações sobre magia real e com todo aquele negócio de ligação ao Egito, acho que sairiam obras incríveis.

Para quem não tem ideia de quem seja Crowley, ele é considerado o maior Mago do "mundo moderno" visto da maneira fofa da coisa, mas para outros é o maior Satanista mesmo. Sendo assim, normalmente pessoas ligadas ao lado místico da coisa, o acham uma pessoa admirável e bem fora de seu tempo, enquanto cristãos o odeiam com todas as forças.

Ele nasceu em 1875 na Inglaterra e seu nome era Edward Alexander Crowley, mas durante a universidade acabou mudando, pois não gostava de como as pessoas o chamavam de "Alick" e ao pesquisar, viu uma fórmula dos nomes mais prováveis a se tornarem famosos, acabou por escolher Aleister, que era a forma gaélica do nome "Alexander".

Os pais dele eram de uma daquelas subdivisões do cristianismo bem reservada, chamada  "Irmãos de Plymouth", e ele cresceu muito bem informado sobre isso, pois ainda criança era obrigado a ler um capítulo da bíblia por dia. O pai era dono de uma cervejaria e podre de rico, dando uma vida luxuosa.

Na universidade ele começou um curso de filosofia, mas não gostou tanto e pediu permissão para mudar para Literatura Inglesa. Até então ele sempre foi muito crítico, mas foi nesse ponto da sua vida, em que conheceu o outro lado cristão e começou a ver de uma maneira bem severa a coisa, achando super hipócrita e começando a criticar as atitudes dos cristãos.

Com 21 anos é que ele começou a se interessar pra valer por coisas envolvendo ocultismo e misticismo, passando a ler muitos livros de alquimia, místicos e qualquer tipo de magia. Com uma doença que teve no ano seguinte, ele passou a refletir de forma intensa sobre a vida e como é algo pequeno e frágil. Isso o incentivou a esquecer uma carreira diplomática e se dedicar apenas ao que amava, ficando assim com seus estudos ao ocultismo e abandonando a faculdade.

É preciso lembrar que ele era podre de rico, herdeiro de uma baita de uma herança, então no fim das contas não precisava se preocupar mesmo com isso. Crowley também conheceu um homem chamado Herbert, e passaram a ter um relacionamento, tudo indica que a experiência tão próxima à morte foi o que realmente o influenciou a viver a vida da forma mais intensa. Portanto mesmo sendo 1897, fez algo tão ousado, como se relacionar com um homem.

Mas a relação durou pouco, pois o cara era bem cético, enquanto ele era muito ligado ao misticismo, a declaração de Crowley sobre o assunto foi "Eu disse pra ele francamente que eu tinha devotado minha vida a religião e que ele não se enquadrava no esquema. Agora eu vejo como eu fui imbecil, como terrivelmente errado e fraco é rejeitar qualquer parte da personalidade de uma pessoa.".

Essa frase inclusive o define muito, pois uma coisa que ele defendia era viver como você é, ser como você é. Sendo assim ele não ligava de chocar a sociedade e se metia em polêmicas constantemente. Portanto o fato dele ter rejeitado alguém por ser como era, acabava indo contra seus futuros princípios, por isso que ele diz que foi um imbecil. Apesar de tudo Aleister não era homossexual, mas sim bissexual, já que teve várias relacionamentos com mulheres também.

Ele foi um membro destaque da Ordem Hermética da Aurora Dourada, e muitos o acusam de ter sido o responsável pela destruição da ordem, por ser muito mal visto pela sociedade. A mídia descia o cacete no cara, e ele estava sempre no meio de pessoas influentes como políticos. Dizem que ele incentivou muita gente a entrar em sociedades secretas e assim se ocultar e mexer com forças de outra dimensão, e esse é mais um detalhe que deixa muita gente irritada, já que ninguém quer que gente influente escondendo segredos e podendo estar com algum plano maléfico de domínio global.

Crowley naturalmente era um usuário da magia em sua forma mais pura, ou seja, ele fazia sim algumas poções e outras coisinhas simples. Mas fazia magia negra, mexia com coisas pesadas, ia atrás dos mais variados tipos de rituais como invocação e maldições, algumas coisas macabras que atualmente é equivalente a conteúdo da Deep Web.

Sendo assim, toda sua vida foi baseada em magias variadas, muitos famosos o conheceram e o consultaram. Ele viajou pelo mundo todo, conheceu de tudo e fazia críticas pesadas quanto a cristãos. Começou a ironizar a igreja e sua posição social fazia a mídia ver tudo, assim se declarou como "A besta", o que deixou as pessoas chocadas.

Levando em consideração as magias pesadas que fazia constantemente e não tinha a mínima vergonha de falar sobre o assunto e expor seus pensamentos, e um apelido tão forte, as pessoas começaram a pensar que ele era o próprio Anticristo.

Ele fazia experimentos pesados com magia, tentava coisas novas e assim usava algumas ervas para fazer testes, o que fez com que a mídia o taxasse de viciado em drogas. Devido aos rituais bizarríssimos que ele fazia, é claro que para os que acreditam, ele invocou tudo quanto é entidade. Algumas pessoas tem até medo de olhar suas fotos ou ouvir gravações com sua voz, temem serem amaldiçoados, criarem alguma ligação com as entidades macabras que o cercavam.

Mesmo após a morte de Crowley em 1945, ele continuou a chamar a atenção, tem vários livros que escreveu e pessoas interessadas em magia correm para buscar sabedoria. Ao mesmo tempo que alguns cristãos também se interessam bastante, para entender o que se passava na cabeça desse satanista.

Crowley foi também completamente influente na cultura pop e underground, começando pela música dos anos 60 e 70 que foi extremamente influenciada com roqueiros que o valorizavam e citavam. Os Beatles mesmo foram os primeiros a fazer isso, colocando-o na capa do disco Sgt. Pepper's Lonely Hearts Club Band junto a um monte de personalidades importantes. Tente achar ele na imagem aí em baixo:

E a mensagem diabólica em Stairway to Heaven do Led Zeppelin em parte o "culpado" foi o Crowley. Mas ele foi bem além da influência na música, o Crowley do seriado Supernatural também é uma homenagem. No filme A herança de Valdemar, ele aparece como um dos personagens, inclusive é curioso porque me fez pensar de imediato exatamente naquilo que falei sobre Lovecraft no início da matéria, pois esse filme é completamente baseado na obra do autor. Uma coisa engraçada é que o incrível conto O cão de Caça me lembra demaaais Crowley, será que aconteceu alguma influência? Será que Lovecraft ouviu falar dele? Porque dá pra substituir fácil o protagonista pelo Crowley.

Então é isso aí, esse é Aleister Crowley, a matéria é só um breve resumo da vida do cara, mas tem uma quantidade imensa de detalhes da vida do cara que podem ser pesquisados, alguns o chamam meramente de um rico excêntrico, enquanto outros afirmam que é um verdadeiro exemplo de satanista que deve ser odiado por ter mexido com forças hediondas e influenciado a tantos, e claro, há os que tem um enorme respeito e acham que é uma pessoa bem a frente de sua época. E você, já conhecia Crowley? Já viu alguma referência em algum lugar?

Quer aumentar seus conhecimentos sobre espíritos? O autor Allan Kardec explica detalhadamente isso em "O livro dos espíritos" de 1857 que foi lançado em diversas versões através dos séculos, a obra pode dar arrepios em muita gente com seu conteúdo, mas também tem muito conhecimento interessante. Clique aqui para conferir as diversas versões em preços variados (Se mandar organizar por preço tem um de 3 reais kkk).  

14 comentários:

Mr. Reborn disse...

Cadê o Crowley na imagem dos Beatles?

alex5432 disse...

Cadê o Crowley na imagem dos Beatles?²

Bruno Arce disse...

Ganha um biscoito pra quem achar o Crowley na capa dos Beatles

Miya Seat Lee disse...

Acho Crowley um party boy que resolveu se tornar uma celebridade, o que conseguiu com um êxito admirável...
Não era tão hábil com a magia quanto era em se tornar notícia e fazer-se famoso, dessa forma, conseguiu inclusive corromper e alterar as ideias originais da O.T.O.
Há várias outras "personalidades" místicas que não aparecem tanto por aí muito mais competentes que o Crowley.
Inclusive, Sky, vc poderia fazer um post sobre Blavatsky e a Sociedade Teosófica...

Miya Seat Lee disse...

Ah! E Crowley é a segunda personalidade na primeira fileira superior, da direita para a esquerda. É o careca.
Kd meu biscoito?

Skywalkerpg disse...

Sem biscoito pra você! Ò___Ò!

Silas disse...

Sky, Raul Seixas também foi muito influenciado por Crowley, o que fica claro na música Sociedade Alternativa.

Flavio Bueno disse...

Faltou a música do ozzy, Mr. Crowley!

Pablo Henricky disse...

Cara vivia numa sociedade altamente conservadora e já era bissexual, usuário de drogas, satanista, racista, pedófilo e por aí vai, tio Crowley era muito vida loka, para a época e inclusive para os padrões de hoje tbm, o Inri cristo não consegue nem chagar aos pés de cara.

Matt Kist disse...

Legal você falar de Crowley, Sky. Eu já pesquisei muito sobre ele, me interesso pela obra dele e pelas obras que surgiram a partir de sua obra. Quando criança sempre gostei muito de Raul Seixas, e depois quando adolescente me viciei nos livros de Paulo Coelho, foi um choque para o Matt adolescente quando descobri que Paulo Coelho é quem escreveu a maioria das músicas com Raul Seixas, e que na época dessa parceria, ambos estavam envolvidos em uma sociedade macabra que seguia os ensinamentos de Crowley.
Pois bem, esse ano eu tive uma "oportunidade" que foi participar de uma sessão maçônica (à convite). Calma, não sou Maçom, nem Demolay, e pelo que pude vivenciar lá dentro, com certeza não tenho interesse em ser. A maçonaria pareceu para mim uma ordem defasada, repleta de idosos querendo se tornarem pessoas "melhores" e melhorar a sociedade, mas a maioria deles nunca nem usou a internet, e têm postura e cabeça de pessoas que não parecem perceber que a sociedade mudou muito em poucos anos (mas bem, isso pode ser só um preconceito meu).
O que quero falar dessa minha experiência é que o templo maçom é completamente simbólico, e as figuras de linguagens que eles usam também. Não vou descrever as simbologias todas que pude perceber dentro do templo de Salomão, pois acho que não cabe à esse comentário, mas quero descrever um pequeno detalhe, que explodiu minha mente:
No centro do templo, existe uma mesa triangular, com 3 velas acesas, e nessa mesa está aberta a Bíblia (eu perguntei, me disseram que era mesmo a Bíblia Sagrada), porém toda vez que eles faziam referência à esse livro, eles o chamavam de "O Livro da Lei". E foi aí que percebi uma das difamações que Crowley inventou, pois ele escreveu um livro o qual intitulou de "O Livro da Lei", fazendo uma clara referência difamatória à Bíblia. Interessante, não? Pois além de religioso e místico, Crowley se esforçava para ser uma pessoa difamatória. No fim concordo com a Miya, ele era um Party Boy, hehehehe, queria só aparecer.
Pois bem, aproveitando o gancho, uma outra referência difamatória que percebi nesse dia, dessa vez feita por Raul Seixas, foi a forma como os Maçons se referem à Deus. Eles os chamam de "O Grande Arquiteto do Universo" (Abreviado como "G.A.D.U."). E Raul Seixas fez uma piada com esse termo quando cantou "Carpinteiro do universo inteiro eu sou", explicando que nasceu para arrumar/consertar as cagadas de Deus.
Também existe uma outra simbologia, que inclusive padres usam (mas mesmo eu tendo uma educação Católica, não conhecia essa referência) que é o "alfa-ômega", duas letras, lado a lado que simbolizam Deus, pois alfa simboliza o ínicio(primeira letra do alfabeto), e ômega o fim(última letra do alfabeto), logo Deus seria o início e o fim (acho que tem algo escrito com "ínicio e fim" no livro do Apocalipse). Portanto quando Raul Seixas cantou "Eu sou o início, o fim E O MEIO" (dando ênfase ao "MEIO", colocando a palavra no fim da sentença) ele estava fazendo uma referência difamatória à Deus (dando uma ideia de presença ("eu estou presente") enquanto Deus não estaria).
=)
Adoro esse tema. Teria mais para contar, mas fugi um pouco do tema já. Valeu Sky.

Matheus Figueiredo disse...

Rápido Sky traga um prêmio de melhor comentário para esse jovem

Daniel Batista disse...

Matt, acho que ele não quis dizer que faz presença, mas sim dizer que é algo maior, como além de ser o inicio e o fim, ele é tudo que acontece no meio. E isso além de difamatório, também é uma ideia bem satanista, se for prestar atenção.

pierrot disse...

Conheci sobre Crowley na série "A chegada" e o seu primeiro episódio é justamente sobre Crowley e como o seu legado permeia a nossa cultura até os dias de hoje, promovendo se não o alicerce de rebelião a Deus.
Eu tomei um baita susto ao saber que o livro da lei tinha sido canalizado por uma entidade que ele encontrou no Egito chamada Lam (ou Aiwass), que parecia um alienígena. E realmente me parece que o cara pregou satanismo e tinha uns disturbios loucos. Fazer o que você quer na sua maior essência de fato me parece bem rebelde.

Iarwain Ben Adar disse...

Crowley não era satanista. É uma afirmação erronea e descabida. O grande ritual da vida dele foi o Ritual de Abramelin, um ritual que tem por objetivo entrar em contato com aquilo que os cristãos chama de 'anjo da guarda'. Todo o sistema magico dele é baseado nesta ideia. Somente entrando em contato com seu 'anjo da guarda' vc pode descobrir sua verdadeira vontade (Thelema em grego).

Ele ironizava e ridicularizava a igreja cristã porque ela era a vedete da epoca... Hoje possivelmente faria o mesmo com o islamismo. Na verdade ele era contra sistemas rigidos. Afinal sua Lei era faze o que tu queres. Mas este querer que ele falava, não era ao pé da letra. Era o querer de sua alma, sua verdadeira vontade. Não vontades mesquinhas; Um Vontade que somente entrando em contato com seu Sagrado Anjo Guardião vc poderia descobrir.

Crowley foi um dos maiores magos de sua epoca porque ele era essencialmente pratico, ao contrario de muitos outros que, apesar de sabios, eram apenas teoricos. Poderiam recitar um ritual etrusco antigo inteiro, com cada detalhe, mas nunca praticavam nada. Blavatsky, por exemplo, era muito sabia, por exemplo. Conhecia muito, mas não praticava. Existe um consenso hoje em dia de que mais vale um ano praticando do que 50 só estudando - MAS, claro, não se pode sair por ai praticando coisas que não se entende, só por praticar. É preciso saber o que se faz, ou será muito ruim...

E não faz muito sentido falar em Magia Negra e Branca tbm... Isso é coisa de quem não entende... Magia é magia. E magia trata-se de alterar a realidade. NÃO é algo sobrenatural. É (tem que ser) algo natural, real, mesmo que de modo subjetivo.

E o Raulzito, tendo sido tão influenciado, via Paulo Coelho, pela Thelema, impregnou muito de sua filosofia em suas musicas. Assim como Crowley, ele não tentava te colocar contra deus, mas sim tentar fazer vc entender que "as coisas não são bem assim", como ele dizia para Pedro...