Temporario



Jogos | Séries | Filmes | RPG e Tabuleiro | Animes | Creepypastas | Quadrinhos | Livros | Mapa do Blog | Sobre o Blog | Contato |

quarta-feira, 27 de maio de 2015

NOT A HERO - Esse jogo não economiza na violência

Ao mesmo tempo em que muitas empresas se esforçam para diminuir a violência em video games, ou mesmo evitar por completo, algumas fazem exatamente o contrário, tendo até mesmo que se controlar na marra as vezes, como por exemplo aquela cena censurada de Hotline Miami 2. E hoje vou falar sobre uma dessas obras extremamente violentas que ao mesmo tempo contém um baita tempero de humor que consegue facilmente atrair os mais variados tipos de públicos e naturalmente causar bastante polêmica.

A história apresenta um concorrente para prefeito chamado BunnyLord, no entanto ele tem uma visão de que para ganhar as eleições será necessário acabar com a criminalidade da cidade, e assim contrata Steve, um assassino profissional com habilidades incríveis e bom o suficiente para matar todo mundo. Mas logo outros vão se juntando a causa e acabando com qualquer obstáculo que fique entre BunnyLord.


Sem dúvidas o foco desse jogo é a jogabilidade espetacular, por outro lado a história realmente não foi deixada de lado e aqui você consegue se empolgar muito com a trama. Isso porque a loucura rola solta com as missões mais bizarras, e ao contrário do que a proposta inicial apresenta, você não faz apenas missões para matar bandidos não, até mesmo inocentes que tenham qualquer coisa que possa prejudicar o chefe entra na bala.

A jogabilidade é bem simples, com um tiroteio constante e muitas explosões, lembrando um bocado o agitadíssimo Broforce. Basicamente você é deixado em locais onde estão os alvos e precisa invadir podendo atirar, arremessar explosivos, se esconder, recarregar e deslizar. Sendo que a combinação dessas habilidades podem gerar vantagens, por exemplo se você deslizar em um inimigo, irá derrubá-lo, e é possível finalizar pisando nele no chão ou dando um tiro (educativo, não?).

Vários personagens com habilidades próprias vão sendo destravados a medida que a história evolui, a forma de introdução deles é bem bizarra, como o segundo, que é apresentado a Steve em uma lanchonete e logo BunnyLord explica que não é um cara que entende muito de política, mas adora matar gente então é perfeito para apoiar a causa.

E a diversão só fica mais intensa com a presença de física no jogo e possibilidades dignas de filmes de ação absurdamente exagerados como Mandando Bala ou o hilário Machete. Digo isso porque no jogo você faz coisas como pular por uma janela e voltar pela janela de baixo segurando o dedo no gatilho, ou então explode um galão de combustível e vê uma janela estourando com o corpo de algum infeliz voando.
As missões tem foco na matança, mas também existem objetivos próprios para cada missão, como por exemplo perseguir um alvo em especial e matá-lo, ou os objetivos alternativos que variam de nível para nível e são uma baita de uma empolgação para que você repita diversas vezes, até porque é muito divertido.

O visual é naquele mesmo estilo pixelizado maravilhoso que usa um estilo baseado na era 8bits, porém em alta resolução. Sendo assim se você é apaixonado por obras como o tenso Gods Will Be Watching e o fantástico Titan Souls pelo visual altamente detalhado que oferecem, pode ter certeza que você vai se apaixonar por NOT A HERO de imediato.

Enfim, se você estiver procurando por um jogo completamente agitado, onde as partidas são rápidas, porém incríveis e as gargalhadas em relação à história são garantidas, certamente esse aqui é o jogo certo. Vale a pena dar uma conferida no site da G2A, pois lá eles costumam vender keys da steam por um valor bem mais barato que na própria steam e ainda aceitam boleto bancário. Dê uma conferida aqui.

Nenhum comentário: