Temporario



Jogos | Séries | Filmes | RPG e Tabuleiro | Animes | Creepypastas | Quadrinhos | Livros | Mapa do Blog | Sobre o Blog | Contato |

domingo, 19 de abril de 2015

I, Gladiator - Aqui a brutalidade é fora de controle

Quando fui jogar esse jogo, não teve como não pensar em Spartacus, apesar de que segundo a descrição, os desenvolvedores o basearam em filmes e jogos antigos. Porém realmente acho que para quem viu a série, não tem como não acabar lembrando dela, a sensação e até mesmo o visual com um certo tom amarelado deixa isso ainda mais intenso, portanto se você é fã de lutas de gladiadores e fica todo empolgado com vontade de sentir algo parecido, esse jogo é uma forma segura de não perder a cabeça e ser tão radical quanto.

Aqui você assume o papel de Rufus, um gladiador de alto nível que acaba morrendo na arena, porém uma aposta entre dois deuses acabam influenciando no destino de sua alma e lhe oferecem um acordo para poder voltar ao mundo dos vivos e se tornar um campeão novamente na arena, por outro lado ele deve recomeçar sua carreira do zero, indo de arena em arena para enfrentar desafios variados. Após a conversa, Rufus desperta sendo carregado, sem saber se foi um sonho ou se foi real, mas a única coisa que sabe é que realmente terá que voltar a pequenas arenas.



A jogabilidade desse jogo é realmente direto ao ponto, você é colocado em arenas e deve enfrentar múltiplos inimigos, podendo aplicar combos usando os botões do mouse e se defender usando a barra de espaço. Mas eu diria que a fluidez do jogo não é completamente suave, existe uma certa sensação de "trava" quando se luta com alguém, e aquele sistema de ataque e defesa na hora certa.

Um outro detalhe sobre o combate que pode parecer um pouco estranho é que não é possível atacar múltiplos inimigos de uma vez, e isso as vezes pode incomodar um pouco, pois você vê dois gladiadores em combate simplesmente não é possível chegar por trás e dar uma espadada nas costas de um, o que te faz sentir como aqueles NPC's de alguns jogos que esperam o jogador acabar de bater em alguém pra eles voltarem a atacar.

Há um sistema muito divertido de ganhar dinheiro, após uma sequencia que faça a torcida vibrar e gritar seu nome, você pode apertar ctrl para cumprimentar o povo, isso te deixa vulnerável, mas faz com que joguem uma bolsa de dinheiro e com ela é possível ir a uma loja na própria arena e comprar itens, ou mesmo armas entre as partidas.

O multiplayer é no mesmo estilo do modo singleplayer, onde você enfrenta pessoas reais, no entanto a coisa pode ser um tanto irregular, pois há jogadores que tem equipamentos bem melhores que os seus e que para os jogadores mais nervosos, pode ser um pouco frustrantes. Existe ainda um sistema de classificação online multiplataforma para aqueles que gostam de um desafio maior.

O gráfico é interessante pra caramba, apesar de algumas vezes ser notável algumas limitações, no todo é um tanto robusto pela quantidade de elementos e belos efeitos presentes, como por exemplo pétalas caindo na arena, isso dá um ar muito fantástico a coisa. As animações também conseguem ter o seu destaque especial com uma técnica que mistura 2D e 3D.

Enfim, "I, Gladiator" é um jogo bom, mas com suas falhas, ele pode gerar uma bela diversão, mas também pode irritar com alguns pequenos detalhes, a sensação que tive foi que o conceito é maravilhoso mas que poderia ter sido melhor aplicado. Quem quiser dar uma conferida mais a fundo é só dar uma olhada no site oficial do jogo.

Nenhum comentário: