Temporario



Jogos | Séries | Filmes | RPG e Tabuleiro | Animes | Creepypastas | Quadrinhos | Livros | Mapa do Blog | Sobre o Blog | Contato |

domingo, 11 de maio de 2014

Frankenstein - A versão da história na visão de Junji Ito!

É engraçado como as coisas que gostamos parecem muitas vezes serem simplesmente atraídas pelo destino. Você provável já deve ter visto aquele meme que é um quadrinho com um cara bizarro do lado de fora de uma janela falando "Cara! Me deixe entrar, eu sou uma fada! Você não acredita em fadas?" e quando o vi, a primeira reação foi dar risada é claro, mas a segunda foi "Nossa que traço sombrio e legal, de onde terá vindo?", mas ao pesquisar sobre, simplesmente não tinha rastro da bagaceira, até em sites especializados em localização da origem de memes estava com status de "desconhecido". E assim só pude me contentar e imaginar que tratava-se de uma arte fabulosa feita por algum artista talentoso.

Felizmente eu acabei resolvendo procurar novamente muito tempo depois e vi que já tinham descoberto de onde era a bagaceira, mas a minha surpresa foi ao ver que tratava-se nada menos do que uma obra de um artista que eu adoro, que é o Junji Ito. A imagem vinha de uma página do mangá de 1994, Frankenstein, adaptação do autor para a obra de Mary Shelley. E que obviamente tive que ler, para postar aqui essa deliciosa análise! Ò_Ò

A história apresenta uma embarcação que está indo em direção ao polo norte, com um capitão obcecado para descobrir algum grande mistério da terra. O mesmo acredita que o segredo do magnetismo vem dali e que algo irá mudar o destino da humanidade, no entanto é surpreso ao descobrir um homem ali no meio de todo aquele gelo, e naturalmente o resgata daquele lugar, e é quando o mesmo começa a contar uma sinistra história sobre o que fazia ali.

Uma coisa que achei interessante é que esse mangá é muito menos bizarro do que eu imaginei que fosse, afinal de contas levando em consideração obras como Tomie, Gyo, e Uzumaki eu já esperava uma coisa realmente grotesca sendo apresentada, mas realmente o terror colocado foi sem bizarrices, com tudo no nível normal da coisa. Mesmo assim é bem visível o estilo do autor, todo aquele climinha de mistério e de surpresa ao ver algo surreal acontecer, além é claro da perseguição e sensação de imensa dor e perturbação que os personagens tem.

Adorei também o clima gótico que tem e não sei dizer exatamente a data que é apresentada a história, mas ouso chutar que é no século 19, existe toda aquela essência de famílias ricas e com enorme intelecto envolvidas em algo muito terrível devido à ambição de um homem que vem desde a sua infância, e como o que parecia mágico inicialmente acaba por se tornar um tanto doloroso. Em alguns momentos a história me lembrou a da HQ Monstro do Pântano.

Quanto ao meme, por mais incrível que pareça, ele não feito apenas na zueira, é verdade que aquelas falas colocadas foram inventadas, e nos quadrinhos originais o que é colocado é apenas uma macabra risada, porém durante a história há um momento em que o monstro criado fica escondido em um celeiro e começa a ajudar uma família, coletando madeira em épocas frias e deixando em frente à cabana, limpando o excesso de neve ao redor da casa, e etc. E a família acredita que isso seja obra de fadas, uahahaha, então acredito que quem inventou o meme resolveu por o mesmo se apresentando como uma fada.

Enfim, essa não é uma história curtinha, ou dividida em capítulos pequenos como o autor costuma fazer, é um mangá de 175 páginas com uma história continua, portanto se você for ler, reserve um tempinho, pois não é algo bem rápido.

Nenhum comentário: