Temporario



Jogos | Séries | Filmes | RPG e Tabuleiro | Animes | Creepypastas | Quadrinhos | Livros | Mapa do Blog | Sobre o Blog | Contato |

quarta-feira, 28 de agosto de 2013

E.Y.E.: Divine Cybermancy - Um jogo muito robusto!

Existem alguns jogos indie que eu olho e penso "Caramba... Os caras fizeram isso tudo sendo indie? Imagina se tivessem o investimento de uma empresa poderosa?" e eu não estou me referindo a jogos extremamente divertidos porque isso é bastante comum em indies, estou me referindo a jogos complexos e com mecânicas robustas, o que definitivamente é o caso de E.Y.E.: Divine Cybermancy.

Bom, esse jogo se passa em um universo cyberpunk onde existe uma sociedade secreta chamada E.Y.E. e você é um membro dela. A trama é envolta em muitas conspirações e você controla um dos membros da sociedade, iniciando o jogo no momento em que uma missão acaba de falhar e você é o único sobrevivente.

O jogo tem todo um toque oriental com monjes, uso de katanas e essas coisas, no meu caso fica muito difícil não lembrar de Shadowrun vendo esse universo cyberpunk, ainda mais tendo em conta que experimentei há muito pouco tempo o Shadowrun Returns.

Apesar de ser um FPS que usa a engine Source, a mesma de Half Life 2, o jogo é um RPG e eu não estou falando de ter alguns elementos como se é comum, ele é PURAMENTE RPG! Mesmo com toda a ação de tiroteio e tudo mais, é um jogo não linear com missões alternativas, opções de respostas em uma conversa, inventário, sistema de nível e várias outras coisas.

O jogo já começa com você escolhendo o DNA do seu personagem, colocando três "slots" para você aplicar o DNA que bem entender nele, em cada um dos slots existem nove amostras que você escolhe, sendo que cada uma delas tem suas vantagens e desvantagens, a mistura delas irá formar o seu próprio DNA, e assim você escolhe a "fórmula" que ache que beneficie melhor beneficie as características que você pretenda investir em seu personagem.

Existe uma grande variedade de armas de fogo no jogo como metralhadoras, escopetas, pistolas... Mas também há armas brancas, sendo Katana a mais comum, como falei o jogo tem um toque oriental, e existem ainda outros extras como granadas, drones e torres de defesa.

Você tem implantes nesse jogo, podendo ir a um centro médico colocar, sendo que esses te dão benefícios e depois ainda podem ser melhorados. Existe uma quantidade enorme de habilidades que os personagens podem ter, são coisas como ter visão noturna e velocidade maior, normalmente eles tornam as coisas bem mais emocionantes também, imagine no meio de um tiroteio você dá um super salto e vai parar em cima de um lugar onde fica seguro? Por outro lado essas ações tem energia limitada, portanto você tem uma barra e tem que saber administrar bem o uso para não ficar esgotado.

Lembrando ainda mais o universo de Shadowrun, os personagens desse jogo ainda tem poderes psíquicos, sendo alguns extremamente agressivos como o "invocation" onde você explode o inimigo e sai uma criatura descontrolada do corpo dele que ataca todos que ver, incluindo você. Porém há também poderes bem pacíficos como o "Alchemy" que você usa para se curar.

Você tem uma balança mental no jogo que vai diminuindo de acordo com o estresse que ele sofre no momento, por exemplo se ele receber danos continuamente em um período baixo de tempo, a balança mental começa a ser afetada e a descer, sendo que existem diversos níveis que ela pode atingir, causando efeitos variados que começam com o personagem ficando desesperado e não conseguindo parar de atirar até níveis mais extremos onde ele tem alucinações e ouve vozes.

O elemento hacker nesse jogo é levado muito a sério, ele realmente é bastante complexo, acho que nunca vou esquecer o trauma de quando tentei hackear uma porta pra ela abrir, mas o sistema de segurança dela era mais experiente que eu e o que aconteceu foi exatamente o contrário, quem foi hackeado fui eu hahaha. Isso fez com que eu ficasse com uma enorme mensagem na tela por um tempo, dizendo que fui hackeado, até o meu sistema finalmente conseguir se livrar. Nesse jogo é lotado de coisas que podem ser hackeadas, você quer dinheiro? Tente ir a um terminal de banco, aquela torre ta apresentando perigo? Entre no sistema dela! E o mais legal é que não existe apenas uma opção para cada elemento, você escolhe o que quer fazer, por exemplo se você quiser hackear o olho implantado de um inimigo e ver através da perspectiva dele, mas você pode fazer diferente e simplesmente causar um dano cerebral e matar ele de vez, ou até mesmo acessar as memórias e transformar ele em um aliado.

Enfim, esse é um daqueles jogos que tem tantos elementos que simplesmente não dá para falar em uma matéria, ele tem uma wiki só de elementos a serem apresentados um a um, é complexo até demais o negócio e se você não quiser encarar isso tudo sozinho, não se preocupe porque ele tem modo cooperativo de até 32 pessoas jogando ao mesmo tempo e graças a isso pode rolar ainda mais com um PVP e até jogo de equipe contra equipe. O jogo está disponível a venda na steam.

2 comentários:

JD Rodrigues disse...

Cara, como tu consegue tanto conteúdo pra escrever? rsrs
Manda bem sempre. Sou teu fã. O Nerd Maldito é minha enciclopédia nerd. Às vezes estou trabalho e entro num link do blog através do facebook e, quando noto, lá estou eu com o olhar congelado no celular. rsrs

Skywalkerpg disse...

Valeu, que bom que a coisa tem sido proveitosa hahaha. =D