Temporario



Jogos | Séries | Filmes | RPG e Tabuleiro | Animes | Creepypastas | Quadrinhos | Livros | Mapa do Blog | Sobre o Blog | Contato |

terça-feira, 20 de agosto de 2013

Assassin's Creed III - O jogo que revigorou a franquia

Como eu já tinha falado, Assassin's Creed Revelations sem dúvidas foi um jogo maravilhoso, porém o problema dele foi o fato de mais uma vez por o Ezio e em um ambiente anteriormente explorado pelo Altair, o que acabou ficando meio estranho, parecia que tudo no jogo era reciclado, o que tornou ele um jogo legal mas sem nada realmente inovador, sem a sensação incrível que os outros conseguiram causar, era apenas mais do mesmo (Não que o mesmo seja ruim). Assassin's Creed III por outro lado trouxe não apenas um personagem, mas também um ambiente completamente novo.

Esse jogo conta a história de Connor, um mestiço entre índio norte americano e europeu, seu nome original é Ratonhnhaké:ton e esse acaba entrando para o grupo dos assassinos e se passa durante a revolução norte americana.

Bom, esse é um jogo que vi variações de opiniões, alguns dizendo que se tratava de uma obra magnífica enquanto outros falaram que o jogo foi um caos. Felizmente não me deixo levar pela opinião da maioria das pessoas e portanto eu fui jogar tranquilamente e sinceramente vou direto ao ponto, o jogo é sim muito bom, é legal demais e tem muitas mecânicas novas, porém não senti toda a empolgação que tive no Brotherhood mas eu sei muito bem o motivo disso. O negócio é que eu já sabia a grandiosidade da franquia e com isso todo o impacto que ela causou no passado acabou gerando aquele probleminha da expectativa matar a diversão, ou seja o jogo é extremamente gostoso e robusto porém eu já tava esperando por isso, por outro lado acredito que nem de longe é o mesmo caso do Revelations já que esse aqui coloca tudo novo.

Boston é uma cidade incrível, não tão grande quanto Roma porém cheia de coisas acontecendo, o climinha gerado semelhante ao de velho oeste é muito agradável, escravos, índios, pessoas com trajes clássicos tão familiares, gente discutindo na rua, vendedores. Há muitas coisas que já vimos anteriormente porém em um lugar tão diferente e familiar que acaba encantando, ou pode ser o contrário para aqueles que se encantavam com os anteriores exatamente por não ser no continente americano, mas acho que a pessoa tem que abrir um pouco a mente a novas realidades sendo mostradas.

O jogo já começa de forma cinematográfica com você entrando em uma ópera lotada de pessoas e tendo que cometer um assassinato, é simplesmente muito fascinante se sentir o assassino naquele ambiente cheio de pessoas, de certa forma me senti no clima de Gotham by Gaslight (Apesar da época diferente), todo aquele ambiente mais sombrio com uma história sobre assassinato em um lugar da Europa, é realmente uma introdução lindíssima.

Outra coisa que gostei demais é que ao contrário do Altair que já começa como assassino e do Ezio que rapidamente se torna um, nesse você sente como praticamente tivesse jogado um jogo inteiro até finalmente Connor vestir o manto pela primeira vez, isso gera uma sensação enorme de satisfação. Você controla por bastante tempo o pai dele, depois toma o controle de um Connor durante a infância, então passa pra um jovem que deve ser adolescente ainda ou acabado de entrar na fase adulta e por fim toma o controle de um adulto. Realmente é uma verdadeira sensação de jornada e é bastante incrível, e é só nesse período que você começa a ver a revolução começando a se desencadear e é lindo ver acontecer. Mas ao contrário do que muitos pensavam, esse não é um jogo que conta a história dos norte americano os glorificando, achei a forma de apresentação bastante imparcial já que por exemplo em um certo momento em que saí do Animus e passei a controlar o Desmond, um dos personagens começa a me falar que esse papo glorioso de revolução era a maior furada e que aquilo era inglês contra inglês e os livros de história inventaram a maior balela. Realmente gostei de como os caras colocaram uma história de forma aberta.

Dessa vez foram implementados animais no jogo e eu tive que bater palmas para isso pois senti algo que não sentia há muito tempo em um jogo que é a sensação de harmonia com a vida selvagem em uma época diferente, algo que só me lembro de ter o prazer de usufruir pra valer apenas no primeiro Call of Juarez, mas aqui a experiência vai além! Há diversos animais domésticos como porcos, perus, galinhas, cachorros e você os vê andando pela rua ou presos em alguns lugares, é algo que deixa o ambiente bem mais robusto, além da volta dos cavalos que estavam fazendo falta mesmo. Há também o ambiente selvagem, você pode ir pra floresta e algumas vezes terá mesmo que atravessá-la, podendo ser a cavalo, usando uma carruagem ou a pé e nesses lugares há muitos animais selvagens, se você quiser pode ir a caça com um sistema que ficou fantástico, pode ser do jeito mais simples como se esconder em uma moita e esperar um animal passar para você surpreendê-lo e passar a faca ou pode ser algo complexo como por uma armadilha, jogar iscas para atrair animais, caçar com arco, ficar em cima de uma árvore, realmente as opções são muito grandes, além disso você pode rastrear um animal analisando rastros deixados. Mas também há seus perigos no meio selvagem, não apenas animais dóceis ficam por lá afinal, mas também existem predadores que podem não apenas te atacare como te matar, é sempre uma surpresa de repente você estar andando e do nada aparece um lobo saltando em sua direção. Isso sem contar com outros detalhes pequenos porém fantásticos como por exemplo você jogar iscas em um lugar e aparece um coelho, daí você mira com seu arco e do nada surge um logo levando o coelho embora, ou mesmo caçadores rivais que podem ir até uma armadilha sua e roubar descaradamente o animal que você pegou hehehe.
A cidade é um lugar completamente vivo, dessa vez retiraram a opção de atacar pessoas inocentes, o que tem bastante lógica já que os assassinos não faziam isso por mais que as vezes os cidadãos sejam bem ousados, e acredito que exatamente por isso esse foi o primeiro jogo em que colocaram crianças. Dessa vez também implementaram algumas casas que ficam com janelas ou portas abertas, o que faz com que em meio a uma fuga você possa atravessar o lugar rapidamente, deixando assim bem mais real.  Há ainda locais em que você pode jogar dois jogos de tabuleiro e fazer apostas, aumentando assim as possibilidades principalmente para quem quer passar o tempo fazendo outras coisas enquanto não vai para uma missão. Há toda uma mudança climática, há névoa, chuva, sol, neve, dia e noite, é muito gostoso ver as coisas mudarem e como tudo fica tão diferente.

Tenho que falar da dublagem em português também, achei incrível a coincidência de como cada vez mais as coisas facilitaram pra mim. Digo isso porque o primeiro só tinha dublagem em inglês e sem legendas, e eu entendia porém como não sou formado sempre saia algumas palavras que eu não sabia o significado, já o segundo veio dublado em espanhol, o que facilitou já que sou formado em espanhol, o terceiro veio com legendas em português de Portugal, o que é ainda mais próximo de meu idioma né? O quarto já veio com legendas em poruguês do Brasil o que achei fantástico! E esse por fim foi dublado, baita coincidência, não? Isso sem contar da parte do jogo que se passa no Brasil, hahahaha. Mas falando sobre a dublagem, ela é uma mistura entre fantástica e tosca. Uma coisa que as pessoas tem que notar é que esse não foi um jogo linear dublado, mas sim um jogo em mundo aberto, há centenas de pessoas na cidade e tem gente conversando pra todo lado, você vê uma enorme variação de falas e além disso os próprios personagens de missões são diferentes sendo que alguns aparecem e ficam um bom tempo com você, e eles tem que ter vozes diferentes, então imaginem a quantidade de gente que teve que dublar o jogo? Portanto mesmo com as falhas eu tive que aplaudir, foi simplesmente fantástico. Pela primeira vez experimentei andar por aí em uma cidade e ouvir tão naturalmente as fofocas do povo, as reclamações, brigas. Eu tirava tanto sarro das falas das mulheres em espanhol e dessa vez pude ouvir elas em português, é simplesmente muito engraçado as mulheres dizendo coisas como "Você vai aprender!!! Ahhh vai aprender!!!" ou então um cara vendo você roubando um cadáver e dizendo "Trombadinha! Você devia ser enforcado!" hahahaha.

Também foi adicionado o sistema de navegação no jogo, as batalhas marítimas são muito gostosas de se ver, você pode sair pelo mar para comercializar mercadorias e por acaso pode acontecer de você acabar sendo atacado e ter que dar ordens para os seus homens atirarem no momento certo sendo que você também tem que controlar o navio, é muito boa a sensação de ver uma embarcação sendo destruída após receber uma chuva de bolas de canhão.

Enfim, ta aí um jogo que sinceramente eu gostei demais, tem uma grande variação de coisas para fazer e um ambiente completamente novo para a franquia, acho que as pessoas que falam que o jogo é horroroso estão sendo dramáticas demais porque elas podem não ter sentido o mesmo que sentiram em jogos anteriores, mas sem dúvidas é um jogo sem dúvidas de alto nível.

Um comentário:

Rafael. disse...

Boa análise Sky, jogava muito ACIII.

Realmente revigorou a franquia!

E eu adorava as batalhas marítimas, eram realmente muito boas de se ver!