Temporario



Jogos | Séries | Filmes | RPG e Tabuleiro | Animes | Creepypastas | Quadrinhos | Livros | Mapa do Blog | Sobre o Blog | Contato |

sábado, 7 de janeiro de 2012

The Sims - Uma fábrica de viciados!

De tempos em tempos aparecem alguns jogos diferentes e que são fonte de inspiração para dezenas de cópias com menor qualidade, ou em alguns casos com cópias de altíssima qualidade que podem chegar a ultrapassar aquele que deu origem à "moda".
Definitivamente The Sims quando foi lançado em 2000 foi um dos jogos que trouxe aos video games uma nova moda, a de simulação de vidas e era algo realmente diferente, pois ao mesmo tempo que era um "filho" da tendência de se criar bichinhos virtuais como os Tamagochis, era tão mais complexo colocando humanos para serem cuidados e não se limitava a um espaço que você podia ver apenas um bichinho fazendo suas fofuras, mas sim mostrava a vida de um personagem com crescimento profissional, problemas com contas, momentos bons como casamentos, brigas com amigos, entre muitas outras coisas, era algo diferente de tudo já visto.


Obviamente The Sims não é um jogo que agrada a todos, no entanto o seu estilo simpático de jogo casual e com visual simples, limpo e intuitivo, conseguiu ir bem além do publico gamer e conquistar pessoas que nunca jogaram antes. Era viciante ver aquilo, era comum ver relatos de pessoas bem velhinhas que jogavam The Sims ou de meninas(garotas gamers eram mais raras ainda naquela época) falando que só jogavam The Sims, o negócio era praticamente os jogos de redes sociais que são tão comuns hoje em dia.

Sem duvidas o elemento mais atraente do jogo era a sensação de evolução, ele permitia fazer as pessoas sonharem, se verem crescendo, começando com nada, mas então trabalhando e vendo seus Sims podendo comprar coisas melhores para a casa, recebendo aumentos no salário, era simplesmente demais! Era algo realmente que fazia as pessoas viverem a vida que quisessem, como quisessem, não era um jogo com fases ou fim, ele só terminava quando seus personagens morressem ou você enjoasse e resolvesse criar outra família e mesmo assim a família que você enjoou ia ser aproveitada já que serviria como vizinhos da nova família.

As atitudes dos Sims eram muito bem trabalhadas, não pareciam simples bonecos sem vida controlados pelo jogador, mas sim pessoas que sentiam fome, sono, medo, amor e outras coisas. Isso fazia com que você parecesse não aquele que controla, mas sim um Deus interferindo na vida deles só que sem tirar suas próprias vontades e assim você via cenas muito engraçadas que iam desde beijos até porrada.

A forma inocente dos personagens do primeiro The Sims é também um detalhe que torna o jogo totalmente suave e fácil de impressionar muita gente, para começar pela linguagem, os caras da Maxis tiveram a genial ideia de ao invés de colocarem os personagens para falarem inglês, inventarem uma lingua nova para eles que faz parecer uma verdadeira brincadeira infantil com grunhidos e outros sons estranhos e engraçados. Também  muitos atos dos Sims são características de desenhos animados, como o jeito que demonstram raiva agitando braços e pernas, ou o jeito que tem um filho, em que um dos membros do casal pergunta "Vamos fazer um bebê?" e se a resposta é sim, uma música surge junto a flores e então aparece o berço do bebê, algo perfeito para ocultar o tema sexual.

Os sons do jogo em geral tem uma personalidade própria impressionante, mas as músicas em especial chamam muito a atenção, definitivamente o jogo tem uma trilha sonora inesquecível, o que claro não é do agrado de todos, no entanto não é qualquer jogo que deixa sua marca e faz qualquer um ouvir e dizer "Ei essa música é de tal jogo". As de The Sims são exatamente assim, são reconhecíveis imediatamente, e não apenas as músicas do modo construção, mas também as músicas do rádio, que colocaram músicas cantadas na própria língua do jogo.

Os mods do jogo viraram uma verdadeira mania na internet, isso era espetacular principalmente na época, o jogo não estava parado como a maioria dos jogos de 2000, você podia criar seus próprios objetos com as ferramentas lançadas na internet ou então baixar, claro que isso gerou objetos horrorosos que mesmo assim eu usava kkkkk, no entanto também gerou alguns fantásticos feitos por pessoas que realmente sabiam modelar, e existiam ainda alguns usuários mais avançados que iam além e criavam não apenas skins de personagens, mas sim objetos com propriedades próprias incríveis, como por exemplo o elevador que não tinha no jogo e mesmo assim fizeram, ou o chuveiro que recuperava todas as barras do personagem. Eu ficava horas baixando centenas de objetos, meu jogo chegava a pesar pra abrir, demorava muito.

As expansões do jogo certamente foram uma ideia muito bem aplicada, pois era ótimo saber que o jogo não precisaria ser abandonado, mas apenas atualizado, isso inclusive no final da geração do primeiro jogo causou um grande medo pois tinha tantas expansões que era meio desanimador saber que o The Sims 2 provavelmente iria vir "cru" para depois ser tunado com expansões, apesar de que essa sensação passou bem rápido com os lindos gráficos do novo e opções únicas, mesmo assim não fez com que boas lembranças ficassem das inesquecíveis expansões:

Gozando a vida

Essa foi a primeira e que me fez passar muita raiva pois eu nunca consegui instalar e fazer ela funcionar, alguns pc's davam esse problema mas acho que eu nunca saberei o motivo disso. Com esse bug, a unicas coisas adicionada eram os papéis de parede, telhado, chão e alguns objetos que a própria Maxis já disponibilizava grátis, então o negócio era ficar na vontade.

Fazendo a festa

A segunda expansão já me deixou mais feliz, pois ela corrigia o erro da primeira, por isso quando comecei a jogar ela era como se eu tivesse instalado duas expansões e não apenas uma, era fantástico usar todos os objetos do Gozando a vida e personagens como o gênio atrapalhado que realizava um desejo por dia e a morte que vinha buscar sem Sim mas jogava pedra, papel e tesoura com você pra ver se levava ou não kkkk, e ainda poder usar tudo do Fazendo a Festa, era incrível criar festas em casa, fazer um círculo ao redor de uma fogueira com um Sim tocando violão e todos cantando, e ainda tinham os eventos, podia aparecer o mímico ou algum artista, tudo aquilo era muito legal!

Encontro Marcado

Finalmente colocaram uma opção que era a tentação de todo jogador de The Sims, que era sair de casa, essa expansão adicionou um novo lugar para ter exclusivamente lojas e onde os Sims poderiam flertar e comprar coisas para a casa, ficou muito mais fácil fazer relacionamentos e poder lucrar em cima deles hehehe.

Em Férias

Nessa expansão eles seguiram a linha do encontro marcado, só que indo além e criando locais para férias dos sims, uma ideia diferente e que expandiu ainda mais o universo do jogo, dando aquela enorme sensação de liberdade e não apenas de uma partida de trabalho interminável(Virou uma verdadeira brincadeira de casinha kkkkkkk).

O Bicho Vai Pegar

Provavelmente a mais importante expansão pois adicionava algo que as pessoas adoram, animais! No bicho vai pegar os personagens agora podiam comprar animais, cuidar deles, treinar, você passava a controlar não apenas humanos, as regras mudaram e o que durante todo o jogo era visto apenas pela visão de Sims, passou a ser vista pela visão dos bichinhos. =)

Superstar

Essa foi a expansão que eu menos aproveitei as opções, mas sei que teve muita gente que adorou, nela os talentos dos sims podiam ser melhores explorados e todos transformados em estrelas, era possível aumentar e diminuir a popularidade, além de competir com outras estrelas.

Num Passe de Mágica

Com certeza minha expansão favorita e que mais tirei proveito quanto a sair da casa dos Sims, provavelmente ela foi lançada para seguir a tendência Harry Potter da época e apesar de não ter nada a ver colocar um destaque tão grande em magia, eu achava demais poder participar de duelos, fazer receitas mágicas e usar vários itens com efeitos fantásticos! *-*

Enfim, The Sims foi um jogo que marcou bastante e que sempre de tempos em tempos bate aquela vontade de jogar, por mais que o jogo tenha suas continuações, ele tem uma personalidade própria e graças às expansões, torna-se diferente e não apenas a versão com gráficos inferiores às outras. Hoje em dia é possível achar versões físicas apenas das continuações, infelizmente não vendem mais The Sims 1, então só comprando usado. Já em relação a sequencias você acha a venda felizmente. Vale a pena dar uma conferida no site da G2A, pois lá eles costumam vender keys da steam por um valor bem mais barato que na própria steam e ainda aceitam boleto bancário. Dê uma conferida aqui.

Twittem aí para seus amigos pessoal =D 

11 comentários:

@Edu_Vidon disse...

O ápice da Parada era o Oba-oba
Na quinta série o povo era viciado, daí uma professora soltou a pérola:
"Vocês ficam fazendo oba oba na aula, aí nao dá"
Ficamos rindo dela uma semana UHAHUEUAHUHE

Silas disse...

Sky olha esse vídeo:
http://www.youtube.com/watch?v=QkmKhd_h3lk&feature=share

Skywalkerpg disse...

@Edu_Vidon

O Oba Oba não existe no The Sims 1 não, nele existia uma opção "brincar" mas era só em uma cama especifica em forma de coração hehe. O Oba Oba só surgiu no 2

Silas

eu vou deixar carregando =) mas quando me mandar links tente enviar pelo email que é certeza que vejo porque aqui as vezes eu vejo na rua ai até esqueço =/

Agelus disse...

Nunca tinha me tocado que The sims surgiu na época do tamagochi, agora tudo faz sentido =D.

O que marcou pra mim foi o The Sims 2(nunca joguei o 1), joguei muito.

Me lembro que a primeira vez que eu ouvi falar de The sims 2 disseram que era tipo um jogo de casinha então não fiquei com uma impressão muito boa do jogo, mas acabou sendo um dos que mais me marcaram.

Até hoje sinto uma nostalgia quando ouço alguma musica de the sims 2.

Darthvaderpg disse...

E não se esqueçam da espansão erotic scenes Ò_Ò

Etinex'Nay disse...

Nunca gostei. Sempre achei meio estúpida a idéia de um simulador de vida... '-'

Felipe Chabat '-' disse...

Quando eu era menor era viciadão Ó-Ó eu cheguei a comprar o 2 quando lançaram mas nao tive mais pique pra jogar jogos daquele tipo, mas ainda assim the sims sempre foi e sempre será um ótimo passatempo.

Matheus disse...

Tinha o superstar original e as outras piratas era viciadao

acullen disse...

nossa, voce descreveu com perfeição o que era o TS 1, eu adorava demais, demais, o 2 e 0 3 nunca vão ter a mesma magia, são tecnológicos demais, é como essas trilogias, como matrix, que no primeiro está o impacto, a surpresa, a história fantástica, as sequencias são somente efeitos especiais, é assim que vejo o TS 2 e 3, muita tecnologia mas sem aquele charme do 1. Quando no making magic consegui subir no meu primeiro pé de feijão, e tava lá o gigante com a cara do will wright, heheheehe, aquilo foi demais, ai que saudade, eu fazia minhas proprias skins, objetos, cheguei a fazer um site de downloads com minhas coisas :'(

Maniezi disse...

Chato paracai esse jogo

Augusto Gomes R. disse...

Sempre fui fá de the sims sempre achei que eles sempre me inspirei com essa apresentação que ele postou para criar casa nesse primeiro modelo do jogo, alias acho que the sims é um dos poucos jogos que qualquer pessoa não ve passar o tempo, é como uma televisão, também joguei a versão 2 onde você podia ver seus filhos virando adolescentes e consequentemente adutos que poderia subistituir a vida dos pais por isso deram ao jogo o nome de generation, também poderia ir a faculdade e comprar uma casa na praia, o 3 melhorou os graficos e agora você pode andar pela cidade sem ter que fazer o load do jogo toda vez que sai de um bar ou loja, mas o que eu mais gostei de jogar foi o 2 pois o meu computador processava 100% e eu tinha todas as expações ,