O tenebroso mangá de Junji Ito premiado ao Eisner mais de 2 décadas após seu lançamento

Em 1994 foi lançado o filme "Frankenstein de Mary Shelley", que teve duas indicações ao Oscar e empolgou uma editora japonesa a aproveitar a coisa. E assim entrou em contato com Junji Ito para lhe oferecer a oportunidade de adaptação. Ele aceitou o trabalho e entre 1994 e 1998 publicou a obra inteira dividida em três grandes partes. Mas curiosamente esse trabalho de uma obra dos anos 90 acabou ganhando o Prêmio Eisner, apelidado de "Oscar dos Quadrinhos", mais de duas décadas depois.

O maravilhoso Frankenstein de Junji Ito é uma obra que pode acabar passando de forma despercebida por muita gente, mesmo sendo um trabalho bem longo e que não é dividido em pequenas historinhas que formam uma história maior como o autor costuma fazer com as suas obras maiores, tipo Tomie e Uzumaki, mas sim uma grande trama bastante contínua. Mas talvez tenha sido exatamente o toque diferenciado que faz com que não seja tão avistado, fora os memes, é claro...
Mas aqui, temos uma adaptação elegante, que você percebe que o autor foi respeitoso, e ao invés de tentar transformar a obra de Mary Shelley em algo seu, ele apenas coloca um "tempero" de seu estilo. O resultado é algo simplesmente maravilhoso e sombrio. Um ambiente gótico e uma história macabra envolvendo o Doutor Victor Frankenstein, um jovem e engenhoso cientista que passa a ser atormentado pela criatura que criou.

O visual que Junji Ito adiciona à coisa, faz você sonhar em quais outras obras não poderiam ser adaptadas por ele e no charme extra que elas ganhariam com esse traço tão peculiar que faz gerar uma chuva de imagens compartilhadas pela internet. Certamente é aquele tipo de trabalho que pode inclusive se tornar uma obra que atrai um público que não é fã do autor e deixa aquele enorme gostinho de quero mais porque o resto de seu trabalho é bem diferente.
E em outubro de 2018, exatamente uma década após a editora VIZ Media LLC decidiu lançar nos Estados Unidos "Frankenstein E Outras Histórias De Horror", um baita de um volumão elegante que trazia não apenas a sua adaptação de Frankenstein, mas também algumas histórias curtas para complementar a coisa com mais de 400 páginas.

Com esse lançamento, ele ganhou um destaque como nunca antes, e o resultado disso foi que conseguiu surpreender bastante a ponto de no ano seguinte receber o Prêmio Eisner como "Melhor Adaptação de Outra Mídia". Obviamente isso fez a editora  ‎ Pipoca e Nanquim se apressar e lançar o mesmo volume aqui no Brasil ainda em 2019 e as avaliações foram altíssimas no público nacional. Caso tenha interesse em deixar sua estante tunada com uma obra tão fantástica, confira no link de afiliado Amazon.

Postar um comentário

0 Comentários