Pacificador | Para quem cansou de heróis estilosos

Assumo que a principio, eu não queria assistir Peacemaker. O motivo é que eu não acompanho filmes de super-heróis. E como se trata de uma derivado de filmes da DC, acabei não indo muito atrás, apesar de imediatamente achar o visual da coisa interessante. Porém o "pré-requisito" me manteve longe. Mas com o passar dos dias do lançamento, fui cada vez mais ficando tentado e resolvi ir atrás.

A história é sobre um super-herói confuso, que tenta fazer a coisa certa, mas ao mesmo tempo se vê em dilemas morais. Ele sempre matou desenfreadamente, mas após assassinar outro herói em nome de seu país, começou a mudar seu conceito. No entanto, a alternativa a ficar na cadeia é servir novamente os EUA, localizando e assassinando pessoas que chamam de "Borboletas".
Como eu sabia que a série vinha do Esquadrão Suicida, decidi primeiro assistir os primeiros filmes. O primeiro eu não tinha a menor vontade de ver, mas gosto de ver as coisas do jeito certinho, portanto fui atrás. O resultado é que é realmente um filme horroroso, sem foco nenhum. A história é extremamente genérica, com piadas que tentam muito ser engraçadas. A trilha sonora é fantástica, mas socam uma música atrás do outro, chegando a ponto de incomodar. Ruim demais!

O segundo filme melhorou absurdamente. Não é meu tipo de filme, mas pelo menos dá pra notar que rolou um esforço pra pelo menos fazer uma história que evolui, conta com arcos diferenciados e no geral é todo superior. Em especial tenho que dizer que o Doninha, personagem que acho que rouba o filme com sua pouca aparição e que, ao meu ver, seria  melhor ter colocado ele no lugar do tubarão.
Mas bom, no fim das contas não é preciso realmente assistir nenhum dos dois, pois a série já começa com "Anteriormente em Esquadrão Suicida", e já mostras as principais cenas necessárias para entender a coisa. Eu assistiria de qualquer forma o segundo mesmo que eu soubesse disso. Mas a tortura que é o primeiro realmente é completamente descartável.

Você já nota de primeira que a atmosfera muda um bocado na série. O filme fica forçando ser engraçado e nem sempre conseguindo. Agora com a série a coisa é focada na esculhambação mesmo, então tem sim piadas toscas, mas os filmes parecem ter a obrigação de ser engraçado, enquanto a esculhambação tosca da série passa mais a sensação de algo natural porque eles são toscos.
Aliás, eu acho até meio engraçado como uma série dessas me passa a sensação de algo mais realista do que um filme como Homem de Aço, que é incrível, mas é tão estiloso, que faz esquece que é um maluco de fantasia. Enquanto aqui, a fantasia parece ridícula e a forma de agir não é impecável e coreografada, assim como o próprio herói não é esse poço de pureza.
Inclusive é engraçado que eles conversam sobre outros super heróis mais populares, tipo o Batman e bate uma sensação esquisita ao se pensar que é na mesma realidade. Mas aqui a coisa parece menos artificial, já que é normal grupos de amigos rirem e zoarem de forma tosca. Acaba dando uma naturalidade que torna a série mais séria do que muita coisa séria que tem por aí.
Parece um meio termo perfeito, não sendo como os filmes do Esquadrão Suicida, cheia de piadinhas engraçadas, mas notavelmente artificiais, mas também não ficando em uma realidade super sombria e cheia de estilo com personagens que não erram nunca, e fazem combates completamente bonitos sempre.

Ao meu ver, é uma série que fica ao lado da série do Demolidor, que eu sei que não tem nada de engraçada, mas que faz contraste com as obras da Marvel em geral, apresentando um personagem que se ferra muito e fica todo quebrado. O Pacificador não fica quebrado daquele jeito, mas ao menos aqui temos algo realista no fato de que ele não é perfeito.
Não falando que a série seja super realista, pois é notável que existe uma baita de uma esculhambação na coisa e eles não perderam a chance de deixar a coisa ainda mais extravagantes ao adicionar personagens burros até demais, e com algumas tosqueiras que com certeza se tem potencial para irritar algumas pessoas. Porém no geral, acho que é de se esperar esse toque, pois é parte da essência da coisa.

Mas obviamente, comparei com o Demolidor porque a Marvel é a grande rival da DC, porque se for pra comparar com uma série mesmo, é fácil pensar logo em The Boys, onde também temos essa esculhambação toda do que é ser humano, com roupas toscas que não ficam maravilhosas igual no cinema, e mentes corruptíveis.
Em relação à trama em si, ela não é algo que prende ou surpreende. Ao meu ver, o que atrai é realmente a ideia de que é um cara que tenta ser herói, e vê como lida com os acontecimentos, mas tendo a dificuldade de encarar a burocracia da coisa e olhando para seres super-humanos com seus corações inabaláveis e vendo que ele não é daquele jeito.

O toque de drama é apresentado de forma modesta, apresentando a dor que o personagem sente, mas sem focar tanto nisso. Na verdade a quebra é bem frequente, pois com a quantidade de personagens inconvenientes, fica muito fácil alguém estar chorando e chegar alguém comentando alguma coisa completamente fora do contexto.
 
Enfim, a série do Pacificador é bem bacana e com certeza vale o tempo para quem quer algo focado no público adulto, mas não se importa que tenha um toque de bagaceira pra todo lado. Acho que no geral foi uma aposta fantástica e que provavelmente moldou o "Esquadrão Suicida", o John Cena caiu muito bem na coisa.

Postar um comentário

0 Comentários