A Vila | Horror maravilhoso! Porém muito mal compreendido...

Esse é um filme que na época, fiquei absurdamente animado para assistir. Especialmente pelo marketing safado feito, mas que no fim gostei demais, fiquei apaixonado e provavelmente foi a obra que me fez virar fã do M. Night Shyamalan, diretor que divide públicos, com aqueles que odeiam de coração e outros que não veem a hora de assistir o próximo. Para fãs de livros de suspense, um cara que no mínimo desperta a curiosidade.

Em uma vila do século XIX, os habitantes vivem em paz e harmonia, no entanto criaturas horrendas se escondem na floresta que rodeia o lugar por todos os lados, sem estrada para lugar nenhum. A cor vermelha atrai as criaturas, portanto ninguém usa objetos dessa cor, enquanto a amarela as afasta e assim colocam essa cor ao redor da divisa com a vegetação. No entanto problemas internos acabam gerando uma grande pressão para que alguém saia do lugar para buscar ajuda.
Esse é um filme lançado em 2004 e naquela época, o marketing foi feito foi "Aconteça o que acontecer, não conte o final dessa filme a ninguém!". Isso deixou o povo louco, pois era acompanhado de um "Do diretor de 'O sexto sentido'", que foi um estouro cinco anos antes. Eu não sei se esse foi um dos casos em que a expectativa mata a diversão ou se as pessoas só não entenderam o filme ou um híbrido.

Aqui temos um daqueles filmes em que você tem que observar detalhes. Ele não conta apenas a história principal diretamente pelos personagens, os detalhes estão em coisas escritas e outros elementos que vão dando dicas. Dois amigos meus eu tive que explicar o final, porque eles pensaram que era duas coisas diferentes.
Um problema nesse desentendimento do final, é que muitas vezes a pessoa já falou tão mal e esculachou a coisa pra tanta gente, que quando você explica, por mais que seja interessante, a pessoa já criou muito aquele ódio em cima da obra e fica complicado de repente admirar o nível de detalhes apresentado. E aí a pessoa só fala "Ah, isso aí é um lixo também!". Uma pena, pois realmente seria legal a pessoa ter sentido a emoção de ligar as peças e sentir o efeito que o final causa da forma que deve ser sentido.

Além de ser um filme que precisa ser observado com atenção para se pegar o final e não ficar confuso achando uma outra coisa, é também aquele tipo de filme cheio de simbologia. Algo que faz representação de certos aspectos da vida. A ideia de tentar fugir dos problemas, a hipocrisia e a sensação de falta de controle.


Gostei muito da sensação de medo que passa e esse climinha de um ambiente antigo e o medo da floresta me encanta, tanto que sou apaixonado por "A Bruxa", outro filme que acaba dividindo o público com a sua forma de apresentar as coisas. Alguns descendo o pau e outros idolatrando, mas que também acho que é um filme que  detalhes precisam ser observados antes da conclusão final.
 
A tensão causada durante o ataque dos seres me agradou bastante e existe um toque bem claro do estilo do diretor, que é visto em outras obras dele, tipo "A Visita". Eu assisti quando saiu na cinema e teve uma cena em particular na floresta, que fez o público soltar aquele som abafado de surpresa, o que foi bem satisfatório.
Existe uma série de personagens com suas histórias interligadas e muito provavelmente você só vai conseguir notar certos detalhes quando assistir pela segunda vez. Isso acontece porque após se ter conhecimento da coisa completa, certos diálogos e atitudes passam a fazer sentido. Isso faz com que fique mais interessante ao ver que algumas conversas e atitudes de personagens tem duplo sentido.
 
Além do mais, ficou bom o fato de que a quantidade de personagens adiciona profundidade à coisa. Apesar da trama ser focada na protagonista Ivy Walker, uma mulher que ficou cega na infância, aqueles ao seu redor tem suas próprias pequenas tramas que mostram o funcionamento do local. Não é algo que apenas mostra Ivy e faz parecer que o resto é só cenário.
Existe algo de meio estranho na fotografia desse filme. Não sei se o filme envelheceu demais ou se ele foi gravado pra parecer velho para harmonizar com a ambientação e agora parece um filme ainda mais antigo que seu tempo. Mas acho que o Shyamalan poderia ter aproveitado o lance dos mantos amarelos e criaturas vermelhas. Existe uma beleza natural nessas cores em contraste com o som tão cinza, e é notável em algumas cenas, mas no geral não é tão destacado quanto acho que poderia ter sido.

Enfim, filme maravilhoso que sei que muita gente odeia, mas que acho super bem conduzido e com uma bela atmosfera. A reviravolta não é apenas algo feito para surpreender, mas carrega toda uma simbologia. The Village é um filme que acho que fãs de suspense deveriam dar uma olhada obrigatoriamente. Shyamalan tem vários filmes de suspense como "Fragmentado" e "Demônio", mas acho que tem alguns que carregam essa essência shyamalanesca, como  "Fim dos Tempos", com uma atmosfera super intrigante peculiar e esse é bem o caso.

Postar um comentário

0 Comentários