Dead Cells | Viciante é pouco pra descrever esse roguelite maravilhoso

Tá aí um jogo que fui jogar pensando que era algo, descobri que era outra coisa e no fim me viciou de forma extrema. É daqueles que vale a pena ter um controle de PC, pois a jogabilidade é bastante frenética e a variação de combinação de poderes é bastante alta, te fazendo sempre testar coisas novas e destravar habilidades, te fazendo se sentir bem poderoso rapidamente, mas tirando tudo o que você tem de forma repentina.

Você é um guerreiro sem cabeça que não sabe exatamente o que aconteceu. Apenas descobre que continua renascendo por algum motivo, enquanto investiga um reino estranho, cheio de experimentos, injustiças e lotado de criaturas misteriosas por todo canto. À medida em que investiga, vai entendendo o que aconteceu em meio a cenas horrendas  e relatos escritos.

Antes de tudo, assumo que tive uma visão inicial meio preconceituosa com o jogo. Isso porque o visual é sim maravilhoso, esse toque pixelizado com elementos 2.5D caem muito bem. No entanto a página do steam o classifica como do Gênero Soulslike, que é um estilo que automaticamente me faz pensar em Dark Fantasy, sendo assim quando a coisa é muito coloridinha, eu já olho um pouco torto.

Por outro lado, isso não me impede de jogar, tanto que adorei The Surge, um soulslike que não é nada sombrio. E assim fui experimentar e aí veio a grande surpresa! O jogo não tem nada de soulslike, na verdade ele é claramente do gênero roguelite, aquele subgênero mais fácil do roguelike em que você não perde tudo ao morrer, pois continua com parte do progresso.

Então não, esse jogo não é como Salt And Sanctuary, Hollow Knight e muito menos Dark Souls. Na verdade ele é exatamente no mesmo estilo de jogos como Rogue Legacy, Moonlighter e Children of Morta. Ou seja, se você morre nesse jogo, não cai nada no chão pra você ir tentar pegar e nem tem uma vida limitada em que o inimigo mais fraco do jogo te mata se vacilar. Pelo contrário, temos um personagem ultra poderoso que pode evoluir algumas coisas permanentemente e se morrer, essas coisas são mantidas e o resto é perdido.

Você carrega duas armas, elas podem ser de curto alcance, longo alcance ou defesa. Além disso tem também dois itens utilizáveis que vão desde armadilhas a granadas. Além disso tem também um pote de recuperar a vida com a quantidade de usos dependendo do quanto você o atualizar. Cada arma tem uma cor própria (vermelha, roxa, verde), que as identifica para receber certos bônus.

Quando você passa de uma área pra outra, é possível atualizar o personagem comprando habilidades, destravando vantagens e também adicionando mutações em determinadas cores. Por exemplo a habilidade necromancia ligada à cor verde faz com que cada inimigo morto recupere uma porcentagem de sua vida. Ao achar pergaminhos de atualizações nas fases você pode atualizar as cores para armas daquele tipo darem mais dano e se tiver mutações ligadas a elas, elas também recebem bônus.

Existem várias áreas desse mundo e a história é um tanto estranha, meio colorida, meio sombria. Se por um lado o personagem não tem cabeça (fica pegando fogo) e é bem expressivo em seu modo de agir, dando joinha pra confirmar coisas e movimentando bem o corpo de forma animada e com piadinhas (seus pensamentos aparecem), por outro lado é notável que há uma história um tanto sombria envolvendo experimentos, tortura e várias sugestões meio bizarras, tipo a moça que cometeu suicídio por não poder salvar a família.

Você encontra lojistas, baús, atualizações, chaves pra certos lugares, áreas escondidas, partes quebráveis com tesouros escondidos e mais. Existem ainda elementos que combinados entre armas podem fazer coisas fantásticas, tipo uma armadilha que solta óleo inflamável, uma torreta que incendeia o lugar enquanto atira e uma espada que dá 30% de dano extra se atingir inimigos pegando fogo. Você combina os bônus ou paga para modificá-los e faz combos maravilhosos.

Ao morrer, são mantidas as habilidades que você comprou usando "células", todos os outros bônus e armas são perdidos permanentemente, além disso os mapas são gerados de formas aleatórias, então você passa pelos mesmos ambientes, mas com formatos diferentes. E aos poucos vai ficando mais forte para enfrentar os chefes com cada vez mais bônus.

O visual do jogo me agradou demais! Essas cores fortes com as coisas tão bem detalhadas, uma mistura entre 2D e 3D bastante harmônica, sem causar aquela sensação de estranheza e um design de personagens interessantes que dá uma bela variada, indo desde inimigos que lançam inimigos menores em você, até monstros invisíveis que só surgem quando vão te atacar e você precisa ficar atento.

Enfim, Dead Cells é um jogo viciante demais. Simplesmente muito fácil você gastar horas jogando e tentando de novo pra conseguir novos bônus. Vale a pena! Recomendo sempre dar uma olhadinha no preço dele na Greenman Gaming antes de comprar na loja direta, algumas vezes os preços deles estão bem abaixo do normal, e sempre lembre de olhar os cupons de desconto que eles espalham pelo site, que deixa a coisa mais barata ainda, dê uma conferida aqui.

Postar um comentário

0 Comentários