Gun Gun Pixies | Controverso jogo de atirar em garotas japonesas

Fazendo combinações de coisas como revistas que ensinam a desenhar e ferramentas de criação de jogos como o Tyranobuilder, o mundo é uma verdadeira caixa de surpresas e podemos ver de tudo por aí, inclusive jogos com um toque de depravação que tenta disfarçar, mas não está tentando de verdade. Porém normalmente esses jogos são 2D, mas não é o caso de Gun Gun Pixies, um jogo que pode deixar muitas bochechas vermelhas.
Aqui você assume o controle de duas garotas alienígenas idênticas a humanas, porém em tamanho miniatura. Elas vem à  terra na missão de salvar o planeta, mas para isso precisam pesquisar sobre o jeito de agir da humanidade e assim se infiltram no dormitório de estudantes universitárias japonesas e passam a observá-las, porém para mantê-las felizes, usam suas armas de felicidade.

Tá aí um jogo que a proposta em si é toda inocente e fofinha, com um visual fofo e tal, mas não é preciso se esforçar muito para começar a ver maldade nas coisas apresentadas, a começar pelo fato de que... Bom... Você controla uma pessoa em miniatura que fica abaixo das saias de colegiais japonesas e tem uma arma pra atirar...

Mas as coisas não param por aí, as personagens parecem ter um tique nervoso nos peitos, pois enquanto conversas nas cultscenes, do nada elas dão aquela subida rápida, fazendo-os ir pra cima e cair, dando aquela balançada. É sem parar o negócio, como se elas não tivessem controle sobre o próprio corpo.

Eu sei bem que é natural ver jogos orientas bem estranhos como Hatoful Boyfriend e 200% Mixed Juice, no entanto é sempre uma surpresa quando vejo que o esforço é maior. Programar um jogo em 3D com esse nível de safadeza, mas sem se encaixar no submundo dos jogos eróticos, acaba também sendo uma atitude um tanto underground hahaha.

A jogabilidade te coloca nos quartos de uma das meninas e elas vão fazendo coisas normais do dia a dia, desde estudar até praticar exercícios. As poses e situações são dignas de histórias de filme pornô e se a moça decide que vai olhar a cama, ela não pode simplesmente olhar, ela tem que flexionar as perninhas, colocar as mãos em cima dos joelhos, se curvar pra frente com a bunda apontando pra trás e aí sim olhar o que tem ali.

O objetivo é meter bala nelas com munição de amor e paz! Em partes variadas do corpo tem uma barra que vai carregando à medida em que você fuzila, e quando finalmente chega em 100%, ela faz uma cara de safada e começa a fazer comentários "Ainnn por que de repente me sentir tão beinnn HUUUMMM!".

Mas a safadeza não se limita às gigantonas não! Há limite de munição e você precisa procurar mais pelo quarto, porém as cargas de energia negativas vão saindo do corpo da fuzilada e vão atrás de você. Quanto mais dano sua personagem fica, mais rasgada as roupas dela vão ficando também, até terminar a fase só o bagaço, com o modelito destruído e a calcinha e sutiã à mostra é claro.

Apesar de tudo esse é um jogo bem de nicho mesmo, não é meramente um daqueles jogos aleatórios. Há elementos de visual novel com muitas pausas para falatório sem fim, o que pode espantar os fãs de shoot 'em up que só querem atirar em alguma coisa. Também é um jogo meio travado na câmera, parece um port de console.
Enfim, para as pessoas certas Gun Gun Pixies pode ser um jogo bem atmosférico, pois passa bem a essência daquelas obras underground saídas das profundezas do Japão, mas o grande público talvez tenha um pouco de dificuldade em engolir a coisa. Recomendo sempre dar uma olhadinha no preço dele na Greenman Gaming antes de comprar na loja direta, algumas vezes os preços deles estão bem abaixo do normal, e sempre lembre de olhar os cupons de desconto que eles espalham pelo site, que deixa a coisa mais barata ainda, dê uma conferida aqui.

Comentários