Qora - Um belíssimo jogo com toque lovecraftiano

Esse é um daqueles jogos fantásticos em que você não se diverte com a mecânica, mas sim com a essência que é transmitida. Existe um foco total na atmosfera e sensação de harmonia com ambientes naturais em contraste com obras feitas por mãos humanas. Definitivamente um jogo que pode não agradar a todos, mas que certamente a maioria daqueles que agradar, conseguirá transmitir um momento bastante único, esse não é um jogo para ser jogado e sim para ser sentido.

A história te coloca no papel do habitante de uma vila que está esperando a sua casa terminar de ser construída, enquanto isso participa de um grande festival onde a maioria está muito empolgada e participando de alguma maneira, até que, enquanto você explora as terras próximas ao lugar, encontra uma gigantesca estátua de pedra, e pode ouvir uma voz falando algo sobre uma ligação com outros mundos, e ao retornar para o festival, o ancião da cidade fala com você e te diz que o mesmo já aconteceu com ele, revelando uma forma de ver coisas não visíveis para quase ninguém, e assim você começa a naturalmente ser guiado em uma jornada enquanto observa acontecimentos de um outro tempo que ocorreram pelos lugares onde você passa.

É certo que muita gente vai jogar e achar esse jogo puramente estranho, porque ele realmente é um tanto esquisito, em geral a jogabilidade dele é no estilo de Dear Esther, sendo classificado como um tipo de conto interativo. Dessa maneira, se a pessoa já for preparada para isso, certamente irá aproveitar muito, já se a pessoa for pega de surpresa e ficar esperando o momento em que a jogabilidade vai começar, pode ficar frustrada ao se ver jogando durante uma hora seguida e ainda não ter começado. No meu caso, fui pego de surpresa, mas felizmente não me senti frustrado, acho que joguei no momento certo, pois amei o climinha e mesmo depois que percebi que não teria uma jogabilidade muito além daquilo, estava gostando um bocado.

Basicamente no jogo você vê as coisas acontecerem, é o tipo de obra em que você vaga pelos ambientes e a interação é relativamente baixa, você tem algumas ferramentas que usa para cortar mato quando aparecem e destroçar pedras, abrindo assim caminho para continuar vagando, há também momentos em que você tem que ativar certas coisas para poder seguir em frente, mas em geral o foco do jogo é a história, sendo assim você anda e observa as coisas acontecerem.

Há uma baita de uma essência que pode ser sentida facilmente, é bem incrível apertar o botão para observar o outro mundo, e ver tudo ficar preto e branco, os elementos físicos do seu mundo de repente paralisarem, e então novas coisas aparecerem, essas podem ser meras paisagens, ou personagens conversando e assim uma história sendo apresentada.

Não pude deixar de notar o quanto esse jogo tem um toque lovecraftiano, em especial as obras do ciclo dos sonhos combinam muito, isso porque há um ar onírico em toda parte, e ao mesmo tempo um toque mais sombrio, é uma mistura constante de beleza e horror. Há vastos campos como Lovecraft costuma tanto descrever, mas também templos, símbolos antigos e artefatos, além de seres gigantescos presentes simultaneamente em múltiplas dimensões, conhecidos como "Ancient Creatures", tornando inevitável pensar nos Mitos de Cthulhu.

O gráfico é realmente uma beleza, ele parece ter sido pensado em um "O que seria o mais próximo do fotorealismo na época da geração 8 bits?", isso porque é notável que são sim gráficos bem pixelizados, mas tudo tem uma movimentação tão bonita e detalhes tão incríveis, que o que parece é que pegaram uma cena real, fotografaram, diminuíram a um tamanho minúsculo, esticaram e então retocaram. Digo isso porque é lindo de se ver, por mais que sejam gráficos "feios".

Enfim, fica aí a dica de jogo muito belo que certamente vai atrair aqueles que gostam de obras bastante atmosféricas. Quem se interessar pode dar uma conferida no site oficial de Qora.

Postar um comentário

0 Comentários