Ancestors Legacy | Presencie o caos das batalhas na Europa Medieval

Sem sombra de dúvidas a Era Medieval conseguiu encantar demais o mundo e dela surgiram várias obras fantásticas, desde filmes como O Senhor dos Anéis, até jogos sombrios como A Plague Tale. Porém além de inspirar universos fantásticos, a própria era medieval conseguiu impressionar com sua brutalidade. E Ancestors Legacy tem foco em simular as batalhas mais brutais.



Aqui são apresentados vários povos, com campanhas próprias, sendo eles os Alemães, Eslavos, Anglo-Saxões, Vikings e Sarracenos. Exceto por esse último povo, todos os outros tem duas campanhas em tempos diferentes. E assim você atravessa jornadas em ambientes brutais, com muita chacina e vilas queimadas.

Caso você nunca tenha jogado um jogo de estratégia em tempo real, você precisa construir tropas e para isso precisa de recursos que são coletados no mapa. Daí é preciso posicioná-las e saber a hora certa de atacar. Ver pontos de interesse, criar tocais, e assim vai. É realmente um simulador de mestre estrategista.

Ao contrário do que possa parecer, esse não é um jogo como Age of Empires 2, pois ao invés de ser focado em construções, ele é mais focado nas batalhas, com áreas pré-definidas para serem usadas como bases e podem ser capturadas ou perdidas, além disso as construções disponíveis já tem lugar certo para serem colocadas. Então ele é mais parecido com jogos como The Battle for Middle Earth, com a pancadaria rolando rapidamente.

Nas construções existem algumas coisas como construir unidades novas, fazer melhorias, criar abrigos para aumentar a quantidade limite de unidades, e etc. Mas não são tantas opções. Lembra bastante algumas fases de Warcraft 3. Aquelas em que você controla heróis e sai por aí fazendo missões. Aqui o foco é mais ou menos esse.

Achei bacana tem alguns elementos de emboscada. Você pode montar armadilhas e colocar em locais onde sabe que inimigos vão passar, seja uma entrada de um acampamento, seja uma área em que estão fazendo patrulhas, além disso existem matos em que é possível se esconder para fazer emboscadas.

Algo muito bacana é que existem punições por ataques pelas costas, e assim vale a pena montar estratégias. Fazer coisas do tipo colocar guerreiros de um lado e de outro de uma estrada, escondidos na vegetação e então atacar pelos dois lados é muito legal. E o melhor é que o contrário pode acontecer e às vezes você vê algo super bacana no cenário, vai lá pegar e de repente uma tropa te cerca.

Existem algumas unidades especiais que você pode ativar determinados poderes, e elas também são muito mais fortes que soldados normais. Além disso tem tropas, e essas quando você cria não é uma por uma das unidades, mas sim grupos, se a barra de vida do grupo morrer, o grupo inteiro morre. É possível também melhorar a armadura a até dois níveis, mas a unidade fica mais pesada também. 

Existe também o sistema de nível de unidades, tanto para os heróis quanto para os grupos normais. Você pode esquecer entre melhorar ataque, defesa ou vida. É tudo bastante rápido já que é dentro da partida, à medida em que lutam, você vai melhorando. E é possível armar um acampamento de cura para recuperar as unidades após batalhas, mas se elas morrerem você não recebe benefícios, sendo assim é bom cuidar bem de unidades que já estão fortes.

O ambiente e design em geral é extremamente atmosférico. Chega a ser estranho, pois já apareceram ambientes medievais tantas vezes, e especialmente um com foco mais realista deveria ser super padrão, porém existe um toque exótico estranho que me faz sentir em uma das obras do Robert E. Howard, tipo A Sombra do Abutre. É bem maravilhoso o visual.

Algo inclusive que consegue se destacar ainda mais, é o fato de que você pode ver as batalhas de perto. Isso me surpreendeu demais, pois no começo do jogo aparece uma invasão começando com os guerreiros dentro de um navio, indo no mar, depois descendo, toda uma coreografia. Eu pensei que seria algo só temporário, pois o gráfico tava tão lindo.Então fiquei abismado quando de repente a câmera se afastou pra cima e já dava pra controlar.
É tudo muito bem detalhado de perto, a destruição dos ambientes, o povo correndo. É muito legal, apesar de que em meio ao caos tem alguns personagens que parecem meio bugado, mas no geral é tudo muito bacana. Pessoas pegando fogo em construções. Soldados ensanguentados, e inclusive o som caiu muito bem.

Infelizmente nem tudo é maravilha nesse jogo, e infelizmente o maior problema (ao meu ver) está exatamente no combate, que bom... É meio chato... Infelizmente é meio tediosa a coisa. Você manda o ataque, os personagens ficam atracados e leva um século pra terminar. Você fica assistindo e o controle não é muito direto. Tem o botão de recuar, mas agora se só clicar longe, eles não vão e isso somado à demora em se matarem faz bater aquela sensação meio de que "Nossa... Nunca acaba né?".

Não digo que todo mundo vá detestar, pois acho até tolerável a coisa, ainda mais no singleplayer que tem coisas além do combate, como incendiar uma aldeia para chamar a atenção de soldados e você atacar outro lugar enquanto eles saem. Porém com o tempo vai enjoando um pouco ficar usando essas mecânicas.

Acredito que é o tipo de obra que acaba caindo melhor para quem consegue mergulhar na atmosfera medieval e esteja mais ligado à narrativa da coisa, pois pode dividir um pouco o público em geral, especialmente os que já são fãs de estratégia e com um visual bonito desses certamente criam expectativa para ver também uma mecânica bem gostosa.

Enfim, é um jogo divertido, mas o combate meio chatinho acaba tornando a experiência cansativa. Alguns com certeza vão conseguir digerir numa boa, mas na certa tem quem não vai passar da primeira fase. Recomendo sempre dar uma olhadinha no preço dele na Greenman Gaming antes de comprar na steam, algumas vezes os preços deles estão bem abaixo do normal, e sempre lembre de olhar os cupons de desconto que eles espalham pelo site, que deixa a coisa mais barata ainda, dê uma conferida aqui.

Comentários