The Lord of the Rings - The Battle for Middle Earth

Depois de três anos seguidos de Senhor dos Anéis, foi um tanto esquisito ter um ano sem ter o filme nos cinemas, bateu um vazio enorme para muitos que estavam acompanhando. Afinal foi uma trilogia grandiosa e tudo mais.

No entanto a EA preparou uma surpresa lançando o jogo The Lord of the Rings: The Battle for Middle Earth, eu vi o jogo como um jogo de luxo, daqueles que foram super caros para serem feitos e que tem uma aura de grandiosos, afinal não se tratava apenas de um jogo baseado em um dos filmes, mas sim de um jogo que mostrava do começo ao fim as guerras da Terra Média.

Bom, eu tenho que assumir que na época joguei e acabou não dando muito certo, primeiro porque o jogo era pesado demais pro meu computador e dava uma agonia ver rodando lento, a segunda é pelo fato de que não era exatamente o que eu estava esperando. Era um jogo de estratégia mas eu queria algo do tipo Age of Empires 2 com gráficos em 3D, mas não foi bem o que tive.

O jogo segue um estilo de estratégia mais puro sem muita influência CMS, sendo assim você não pode escolher o lugar onde vai construir as coisas, existe um lugar onde se tem um espaço que você clica e pode construir uma fortaleza, daí surgem os muros e ao redor alguns círculos onde você pode clicar e escolher a estrutura que quer que apareça ali. Eu não tenho certeza do motivo que fizeram dessa forma, se era pra ser um jogo de estratégia pura ou se era pra dessa forma fazer com que as fortalezas tivessem um estilo sempre parecido com a do senhor dos anéis, com muros já pré definidos e espaço limitado dentro para se construir as coisas.

Mas bom, o tempo passou e depois que assisti o Hobbit, fiquei com vontade de jogar algo que se passasse na terra média e assim escolhi Battle for Middle Earth, e joguei pra valer. Eu me diverti pra caramba. Relembrei dos filmes do senhor dos anéis e foi um ótimo momento as jogatinas, me adaptei ao estilo do jogo e foi bom liderar exércitos enormes para atacar os inimigos.

O jogo te permite fazer duas campanhas, uma que você controla as forças do bem e em certos momentos pode fazer escolhas que mudam levemente a história do Senhor dos Anéis, como salvar personagens que morrem. E a outra campanha te coloca do lado do mal e aí você pode reconstruir completamente a história.

Jogar do bem é nostálgico, mas jogar do mal na minha opinião é quando as coisas ficam realmente divertidas, é muito bom assassinar os heróis hehehehe. E por falar nisso em algumas fases você controla heróis mesmo, e esses ganham nível, ao estilo Warcraft 3, é lindo demais usar as habildiades desses heróis e ver tropas voarem com o estouro.

Agora uma coisa que não gostei nem um pouquinho foi da inteligencia artificial do jogo, nossa ela me fez passar uma raiva imensa. Se você manda uma tropa pra algum lugar, na maioria das vezes se tiver um inimigo perto elas não atacam automaticamente, imagina que frustrante estar comandando de um lado e ai voce vai do outro ver as tropas e estão lá paradas tomando flechadas quietinhas quase morrendo já.

Mas o jogo como um todo é um ótimo passa tempo para fãs de senhor dos anéis que quiserem se sentir passeando pela terra média e liderando as tropas para cada uma das batalhas. Só que se você procura por um jogo de estratégia mais flexível, esse não é das melhores escolhas.

Comentários