Como Far Cry 5 poderia ter sido muito melhor...

Eu comentei na matéria sobre Far Cry 5 que me decepcionei com a forma que a história do jogo foi conduzida, no entanto não consigo deixar de lado a frustração que acho que foi a história, além de que os próprios elementos do jogo parecem ter sido mal aproveitados ao extremo. Restou apenas a frustração em ver a grandiosidade da coisa, mas sem ter sido aproveitada de verdade. Então vou compartilhar com vocês alguns dos elementos que acho que poderiam ter sido melhor aproveitados. Tem spoilers.



Como falei na matéria anterior, o teaser inicial do jogo me fez pensar que seria uma obra muito mais intensa, com um clima pesado. Algo que certamente alguns criticariam, mas se você olhasse o próprio Far Cry 1, veria elementos de terror ao vagar pela mata fechada e ouvir o som das criaturas que vagavam pela ilha.

Far Cry 5 é um parque de diversões assim como os outros, coisa que é bacana especialmente para quem entrou em contato com a franquia pela primeira vez através deles, no entanto pra quem já jogou os outros, incluindo os spin offs Blood Dragon e Primal, é fácil reconhecer os mesmos elementos que já foram vistos anteriormente, só que adaptados para um ambiente novo.

Aliás, até com menos elementos em alguns aspectos, pois tem coisas que eu achava extremamente divertidas e não consegui me prender nesse jogo. Um exemplo são as invasões de bases, que se por um lado era um trabalho preguiçoso da Ubisoft, em que você repetia inúmeras vezes, por outro era muito divertido.

A sensação de se esconder, de brincar com os inimigos dentro da base e ver o caos acontecer era maravilhosa. O cooperativo de Far Cry 4 era limitado a fazer esse tipo de missão, o que era uma droga, no entanto era simplesmente divertido demais fazê-las. Sendo assim foi impressionante não ter a mesma sensação em Far Cry 5 que é coop em todos os aspectos, permitindo jogar missões da história.



Zerei com um amigo e simplesmente não tive aquela sensação tão divertida em uma invasão stealth, a sensação de ter verdadeiro controle sobre os inimigos. Continuou sim sendo atraente invadir bases, mas eu não tinha mais aquela vontade que dava em Far Cry 4, de enfrentar bases difíceis para ver a coisa realmente pegar fogo.

E as armas? A sensação é de que você usa arma de pressão em tudo, é meio horrível ter que dar três tiros em um peru pra ele morrer né? Isso sem contar com os múltiplos tiros na cabeça de alguns inimigos e eles continuarem vindo em sua direção pra atacar. Quando você entra na loja aparece um menu grandioso como se tivesse muita opção, o botão de comprar balas leva quase metade da tela e você tem que clicar nele pra abrir a outra tela onde tem um único botão "comprar balas".

E os upgrades? Você tem pouquíssimos acessórios pras armas, e nem são todas que suportam acessórios. É bem triste em pouco tempo você estar com suas armas definitivas, podendo resolver trocar por outra mais pra frente, mas sem muito ânimo pra isso, no geral parece que não estavam afim de colocar coisas que te fizesse sentir que tá com novidade.

Lembra como era gostoso sair para caçar animais? Pegar peles de determinados pra dar upgrades em diversas coisas como bolsa de armas? Aquilo era demais não acham? Dava realmente vontade de ir a uma região para localizar um bicho. Aí decidiram que em Far Cry 5 eles só serviriam para pegar a pele e vender, você não tem motivação pra caçar.

Por um lado eu entendo, os outros eram em ambientes onde você precisava se adaptar à coisa, não dava pra comprar uma bolsa de armas e outros acessórios (Não que dê nesse), mas ao menos poderiam ter usado a caça para dar outros benefícios. Quero dizer, é uma área rural, poderiam colocar utilidade.

Imagina sei lá, você poder pendurar as peles em estabelecimentos e ir deixando ele cada vez mais bonito com animais empalhados ou algo assim. Quem sabe caipiras que só passassem a te respeitar quando provasse seu valor e você precisasse ter um colar de dentes para ter acesso a uma comunidade em uma parte do mapa.

E os upgrades? Acho que no fim das contas só existem dois upgrades reais no jogo, o de usar wingsuit e o de usar o gancho. Colocaram coisas tanto upgrade inútil, que você não procura o melhor upgrade pra gastar seus pontos, você procura o menos horroroso. São coisas do tipo "Nade mais rápido", mas sinceramente pra que se não tem nada pra fazer na água além de pescar?

Outro quesito bem horrível viu? Tem muita água no jogo, mas não tem nada lá! Em outros tinham jacarés, piranhas, tesouros submersos. Nesse é só água mesmo, você pode pescar, mas não tem muito motivo pra isso, só vender mesmo, acaba desanimando um pouco a novidade, a Ubisoft poderia ter aproveitado.

Quero dizer, se a mecânica já estava pronta, por que não fazer algo maravilhoso com ela? Afinal de contas o mais difícil era exatamente criar o sistema de pescaria, não? Por que não ir além? Dava pra por um verdadeiro novo mundo de pesca dentro do jogo, mas se limitaram a realmente só tacar a pescaria ali e é isso aí...

Eu penso que poderiam por um monte de pescadores espalhados por pequenas cidades em bares e lojas, onde você poderia conseguir informações sobre os locais onde tem determinados tipos de peixe que você está procurando. Poderia rolar algo do tipo um festival do peixe e você ver o tempo passando até o festival, caso queira pescar mais que outros competidores, quem sabe ver uma ficha mostrando o nível deles? Ou mesmo poder trapacear e ir até onde pescam e tacar uma granada kkkk.

Imagina uma missão de festival do peixe em que os vários pescadores das redondezas se reúnem em um "pesque e pague" e você compete diretamente com eles? E imagina como seria mais atmosférico ainda se todo mundo falasse do "grande festival", até chegar o dia e ter muita festa, confetes e tal, pra de repente no meio da alegria os edenetes invadirem o lugar e transformarem tudo em desespero, pro outro dia amanhecer cheio de mortos e pessoas com um rancor imenso?

E por falar em missões, eu me surpreendi da Ubisoft ter se dedicado tão lindamente a Assassin's Creed Origins com essa ideia de "Não vamos fazer missões repetidas, vamos ficar um ano sem jogo pra apresentar algo lindo no ano seguinte", mas em Far Cry 5 não ter seguido a mesma regra e ao invés de variar, construir algo com um super potencial, mas não aproveitar.

Por exemplo, a estátua GIGANTESCA do Joseph é uma das coisas mais ridículas que vi no jogo, eu sei que ela impressionou muita gente, mas convenhamos, ali é a roça né galera? Todo mundo é caipira na bagaça, aí fazem uma mega estrutura daquelas? Acho que nem ao menos tem muito a ver, até parece que o Joseph deixaria criarem uma imagem de idolatração a ele daquele tamanho, ele é contra pecados e não seria egocêntrico.

Ao meu ver, aquela estátua não foi colocada ali porque a Ubisoft quis seguir o roteiro de como o Joseph demonstra ser, mas sim porque pensou "Poxa, Far Cry 4 é cheio de coisas excêntricas, e o novo vai ser só mato? Vamos por algo diferente", e resolveram tacar ao menos uma estátua enorme pra impressionar os jogadores.

Mas se colocaram aquele trabuco ali, ao menos que aproveitassem né? Imagina que maravilhoso seria se tivessem missões envolvendo esse lugar, até que em um certo momento do jogo, você entrasse em um combate e aí ela começasse a ser destruída? Seria uma surpresa se ela aparecesse várias vezes, tipo em um dos momentos que você é sequestrado ou algo assim, e só mais pra frente caísse.

Ao invés disso o que fizeram? Na primeira vez que você coloca os pés perto da estátua, o cara já te fala pelo rádio "Olha, essa estátua gigantesca é oca, dá pra destruir tá? Pega as bazucas que estão aí do lado e destrói, tá bom?", aí você vai lá, pega e começa meter bala, detona com o negócio já de imediato, fim!

Sério mesmo? A Ubi tacou um bagulho chamativo desses no mapa pra assim que você chegar perto, já explodir? Deu até uma certa tristeza, poderiam ter alguns momentinhos que tornassem o lugar marcante, não sei... Algum ritual sendo feito... Talvez você preso naquela área por um determinado tempo no jogo, algo que tornasse o lugar especial, não um balão de água só esperando você chegar com a agulha.

E por falar em locais, tá aí algo que eu adoraria ter visto mais nesse jogo. Cidadezinhas... Eu queria poder viajar para regiões e saber que determinados personagens estavam lá, com coisas diferentes. Seria legal poder viajar em uma caminhonete para fazer entregas, levar personagens em segurança, tentar passar por um bloqueio pra acessar um lugar, e etc... Seria ótimo!

Mas na real não tem lugares marcantes no jogo, não tem comunidades... Tem pontos de interesse que você recupera pro povo ficar, locais pequenos que não dá vontade de voltar nunca mais. e você só aparece de novo se tiver que pegar uma missão lá ou estiver passando por acaso e quiser ir em um vendedor.

Eu queria que tivessem colocados pequenas comunidades com pessoas ligadas entre si. Se colocassem missões alternativas com problemas comuns como uma briga entre personagens ou quem sabe um casal de jovens apaixonados, algo que fizesse você ter que ir em uma cidade e outra. Tipo um marceneiro que brigou com o fornecedor de madeira na outra cidade porque esse pensou que ele fez algo que você não fez.

Aliás, umas missões investigativas cairiam bem, viu? Entrar na floresta pra procurar rastros de pessoas desaparecidas, ou evidências que indiquem que alguém esteve ali, ganhar confiança de alguém para que essa pessoa te dê acesso à casa para você investigar o quarto de algum familiar que faleceu ou qualquer coisa do tipo. Seriam elementos possíveis dentro do jogo, mas no geral o jogo é todo muito bruto, muito "mate todo mundo!".

Até mesmo os próprios edenetes não parecem ter tido atenção, quero dizer... Cadê os cultos religiosos? Um monte de fanáticos e você não encontra eles fazendo rituais por aí? Só encontra eles com reféns, mas agora uma igreja com um monte deles celebrando ou algo do tipo, eles simplesmente não colocaram, e é uma ideia até óbvia, afinal são fanáticos ou um monte de psicopata? Porque até falam como psicopatas "Você não merece ir para o céu!" "Você irá direto para o inferno!".

Acho que faltou MUITO ter um toque mais dramático, mostrar o que essas pessoas passam, o jeito que veem as coisas. Mas parecem ser só bandidos temáticos, que ao invés de mandar você ir se foder, falam que você nunca vai encontrar Deus. Não convence nada... Parece os capangas do Coringa, que se vestem de palhaço só porque o chefe é assim.

Eles até falam sobre a lavagem cerebral que essas pessoas passaram, mas na prática, ninguém parece traumatizado e maravilhado com Deus, parece ser só um monte de gente com metralhadoras pronto pra te fuzilar. Acho que cairia muito melhor eles ficarem pedindo pra você desistir e entender o que estão fazendo, meio que uma sensação de implorar para que pare e que não querem fazer isso com você. Acredito que teria mais a ver com a proposta do Joseph.

Me surpreendeu Joseph ser um personagem bem trabalhado, eu imaginei que ia ser só mais um maluquinho que quer mostrar que é muito louco e parece um personagem vilão de anime dando gargalhadas lunáticas. Mas a Ubisoft fez um personagem extremamente sólido, ele não é corrupto, ele acredita naquilo, e fala com uma calma incrível, um jeito profundo. É notável que o personagem se pronuncia com amor e piedade, ele quer te fazer acreditar, pra isso eu bato palmas pra Ubisoft.

Por outro lado, não adianta muito fazer um vilão com uma visão tão intensa e não colocar isso no resto dos fanáticos. Seria muito mais legal se isso mexesse com o jogador, lutar contra os fanáticos fizesse bater aquela sensação de "Será que eles estão certos?", pois a visão de Joseph é que ele faz aquelas coisas por uma causa maior, e consegue mostrar bem a paz de espírito, ele não tem ódio do seu personagem, ele tem pena porque não consegue ver algo além da vida mundana.

Os "anjos" que são aquela galera que enlouqueceu por overdose de "bênção" causam horror na população, mas isso não é mostrado, imagina que fantástico seria mostrar um ambiente sendo atacado por eles e o medo das pessoas, presas nas casas? Acho que as primeiras aparições deles poderia ter um toque mais pesado.

O mundo de Far Cry 5 é um ambiente que tinha potencial para parecer vivo, com pessoas vivendo suas vidas reais e fanáticos religiosos por aí, apavorando tudo. Seria muito bom libertar comunidades, mas de repente surgirem ataques, quem sabe ver uma comunidade inteira ser destruída? Imagina que maravilhoso você visitar um ambiente várias vezes e em um dos ataques o lugar sumir do mapa?

Tá aí outro elemento preguiçoso do jogo, eu queria que tivessem mortes significativas. Você não cria laço algum com personagem nenhum. Seria muito bom ver personagens te ajudando e esses morrerem. Pra você lamentar a perda de um personagem, é preciso gostar dele, caso o contrário não adianta fazer draminha como se o jogador fosse chorar se o jogador não tá nem aí.

O pior é que adicionaram uma penca de personagens que te ajudam, imagina que maneiro não seria ao invés disso, colocar um que te ajudasse de verdade? Entrasse em lugares atrás de você pra te ajudar, pedisse pra você fugir enquanto segurava edenetes, tivesse cutscenes dele conversando com você sobre coisas tranquilas, tipo um bom fim de dia com missões feitas, e aí sim em um certo momento, morresse. Isso sim seria marcante.

Aliás, seria marcante e perfeito para te fazer criar também um laço com um dos vilões, porque os melhores vilões são aqueles que você odeia, que você tem vontade de derrotar. E se colocassem um deles assim, seria muito mais empolgante, muito mais satisfatório. Agora não... Tacam morte de personagem que só ficou parado o jogo todo dizendo "Tenho uma missão! Vai lá!" e querem que alguém ligue?

Acho que o que faria essa história ser fenomenal seriam pontos de impacto, e perdas não precisam ser exatamente de personagens fodões, até personagens fracos que conseguissem demonstrar bondade real com o jogador acabam já sendo o suficiente para se ter um carinho maior e lamentar se ele morrer em algum momento.

Por exemplo, poderia ter uma comunidade aterrorizada por edenetes e que todo mundo obedece, e em algum momento você está fugindo por lá, e todos entendem sua causa, mas ninguém quer ajudar, e um velhinho te vê e te chama pra te esconder. Talvez esse velhinho mais pra frente faça outras coisas bacanas, tipo te convide pra jantar com a família dele, ou em algum momento em uma área remota você esteja sem algo necessário e ele apareça cansado, dizendo que sabia que você ia precisar disso.

Esses são os detalhes que vão te fazendo criar afinidade, e seria bom se a Ubisoft fizesse isso com cutscenes e não o personagem lá parado durão falando enquanto você sai por aí saltitando. Muitas vezes o jogador para de prestar atenção porque é cansativo um personagem parado ali o tempo todo sem fazer nada além de falar eternamente.

Eu entendo o fato de terem poucos vilões, são apenas quatro, mas seria muito mais fantástico se fossem mais áreas e com vilões próprios, afinal de contas o jogo é cheio de simbologia e referências, creio eu que seria muito mais incrível se fossem 12, até porque a própria divulgação do jogo é uma referência à santa ceia. E a Ubisoft já mostrou que consegue fazer uma penca de vilões bem diferentes e interligados, é só ver Ghost Recon Wildlands.

Mas beleza, dá pra engolir essa crítica desde que eles pegassem os quatro vilões e trabalhassem de forma impecável. Porém infelizmente não é bem isso que acontece... Dá pra dar uma colher de chá para Faith e Joseph, porém John e Jacob parecem até protótipos, em comparação a Faith o desenvolvimento deles é bem superficial.

John é o garoto propaganda do portão do Eden, o rosto que aparece na TV, e também aquele que batiza geral. Ele é bem irado e é um mega playboy visualmente, coisa que acho que é bem nada a ver pra o lugar onde eles vivem e o que pregam. É estranho os edenetes parecerem mendigos e John parecer um baita cara fashion.

Esse é um personagem que você simplesmente não cria ligação, é como se fosse a representação dos personagens doidos do resto do universo de Far Cry. Ele só parece estar ali pra dizer que tá irado e que quer matar todo mundo pra resolver os problemas. Eu penso em como as missões poderiam ter sido mais bem boladas.

Imagino você em um lugar tipo um bar cheio de habitantes locais armados e frustrados, falando que só querem que aquilo acabe e do nada a TV liga e ele aparece fazendo uma proposta, dizendo que quem levar ele vivo, estará livre ou deixará aquela comunidade em paz. Penso em como poderiam colocar ele fazendo propagandas frequentes que se você for pego, as coisas irão melhorar, confundindo as pessoas.

Pense em como seria maneiro a atitude dos moradores ser hostil a você enquanto John estivesse vivo? Imagina alguns tentando te ajudar e você perdendo esses aliados? Ver eles serem sequestrados e mostrados na TV? E até mesmo jogando a culpa em você pelo o que aconteceu com certas pessoas? Tipo imagina você ter uma única base na floresta, com um pequeno grupo que acredita em você e isso te faz voltar pra lá várias vezes seguidas, mas em uma da missões com o líder que te acolheu, ele é sequestrado, morto e quando você volta, descobre que a culpa foi colocada em você, como se o tivesse traído pra tentar se safar?

A mecânica do jogo já foi criada, só faltava a Ubisoft resolver usar essa mecânica de um jeito intenso ao invés de só "corra e mate". Seria muito bacana ver um John que te faria lembrar, que te faria querer matar ele pro ambiente ficar menos hostil. Mas não, basicamente o John é o gatinho propaganda com um brinquinho fashion, um oclinho de playboy e que não gostou de você tá enchendo o saco, por isso quer te matar.

Jacob é outro com um potencial imenso pra uma história dramática e intensa, mas que no fim das contas foi adicionado de forma preguiçosa. Ele é um militar e acredita verdadeiramente que o mundo está acabado, que é preciso que alguém mude as coisas porque é óbvio demais, os mesmos erros sempre cometidos.

A ideia de lavagem cerebral é interessante, e colocar a música "Only You" do grupo The Platters para você entrar em transe toda vez que toca foi bem genial. A letra dela tem tudo a ver e quando o próprio Jacob canta pra você, deixa claro que não foi escolhida ao acaso, mas tem a ver com o desejo do próprio personagem de mudar, de ver um mundo maravilhoso que só os que veem poderão chegar lá, o trecho "Apenas você é capaz de fazer esse mundo parecer certo" tem tudo a ver.

E observando esse desejo tão intenso do personagem em mudança, ele poderia ter a trama mais dramática do jogo. Essa ideia dele morrer tentando alcançar seu sonho acaba soando bonita pra caramba. Seria lindo ver a morte dele com a caixinha de música tocando Only You caída no chão e algo que te faça sentir bem que ele tinha um ponto, não era só um maluco.

Ao invés disso temos repetidamente a cena de você entra nas fases chatíssimas vermelhas em que é só andar e matar soldados repetindo "matar, atacar, detonar" ou qualquer coisa do tipo. Eu sei que representa a lavagem cerebral, mas meu... Parece mais um trabalho preguiçoso com essa desculpa, se ao menos fossem fases legais, mas andar e atirar? Sério?

Os próprios momentos em que você é capturado por Jacob poderiam ao menos te enrolar né? Participar de momentos agoniantes, fazer escolhas traumáticas na marra, sentir o horror que se passa. Mas você só era sequestrado pra entrar na fase chata de matar geral e logo depois sair correndo da base. Chato demais!

A Faith eu achei perfeita, não tenho do que reclamar. Ela sim trabalharam bem, a ideia de alucinar toda vez que você entrava em plantações de "bênção", era interessante pra caramba, assim como ver um gambá e ao atirar nele, descobrir que na verdade era um urso. As cenas com ela então, realmente era algo diferente, coisas muito loucas, até o combate final se diferencial e estendeu de forma linda. Não foi só um "Parabéns, você matou o chefe!" igual com os outros dois, teve o antes e o depois. Queria que os outros tivessem sido bem trabalhados como ela.

Já Joseph, apesar de eu bater palmas por terem feito um personagem sólido (e não mais um Vaas Montenegro ou Pagan Min), é um personagem que você não tem missões diretas durante o jogo todo e é meio desanimador isso. Seria legal poder interagir mais com ele, criar um laço com o vilão. É possível vê-lo ao matar cada chefe, mas ao meu ver não foi o bastante.

Eu queria que tivessem missões como "Dizem que Joseph vai estar em tal lugar, vamos preparar uma cilada!", ou mesmo coisas intrigantes, como você estar em uma missão sem armas, em um lugar cercado por lobos, e Joseph te salvasse. Ele é um personagem que quer te manter vivo e te converter, e seria legal poder vê-lo mais, se sentir confuso.
E por falar em conversão, tá aí outro ponto que eu nem acredito que a Ubisoft não fez, converter algum personagem relevante. Tá certo que foi interessante o momento da Faith, mas aquele cara aparece no começo do jogo só, você não vira amigo dele. Eu queria ter visto alguém que lutou ao seu lado de verdade de repente ir pro outro lado e tentar te convencer de verdade.

Esse é um jogo que realmente precisava da sensação de tentação em ir para o lado dos edenetes, seria maravilhoso poder fazer algumas escolhas no meio da treta e ver a coisa parecendo cada vez mais atraente. A escolha do fim do jogo com "Lute comigo ou vá embora com seus amigos" chega a ser vazia, a curiosidade é mais em ver o que acontece do que existir algo de atraente de verdade em ir embora.

O mais engraçado é que o jogo poderia ser atmosférico ao extremo e em certos pontos você vê isso bem. Lembra do começo? Meu... Como é que fazem um começo maravilhoso daqueles e não conseguem levar a coisa em frente? Você andando no meio daquela galera de fanáticos, a escolha entre prender ou não Joseph, e quando o vai carregando, aquela sensação de que a qualquer momento tudo vai desabar e a multidão vai te atacar. E então o helicóptero, o cara entrando na hélice, aquilo foi cinematográfico!

Como é que fazem um começo empolgante daquele e não colocam essa intensidade no resto do jogo? Tava tudo lá, só precisavam colocar os elementos do jeito certo. Imagina ter múltiplas cenas intensas como aquela pelo jogo inteiro, que coisa maravilhosa? Mas parece que a Ubisoft fez tudo com medo de matar personagem ou fazer decisões grandes na trama, como se tivesse medo de no final não ter um "E viveram felizes para sempre!" e aí não queriam mudar nada definitivamente no cenário (Fora a estátua gigante, que foi a única mudança permanente, e desnecessária pra caramba).

As músicas também não ajudam muito, ao invés de um foco forte em música country, os caras colocam uma penca de rock radical e músicas que não te faz sentir em um ambiente caipira, mas em uma baladinha adolescente. Sacrificaram atmosfera para fazer o lugar parecer mesmo um playground com bazucas e tiroteios ao som do rock n' roll.

O próprio visual do jogo poderia ser mais atmosférico. Eu citei que imaginei que o ambiente seria algo parecido com Resident Evil 7, e eu queria muito isso... Imagino ver fanáticos e ter medo deles, imagino pessoas se vestindo com roupas simples ao invés de parecer um desfile de modas com gente fashion pra todo lado.

Somente os edenetes parecem realmente se vestir como caipiras, os outros parecem mais hipsters usando camisa xadrez para dar um toque diferenciado do que alguém que vive de forma simples de verdade, salvo um ou outro.

Enfim, Far Cry 5 é um jogo maravilhoso, divertido pra caramba e capaz de gerar horas de diversão cooperativa, mas é bem difícil não notar o desperdício de potencial. Tem muita gente que tem ideia grandiosa e não faz porque não pode, mas no caso desse jogo todos os elementos já estavam lá, a mecânica já tava pronta, mas infelizmente não usaram ela pra tornar uma história épica e com elementos inesquecíveis. Mas claro, isso é uma opinião pessoal, e vocês, o que acham?

Comentários

Alguma Coisa disse…
Realmente,eu acho que faltou em far Cry 5 um elemento chave chamado atmosfera,coisa que tinha em muito em Far Cry 2 e 3.
Paulo Rian disse…
Outra matéria muito boa, eu tô sentindo muita saudade das matérias de terror de antigamente como a vila do Chaves, a de como invocar o demonio etc gostava muito delas
action games disse…
Ótima matéria. Realmente ficou muito bom mesmo.