Boo! Greedy Kid | Mate e roube velhinhos nesse jogo!

Esse é um jogo que primeiro testei ao vivo no Twitch do Nerd Maldito, e tem uma proposta um tanto do mal, ao mesmo tempo é fofinho e engraçado, mas quando você para pra pensar, nota que é quase subliminar a ideia presente, já que não tem diálogos escritos, mas ao observar os acontecimentos você vai notando que é o tipo de obra que faz os politicamente corretos pirarem.



A história é meio obscura, você controla um garoto que quer dinheiro pra doces, mas um homem que parece ser seu pai não dá, isso faz com que ele solte um grito tão alto que o cara desmaie, então rouba seu dinheiro. Depois saí por aí fazendo isso com uma série de pessoas aleatórias para conseguir mais e mais dinheiro.

Como disse, o jogo não mostra de primeira do que exatamente se trata, então eu pensava que era só um garoto andando pelo seu prédio, no entanto quando comecei a perceber que as pessoas que você deve atacar são todas idosas e há enfermeiras por toda parte é que notei que o garoto entrou em um asilo.

É aí que as coisas começam a ficar meio bizarras, porque basicamente o objetivo é fazer com que eles tenham um infarto e ao caírem no chão você pega o dinheiro e ao roubar todos os velhos do andar, é só ir até o elevador e seguir para o próximo, onde repete isso. São fases bem rápidas e algo para se passar o tempo mesmo.

Ao ver o trailer eu imaginei que era um jogo de fases grandes, mas você as vê inteira na tela, às vezes dá uma certa sensação de labirinto, já que a estrutura dos lugares não é simétrica, e o que faz você descobrir onde uma porta leva é a cor dela, daí é preciso procurar no cenário onde é a entrada de tal porta e ir até lá.

Existem classes de velhinhos, o que dá um tom bem cômico, como por exemplo o velho na cadeira de rodas que não para de babar, ou a senhora que basta um grito pra ela morrer. No entanto não existem só velhinhos, mas outras imunes a você, como guardas que vão tentar te atacar ou enfermeiras que vão fazer massagem cardíaca e ressuscitar velhos que você matou.

Há também objetos nos cenários em que você pode se esconder, isso acaba lembrando um pouco Neighbors from Hell. Você tem três corações de vida, então é preciso tomar cuidado com os personagens que não são indefesos, como velhinhos que ficam agressivos após o primeiro grito e te tacam a bengala, ou médicos que você grite.

Com o passar do tempo vão surgindo algumas figuras peculiares que tornam a coisa bem mais bizarra, como militares que podem meter um tiro com balas de verdade na tua cara, ou mesmo o Robocop, que é capaz de te dar um tiro tão forte que destrói seu corpo inteiro, ficando uma mancha gigantesca de sangue na parede.

Algo curioso é o fato de que você pode usar seu microfone para gritar e o garoto irá soltar o berro simultaneamente. Infelizmente é uma função que cansa rápido, não é algo bem feito como Resonance The Lost Score, que você usa sua voz nos mais diferentes tons para interagir com o cenário. Na verdade aqui qualquer som que você fizer já serve como grito.

Visualmente o jogo é bastante maravilhoso e tem potencial para estar naquela lista de jogos 2D lindos, isso porque cada pixel foi usado de uma forma muito bacana, dando ótimas expressões e personalidades aos personagens mesmo com a limitação que a quantidade de pixels dá. Toda a movimentação bem feita deixa isso ainda mais agradável.

O som por outro lado é um problema, quando joguei em live, eu não tinha percebido, até que uma das pessoas que assistia citou que tava cansativa aquela música, e já tinha uns quarenta minutos de live com o mesmo toque retro curtindo se repetindo sem parar, e foi então que vi que realmente eles podiam ao menos tentar mudar de música.

Enfim, esse é um jogo que achei bacana eles decidirem por uma história com toque meio subliminar voltado para o lado macabro em uma jogabilidade bastante simplória, isso me lembrou um pouco o que Tesla Vs Lovecraft fez, no entanto realmente é um jogo mais focado em passar o tempo do que te fazer jogar horas querendo zerar.

Comentários