Temporario



Jogos | Séries | Filmes | RPG e Tabuleiro | Animes | Creepypastas | Quadrinhos | Livros | Mapa do Blog | Sobre o Blog | Contato |

sábado, 7 de outubro de 2017

No Heroes Here | Um jogo coop brasileiro frenético

Esse é um jogo brasileiro cooperativo que tem potencial para gerar muita gritaria entre os jogadores, isso porque é extremamente frenético e engraçado, fazendo com que facilmente gere confusão. Ele acabou ganhando destaque mundial por receber o prêmio de melhor jogo indie da PAX 2017. E agora chegou a hora de falar um pouco sobre.


Na história é apresentado um reino de fantasia medieval, onde as forças das trevas se aproximam para destruir o castelo. Felizmente um herói está retornando para dar um jeito nesses bandidos. Só tem um probleminha... Ele morre antes de chegar ao destino. E agora o que resta? Bom... A princesa, o bobo da corte, a cigana e o padre. Todos eles vão ter que se virar pra salvar o castelo!

Como pode ver, esse é um daqueles jogos com uma proposta hilária, e embora o foco não seja na história, a jogabilidade consegue ser realmente divertida. Lembram de Lovers in a Dangerous Spacetime? Aquele jogo em que dois jogadores tem que administrar sozinhos toda uma nave espacial? Pois é, aqui a proposta é semelhante!

Então cada partida se passa em um ambiente fixo, mostrando um castelo. Cada castelo tem formas diferentes, posições das defesas e itens que você pode interagir. E o desafio está exatamente nesses formatos, pois você precisa se adaptar a cada um deles e tentar fazer um trabalho em equipe, mas o nervosismo acaba tudo virar uma bagunça.

Basicamente você tem defesas e precisa abastecê-las com tipos diferentes de munição, cada um causando seu efeito próprio e permitindo que estratégias sejam formadas. Só que é preciso preparar cada uma delas, levando à lareira e à mesa de ferramentas. Só depois disso que você pode finalmente colocar no canhão.

Não bastando isso, para atirar é necessário prova, que também é preciso ser coletada em um barril e levada à mesa de ferramentas para depois depositá-la no canhão. Mas depois de cada tiro ainda é necessário limpar, para só depois você poder novamente colocar mais munição e pólvora. Além disso cada canhão tem seu ponto fixo para tiros, portanto você precisa abastecer o certo para atingir um determinado lugar.

O jogo tem suporte a até quatro jogadores, ele reconhece tanto controle de PS4 quanto controle do Xbox, além obviamente de reconhecer o teclado. Os botões na tela mudam de acordo com o que você escolher para usar como controle. Isso é perfeito para quem for jogar partidas locais, pois pode usar o que tiver.

Uma das coisas que fiquei muito feliz com esse jogo, é o fato dele ter suporte a partidas online. No começo fiquei com medo, pois ele tem um visual que me lembrou um pouco Towerfall Ascencion, que tem a jogabilidade completamente diferente, mas também tem uma proposta super bacana e é viciante, no entanto algo que mata no jogo é o limite a partidas locais. Esse não é um problema que temos aqui!

Nesse jogo você vai gritar bastante e começar a entrar em desespero, é perfeito para jogar com os amigos, mas é importante a comunicação para rolar um trabalho em equipe. Dividir tarefas como "Você limpa, você carrega, você fabrica" ou "Vai fazendo e jogando pra cá que eu faço esse e jogo pro seu lado" são coisas que é bonito de se ver funcionando. Mas a tentação de sair do esquema e correr pra um ponto que tá sendo detonado é imensa.

Enfim, tá aí um jogo bem divertido, e que pode ser ótimo para passar o tempo. Ele tem modo singleplayer em que você aperta um botão pra trocar rápido de personagem, mas definitivamente não é a mesma coisa, além de que é difícil ao absurdo. Então se você gosta de jogos pixelizados, e procura algo pra jogar com os amigos, essa é uma ótima opção!


Nenhum comentário: