Temporario



Jogos | Séries | Filmes | RPG e Tabuleiro | Animes | Creepypastas | Quadrinhos | Livros | Mapa do Blog | Sobre o Blog | Contato |

segunda-feira, 4 de setembro de 2017

Sharknado | Nadar é coisa do passado, a moda é voar!

Tubarões se tornaram símbolo de medo, e vemos várias obras que usam esse nome pra definir agressividade. E tudo isso ganhou realmente a força que tem hoje graças ao filme de 1975, no entanto de lá pra cá passamos a ver tudo quanto é coisa relacionada ao tema, uma mais exagerada que a outra, mas quando você vê usarem um tornado com tubarões é que percebe que a coisa passou dos limites.


Sharknado é um filme que eu tinha há muito tempo na minha lista pra assistir, porém esperava a hora certa, e quando ela finalmente chegou, não tive como negar que era exatamente a bagaceira que imaginava, porém tive algumas surpresinhas em meio a tanta tosqueira concentrada, algo que eu não estava esperando já que parece previsível demais por completo.

Quando fui assistir e vi o nome Syfy no início, tomei um susto, isso porque sempre pensei que esse era um filme do The Asylum, um dos estúdios mais toscos que existem, e que definitivamente é a cara da coisa. Assim, não que a Syfy não seja uma desgraça, mas Sharknado tava muito além no quesito filme trash.

Então fui pesquisar e descobri que foi uma parceria, então o The Asylum realmente produziu e a Syfy ficou com a distribuição. No final das contas acabou sendo perfeito, parece até que esses dois foram feitos um para o outro. Digo isso porque o Syfy é esforçado, mas não tem dinheiro, então lança obras trash uma atrás da outra, já o The Asylum não tem nem o que dizer, pois esse nem se esforça, o negócio é lucrar.

Indo mais a fundo, descobri que o caso de amor dos dois parece ter dado muito certo, pois a The Asylum também ficou com a produção de Z Nation, série que muita gente ama, mas considero uma das piores tosqueiras que já vi na vida e ficar sabendo que tem o dedo desse estúdio acabou explicando muita coisa.

A história é sobre um tornada que chega em Los Angeles, no entanto passa por um monte de tubarões, mas ao invés de matar, os suga e entra na cidade de Los Angeles, inundando tudo, mas também lançando tubarões pra toda parte, que mesmo na situação que se encontram, estão preparados para comer.

Mas bom, acho que a maior surpresa do filme é o fato de que não parece ser um trash proposital. Quero dizer, com uma ideia tão tosca como essa, tava meio na cara que a pessoa fez pra ser filme trash de propósito né? No entanto quando fui assistir, vi que os personagens realmente levam tudo a sério e existe todo um esforço do filme pra mostrar cenas de ação, adrenalina, romance e até drama!

Deixa eu explicar melhor, quando você assiste filmes como Banquete no Inferno e Machete tem personagens exagerados, toscos pra caramba e que forçam. Mas Sharknado parece mais um filme do Uwe Boll, ou seja a sensação é de que o diretor queria que fosse sério e acreditava nisso, mas quem assiste nota que é só o bagaço!

Então vemos personagens falando com a maior seriedade, sem piadinhas. Tem cenas dramáticas, a dor da perda e tal. São colocadas situações de adrenalina como o personagem descendo em um cabo pra salvar um monte de criancinhas em um ônibus escolar e subindo uma a uma, e assim vai. Como se fosse uma aventura cheia de emoções.

Os caras até mesmo se esforçaram, colocando uma explicação lógica para o tornado com tubarões, pra tentar dar credibilidade à coisa. Ele é uma tromba d'água, um fenômeno que realmente existe, inclusive rola no Brasil, é quando ventos muito fortes estão tocando a água e começam a sugar ela. Inclusive pra manter a ideia de que é uma tromba d'água a cidade é inteira inundada. Aqui o fenômeno real acontecendo pra quem nunca viu:


Assustador, não? Pois é, usaram isso como base pra ter uma explicação lógica e não ser apenas mais um filme trash. Obviamente a maioria das pessoas não consegue engolir uma ideia tão tosca né? Afinal de contas tubarões entrando em uma dessas e ainda saindo dispostos a morder todo mundo, é o cúmulo da tosqueira.

Mas não é porque o filme não é trash proposital que só rola cenas que tentam deixar a coisa sólida, o que já era de se esperar, porque se a própria ideia base já é absurda, é lógico que iam surgir umas coisas completamente sem noção em meio à trama, sendo assim grupos de amigos podem dar belas gargalhadas que certas situações.

Por exemplo, toda vez que aparece um outdoor ou letreiro, já saiba que ele vai estourar com um tubarão o atravessando e comendo o infeliz que estiver perto, é uma tosqueira louca. E acontecem cenas sem sentido algum como um monte de velhinhos sendo atacados em uma piscina, daí chega o herói, pega um galão de gasolina, começa a tacar na água e então taca fogo e o negócio explode.

E os efeitos especiais então? Uma desgraça! Aquele tipo de coisa falsa que é capaz de constranger com facilidade qualquer um. Tubarões 3D se batendo no chão ou presos na perna de algum infeliz, que você vê claramente que só tá se debatendo, sem nada realmente preso ali. E os caras nem tentaram disfarçar.

Os diálogos também não são lá dos mais convincentes não, são sérios e tal, mas é algo tão absurdamente genérico que pode dar um tédio imenso. Por exemplo quando a menina começa a fazer drama de que ninguém dá atenção pra ela e só ligam pro irmão. Você fica meio "Sério que vão apelar pra uma tosqueira dessas?" uahahaha.

Enfim, filme ruim pra cacete! Perfeito pra grupos de amigos assistirem e gargalharem ou simplesmente tirarem sarro do nível extremo de clichês usados. Não é algo que é muito gostoso de assistir sozinho não, mas em um momento descontraído com pessoas que você gosta pode ser realmente uma ótima experiência.


Nenhum comentário: