Temporario



Jogos | Séries | Filmes | RPG e Tabuleiro | Animes | Creepypastas | Quadrinhos | Livros | Mapa do Blog | Sobre o Blog | Contato |

terça-feira, 18 de abril de 2017

[Conto] De volta aos bons velhos tempos

De repente você abre os olhos, é algo meio repentino, estava tendo um sonho extremamente realista, tão realista que fica um pouco atordoado. Sabe? É como aquelas vezes em que você sonha que brigou com alguém e se sente extremamente irritado, mas assim que acorda, todo aquele ódio é amenizado, afinal de contas não era real... Ainda assim, foi uma sensação intensa, bastante real. Mas dessa vez é diferente, dessa vez você sonhou com uma versão alternativa de sua vida, em um ambiente tão aconchegante que despertar parece ter sido um evento mágico.



A sensação é que você viu o futuro, que você sabe como as coisas vão acontecer, o ano é 1992 e você tem 14 anos. Seu sonho foi no futuro, um futuro em que todas as pessoas estão conectadas, a explosão da internet deu início a um novo mundo, o acesso às coisas se tornou fácil demais, rápido, sem a necessidade de percorrer imensas distâncias ou fazer ligações caríssimas.

Foi tão real... Você pensa se não teve uma visão do futuro, não é possível que não tenha sido isso. Tudo se encaixou tão perfeitamente. Era tão normal que você nem ao menos percebia o quanto faria falta, se lembra de conversar com seus amigos distantes, baixar conteúdo online, ouvir a música que quiser na hora que quiser.

Apesar disso, nem tudo é ruim. Isso te faz pensar na quantidade de portas que foram abertas. Você sabe de acontecimentos como o ataque às torres gêmeas em 2001, a ascensão da internet nessa mesma década, a vinda de coisas que vão se popularizar. Você sabe que se estudar irá entender bem sobre ações e conseguir investir em empresas que se tornarão absurdamente ricas. Você lamenta por não ter decorado os números da loteria de algum ano, mas como é que você poderia saber?

Os anos começam a passam e você espera pacientemente, sente muita saudade e não vê a hora dos computadores se popularizarem. Existe quem tenha e existe internet no meio dos anos 90, mas não é a mesma coisa, são pessoas diferentes. É algo mais complicado... Você quer ver logo a explosão das redes sociais e a chuva de informações.

Você até deseja ter um computador, mas é algo tão caro e que seus pais simplesmente não conseguem entender. Por que alguém teria um computador? Eles acham que isso é coisa de cientistas, de engravatados. Uma criança não teria o que fazer com um brinquedo tão absurdamente caro. De certa forma eles tem razão, você sabe que o preço é tão caro que seria preciso trabalhar em algo realmente bom, e assim apenas espera o tempo passar.

Quando os anos 2000 chegam, você se sente meio aliviado, a experiência sem dúvidas foi interessante nos anos 90. A vida foi tão mais simplória, a TV esteve muito presente no dia a dia. A quantidade de pessoas que você conhecia era limitada. Em redes sociais haviam aquelas listas e quando não tinha ninguém pra conversar você puxava assunto com alguém distante. Nos anos 90 ligações eram caras e mesmo assim a agenda limitada.

Para seu azar o preço dos computadores não baixa em 2000, continuam absurdos. Isso te deixa chateado, mas sabe que a tendência dessa década é a ter tecnologia cada vez mais acessível, sendo assim não deve demorar muito até que finalmente possa ter o seu primeiro computador e seguir em frente.

Em 2001 você convence os seus pais a comprarem seu primeiro PC, acha engraçado tirar da caixa nova algo que tem uma aparência tão velha pra você. Quando começa a mexer, sente um alívio, sabe que é limitado, mas finalmente é algo seu e sabe que vai pagar as prestações por um longo período, sendo assim valoriza bastante.

Se conectar à internet é bem diferente, você precisa pegar um fio de telefone e conectar na entrada atrás do computador. Você fez questão de pegar o mês gratuito do America Online (AOL) para ter acesso, instala o CD, seleciona sua cidade e aperta em conectar. É dia e você sabe que o preço cobrado será o de uma ligação, mas não quer esperar.

A primeira vez que conecta à internet é como ouvir música, o modem fazendo ruídos altos e esquisitos, até finalmente se conectar. Tenta entrar no google, mas a página não é encontrada, acha esquisito, afinal de contas pensou que ele já tinha sido criado. Tenta então alguns outros sites que conhece e acessa. Tudo muito simplório, mas é simplesmente incrível!

A partir de então você passa a se conectar todos os dias após a meia noite, quando o "pulso" é único e são cobrados apenas alguns centavos para ficar conectado até as 6 da manhã. Claro que você não fica até esse horário, no máximo até as 2, consegue alguns amigos, entra em salas de bate papo. A coisa não é tão intensa, a maioria some depois de pouco tempo, mas ao menos é melhor do que nada.

Em 11 de setembro de 2001 algo te chama a atenção, não há notícia alguma sobre o ataque às torres gêmeas. Você mantém a TV ligada, assiste aos jornais, mas não vê nada. Espera até meia noite e entra na internet, busca em sites de notícias, mas simplesmente não consegue achar nada. Isso te deixa intrigado e te faz começar a pensar se era 11 de setembro mesmo, afinal já fazem tantos anos... Será que era 11 de novembro? Será que era em 2002?

Você fica surpreso quando essas datas chegam e o ataque não acontece, tenta lembrar de mais algum acontecimento histórico, mas nada lhe vem à cabeça. Em 2003 você ainda imagina que pode ser a data, é o máximo que você pensa, afinal de contas 2004 já é quase o meio da década, e sabe bem que foi no início dela.

Algo que te deixa amargurado em 2004 é que o preço dos computadores não baixou, celulares também não são tão populares quanto você lembra. A sensação é sufocante, aquela "magia" de estar nos anos 90 outra vez já não é tão interessante. Você está cansando de assistir televisão todo dia, de seus amigos não terem computadores para conversarem com você, de se sentir isolado em seu apartamento noite após noite.

A partir de então começa a observar com mais atenção tudo ao seu redor, a forma com que o mundo parece estar se alterando de uma maneira diferente. As locadoras continuam muito populares em 2008, DVD's existem, mas a maioria das coisas alugadas são fitas de vídeo. Certa vez você aluga um filme e fica uma hora no sofá apenas olhando para o formato da fita, isso te faz refletir sobre como já assistiu filmes piratas na internet e que a conexão continua discada, tornando impossível esse tipo de coisa.

Em 2010 todas as suas esperanças acabam, o fim da década de 2000 e é como se tudo aquilo fosse mesmo apenas um sonho. Redes Sociais, vídeos, música, jogos... Toda aquela facilidade, todas aquelas pessoas conectadas. Aquilo era tão barato, todos tinham como pagar por aquilo. Mas era uma ilusão, aquela realidade era uma ilusão.

Você assiste mais um filme e no sofá fica pensativo. O mundo não deu um salto tecnológico em 2000, ele anda no mesmo ritmo que andava nas décadas de 70 pra 80 e todas as anteriores... Não aconteceu nada de muito grandioso. Tudo aquilo... Tão avançado... Pensando agora você percebe como mais parecia uma ficção estranha. O filme termina, os créditos passam as linhas coloridas verticais ficam aparecendo na tela por algum tempo acompanhadas de um som agudo, você está preso em 1990 pra sempre.

[FIM]

Autor: Thiago P. Correia

Espero que tenha gostado, se esse tipo de história nos anos 90 te agrada não deixe de comprar meu livro Folhas Secas Daquele Outono.

Um comentário:

samuel de jesus brasil pereira Pereira disse...

Caramba Iscai gostei de mais desse seu Conto, eu realmente consegui me sentir na pele do personagem,fiquei até meio angustiado só de pensar em passar pela mesma situação que ele kkkk.