Temporario



Jogos | Séries | Filmes | RPG e Tabuleiro | Animes | Creepypastas | Quadrinhos | Livros | Mapa do Blog | Sobre o Blog | Contato |

sexta-feira, 6 de janeiro de 2017

Morgan - Uma proposta incrível muito mal aproveitada

Hoje vou falar sobre um filme que foi uma verdadeira decepção pra mim, e que isso doeu um bocado, pois esperava ser algo inesquecível. Esperei o momento certo para assistir e quando fui dar uma olhada, vi que o autor da história parece ter bolado uma base maravilhosa, mas no fim das contas simplesmente não conseguiu conduzir o resto.



A trama apresenta um laboratório isolado onde estão criando uma inteligência artificial orgânica, usando a nanotecnologia para simular um corpo humano e fazê-lo crescer e ficar inteligente da mesma forma. Esse ser é chamado de Morgan e tem a aparência de uma jovem pré-adolescente, apesar de ter apenas cinco anos de idade. No entanto a agência responsável acaba enviando uma pessoa para investigar um incidente violento e talvez desativar o projeto.

Quando vi o trailer desse filme, eu achei fantástico demais! Pensei nas questões filosóficas que seriam apresentadas e como a coisa poderia acabar de uma maneira realmente caótica. Lembro que uma das falas que vi no trailer é "O que você não entende é que Morgan continua evoluindo!". O que acaba passando a ideia de que é uma inteligência que ao invés de parar a nível humano continua a ficar mais e mais poderosa até algo grandioso acontecer, mas eu não consegui achar em cena alguma ele falando isso no filme.

Infelizmente é um filme que comete o mesmo erro de Lucy, só que pior! Ao menos em Lucy nós vemos as coisas acontecerem e a decepção é o fato de que parece um filme vazio, não uma coisa como o espetacular Transcendência, ao invés disso algo que parece nem ao menos chegar a ter um desenvolvimento.

Aliás, o jogo de câmera é terrível viu... Em alguns momentos chega a parecer amador, especialmente em cenas que envolvem carros. Vez ou outra aparece um carro em uma estrada e a câmera acompanhando ele de algum ponto terrestre, chega a parecer que é algum carinha aleatório da internet que tava com a câmera na mão e fez a filmagem. Felizmente as cenas dentro do laboratório tem menos desse problema.

Apesar dos problemas com a câmera, a fotografia do longa é bonita, mas não tem nada de inovador. É aquele filtro sombrio que muitos filmes utilizam, com um aspecto muito cinzento, em algumas partes em que Morgan está sozinha, o filme fica à beira do preto e branco. Nem todo mundo gosta desse tipo de filtro, mas me agrada, só que como falei não é algo que se destaca, já que não é inovador.

Então basicamente o que você vai ter é, um filme que começa super empolgante, com um clima de mistério fantástico, um visual sombrio e tal. No entanto depois disso a coisa vira um filme de chacina adolescente, incluindo gente correndo pela floresta e tudo mais. É só a bagaceira... Não se preocupam em dar um desfecho digno do início do filme, a coisa só dá uma virada brusca pra ação e gritaria mesmo.

Enfim, Morgan é um filme mal aproveitado pra caramba. Quando as coisas começam a acontecer, o filme acaba. Tem atitudes da personagem que você pensa "Nossa, isso foi horrível, mas vai ter uma explicação mais complexa". Só que não, o filme acaba sem nada mesmo, ele até tem uma surpresinha no final, só que é tão pequena que infelizmente não compensa o desperdício de potencial. Vale a pena assistir pela ideia, mas não crie expectativas. Se estiver procurando por histórias envolvendo I.A com alguma profundidade, é melhor continuar com as obras do Isaac Asimov mesmo.


Aliás, vendo de novo agora o trailer, me veio uma coisa a mente... Será que cortaram orçamento? Porque nessa cena em que o cientista é lançado na parede, no filme é diferente, ela não tem poderes, apenas salta por cima da mesa. E como falei, não consegui achar a fala "O que você não entende é que Morgan continua evoluindo!". Então será que a ideia inicial era fazer ela realmente desenvolver algo sobre-humano, mas decidiram que transformar em um filme do Jason caçando e matando adolescentes ia ser mais intenso?

Nenhum comentário: