Temporario



Jogos | Séries | Filmes | RPG e Tabuleiro | Animes | Creepypastas | Quadrinhos | Livros | Mapa do Blog | Sobre o Blog | Contato |

segunda-feira, 30 de janeiro de 2017

A terra em que Deus mentiu - Capítulo 62

Esse é um conto interativo onde após a leitura de cada capítulo, os leitores votam na decisão que o personagem tomará para a continuação. Antes de começar, leia o que veio anteriormente:


Por favor, leiam e apontem qualquer erro de português ou digitação, não precisam dizer em que linha está, apenas escrever o trecho e o acharei, isso garantirá que leitores que venham depois, possam ter uma leitura mais agradável.

Capítulo 62

Gritos de horror podem ser ouvidos pela noite, duas semanas se passaram desde que ela conseguiu retornar à vila e desde então começou a sair todas as madrugadas com suprimentos. Os gritos são de Elium, que todas as noites desperta em meio a pesadelos e se depara com o lugar onde antes tinha o ombro direito.

A guerreira lamenta a perda de Elium, mas não se sente chocada. Isso a faz lembrar de como ela era antes de viver em Xibalba, o acontecimento certamente a deixaria chocada, mas após enfrentar tantos alados e ver tantos aliados perderem partes do corpo ou até mesmo a vida, isso passou a ser algo comum demais para mexer com ela, ainda mais se tratando de uma pessoa que conheceu há muito pouco tempo.

No meio do pântano ela ouve um som e se vira, para ver a figura do homem cobra saindo de trás de uma árvore. Seu nome é Lazar, ele se aproxima e a guerreira lhe entrega um pedaço de pão e uma bolsa de couro com água. O homem pergunta com sua voz sibilante:

-O garoto não melhorou?
-Sim, ele está bem, porém sofre com pesadelos e acorda assim, mas aquela Virtude garantiu bastante ouro rubro para tratar os ferimentos de forma acelerada. Mas acho que perder o braço não é algo que se acostuma tão rápido.
-E as pessoas da cidade? Estão começando a se incomodar com vocês?
-Sim... Essa gente é traumatizada e não gosta de forasteiros. Ficaram felizes de eu levar a cabeça da bruxa, mas dá pra ver que só consegui hospedagem graças a isso.
-E pretende ficar muito tempo ainda?
-Não, pra falar a verdade, irei ao amanhecer.
-E o garoto? - Pergunta o homem surpreso.
-Ele virá junto, o ferimento não fechou, talvez eu mesma ter carregado ele não tenha sido uma boa escolha, mas ele já consegue cavalgar.
-Me leve com vocês, você me trás suprimentos aqui por ser um pântano e ser complicado, mas sei caçar e posso ser útil na viagem.

Ensis sabe que Lazar esconde algo, ela descobriu que ele é uma pessoa influente na cidade, de uma grande família rica. Mas insistiu que não falasse sobre estar vivo, o povo da vila é bastante calado, por isso ela não descobriu muita coisa, apenas que desapareceu e todos pensam que foi a bruxa. O estranho é que, é exatamente o que parecer ter acontecido, mas ele insiste que não quer que ninguém saiba que está vivo.

1 - Levar Lazar na jornada.
2 - Negar o pedido.

Vocês tem até sexta pra votar, por favor apontem erros.

Nenhum comentário: