Temporario



Jogos | Séries | Filmes | RPG e Tabuleiro | Animes | Creepypastas | Quadrinhos | Livros | Mapa do Blog | Sobre o Blog | Contato |

domingo, 2 de outubro de 2016

O Exorcista 2: O Herege - Um filme que poderia ser épico

Nós todos conhecemos o filme "O Exorcista", isso porque é, não apenas um clássico do terror, mas também um clássico do cinema em geral. Uma obra considerada assustadora até tempos modernos e que ainda apavora muita gente, estando inteiramente impregnada na Cultura Pop. No entanto ninguém fala sobre O Exorcista 2, portanto chegou a hora de comentarmos um pouco sobre esse filme que beira o underground.



Hoje em dia filme de gente possuída é o que não falta, sempre tem uma infeliz pra ser possuída. O Exorcismo de Emily Rose, O Exorcismo de Molly Hartley, O Exorcismo de Britney Spears. Essas garotas simplesmente não desistem, cada uma tem que mostrar mais que a outra que está com a periquita pegando fogo. Então o que torna "O Exorcista" tão especial assim?

O negócio é que aquele filme foi apresentado em uma época onde esse tipo de coisa não era normal. Se ele não inventou a fotografia de possessão, foi ele que definitivamente popularizou a coisa. Quando se pensa em possessão no cinema hoje em dia, é inevitável pensar em "O Exorcista", a estética toda da coisa é copiada e então maquiam com outras traquinagens para parecer diferente, mas no fim todo mundo vê que aquilo é só um disfarce.

O filme continuou inspirando e quase quatro décadas depois, em 2012, ainda tinha gente fuçando atrás. Foi quando acharam aquelas cenas inéditas do filme. Sem contar com outras várias coisas, como a série remake de 2016. O povo simplesmente não consegue esquecer o impacto que O Exorcista causou.

Esse longa metragem tem tanto impacto, que as pessoas até mesmo ficam cegas e não percebem o quanto tem coisa trash presente e também o quanto ele está a um passo de ser colocado lado alado com algumas desgraças cinematográficas. E o pior é que a coisa não era como no universo de Evil Dead, onde o trash era proposital, simplesmente estava lá. Talvez o filme seja tão chocante que as pessoas simplesmente não parem pra notar.
É só você pensar em cenas como o "Me fode!", aquela bagaceira é hilária, uma garoto possuída pelo capiroto falando isso para um padre? kkkkkk. E nem preciso citar a viradinha de 360º naquele pescocinho né? A guria sai andando diboas no final do filme depois de virar o pescoço, convenhamos é pra levar a sério uma cena dessa? E o pior é que é uma das mais marcantes e que aterroriza os sonhos de muita gente.

Eu acredito que o primeiro exorcista foi um filme que andou na corda bamba, pertíssimo de desabar e ser apenas mais um filme trash dos anos 70 que ninguém sabe da existência. Mas como falei, ele teve algumas bases bem sólidas pra se segurar, uma estética inovadora para a época e cenas extremamente pesadas.

Sendo assim, o que diabos deu errado em "O Exorcista 2: O Herege"? O filme tinha novamente a Linda Blair (A garota possuída) e é uma continuação direta da coisa. Mas muita gente não sabe nem da existência desse filme, não sabe que existe um "resto da história" para ser assistido, e para muitos acaba sendo uma surpresa.

Apesar de conhecer, só resolvi assistir esse filme em 2016, era daqueles que estavam na minha imensa lista de "Pra ver, jogar, ler... um dia". E acabou chegando a hora, a verdade é que eu sempre achei que esse filme era um verdadeiro cocô. Quero dizer, "O Exorcista 2"? E ainda uma obra super deixada de lado? O que poderia sair de bom disso aí? Até porque nunca fui fã da franquia.

Mas tenho que assumir que o filme me surpreendeu em diversos aspectos. Quanto a tosqueira, ele tem uma base muito mais sólida do que o filme original, é uma obra que você nota que foi feita para ser estilosa e mais rígida. Isso foi o que mais me surpreendeu, pois nessas sequencias de filme de terror é muito normal os caras decidirem colocar o máximo de gore possível pra tentar ganhar o público de forma forçada.

Mas infelizmente é um filme que achei cansativo pra cacete, e creio que tenha sido isso que realmente o matou. Acredito que o público de "O Exorcista" queria era mesmo umas cenas apelativas. E esse filme não tem sustos, não tem cenas bizarras e, como falei, se segura para não ser tão trash como o primeiro.
As cenas apelativas são muito bem feitas, eu me surpreendi com os efeitos especiais, é coisa rápida e que aparece por pouquíssimo tempo, no entanto achei muito bem feito para um filme de 1977. Cenas como a nuvem de gafanhotos atacando uma plantação ou o que acontece com a casa da garota. São coisas que me impressionaram.

Sendo um filme com história diabólica de 1977, eu acho que ele tinha potencial para ser colocado ao lado de O bebê de Rosemary e meu amado A Profecia 2. Isso porque você nota que ele é conduzido de uma forma estilosa, existe uma psicóloga na história que constantemente dá explicações interessantes sobre as visões e acontecimentos, isso meio que gera um climinha Arquivo X na coisa, com o padre de um lado e a psicóloga do outro.
No entanto esse é um filme cheio de defeitinhos desagradáveis, por exemplo a coisa colocou um pé na ficção científica e na época talvez isso tivesse dado certo (A crítica desceu o pau, mas não sei se esse foi um dos motivos), mas hoje em dia esse lance parece meio tosco. A psicóloga tem uma máquina que permite duas pessoas conectarem suas mentes e verem o que está acontecendo. Isso tira os pés do chão da coisa, afinal é um universo com elementos sobrenaturais, adicionar ficção científica onde antes era o "Mundo real" faz a coisa ficar meio bagunçada.

Não que seja algo exagerado do tipo entrar na mente do outro e ver um ambiente "virtual" estilo Matrix. No máximo aparecem personagens transparentes na tela, como se fossem ilusões. É algo discreto, mas ainda assim creio que não deveria estar lá. Mas como falei, talvez eu pense isso porque cresci em um mundo tecnológico e tenho noção de como fazer algo desse tipo é exagerado, talvez o público da época não pensasse assim.
Porém sem dúvidas o que acho que, para a maioria das pessoas, mata no filme é a lentidão da coisa, são duas horas de filme e a coisa é bem lenta. Eu até gosto de filmes assim, falando sobre o capeta, mas sem exageros, acho que faz ficar mais assustador. Mas o lance da ficção científica fez eu me sentir incomodado já de primeira, senti que aquilo "matou" o universo da coisa.

Tenho que aplaudir a falta de trash no filme, exatamente por isso que acho que ele tinha potencial para ser colocado ao lado dos dois filmes citados. No entanto ainda assim tem suas tosqueiras, no fim do filme quando pensei que ia ter uma reviravolta (atenção isso que vou falar agora parece, mas NÃO é spoiler, apena salgo que pensei) e cheguei a falar "Nossa, essa ideia foi muito boa! Me lembrou o bebê de Rosemary, então quer dizer que tinham cultistas que queriam que isso acontecesse e estavam do lado dela o filme todo? Caracas! Isso sim foi uma surpresa".
Aí quando fui ver... Eu é que tava pensando demais e o que tava vendo ali não era reviravolta porcaria nenhuma, mas sim uma cena trash mesmo que até fez eu me confundir kkkkkkk. Parece que os caras não se aguentaram, eles tinham que finalizar com tosqueira. Pra você ter uma ideia, até o padre se pega com a Regan (A garotinha possuída), olha que bagaceira uahahahaha.

Enfim, tá aí um filme com um baita potencial desperdiçado. Parece não conseguir atingir quase nenhum público. Os que gostam de histórias discretas e estilosas vão ver pontos tosquíssimos que acabam com a atmosfera. Os fãs de terrorzão do mal não vão ver UMA cena de susto na bagaceira, pois o filme inteiro é de falação. Mas de qualquer forma é um filme com nome de peso né? Então talvez valha a pena assistir com os amigos pra tirar um sarro. Agora confiram o trailer que faz parecer que o filme é extremamente assustador:

Nenhum comentário: