Temporario



Jogos | Séries | Filmes | RPG e Tabuleiro | Animes | Creepypastas | Quadrinhos | Livros | Mapa do Blog | Sobre o Blog | Contato |

domingo, 19 de junho de 2016

Painters Guild - Simulador brasileiro de academia de arte

Hoje é dia de falar de um jogo mais do que simpático com um conceito bem atraente que lhe dá uma personalidade muito própria e que com certeza é capaz de causar um imenso vício em muita gente. E além disso ainda é brasileiro! Algo que definitivamente dá aquele gostinho a mais na coisa, afinal de contas é sempre legal ver obras nacionais com conceitos próprios e não meros clones.

A história se passa durante a Renascença, na Itália. Aquele período em que inúmeras figuras históricas e gênios apareceram e marcaram o mundo com suas habilidades. Você assume o papel de um pintor que funda uma academia de artes e tenta obter sucesso através dos anos, começando como um simples amador enquanto vende arte barata, mas expandindo e conseguindo contratar ajudantes e muitas vezes até mesmo gênios.


Pinturas são obras que definitivamente chamam a atenção, por mais que você não tenha vontade de comprar uma, a habilidade de muitos artistas conseguem se destacar e surpreender. Algumas pessoas ficam tão fascinadas pela coisa que vão além, chegando a fazer cursos do tipo Pintar como os Grandes Mestres, e colocando a mão na massa. Enquanto a maioria prefere apenas admirar mesmo a coisa, e nesse jogo você tem a chance de ir além e administrar um negócio envolvendo a coisa.

O jogo já começa com algo interessante, na criação de personagem o gênero padrão não é masculino, mas sim feminino. Achei curioso isso porque é o primeiro jogo que vejo acontecer, normalmente homens vem como padrão. Outra coisa interessante é que além de você personalizar o visual do personagem, também pode escolher se ele é homossexual, que é um tipo de modo difícil pois deixa em aberto que ele pode ser condenado à morte pela igreja.

A jogabilidade é de um jogo do gênero CMS, portanto aqui você tem que fazer o seu negócio crescer. Começando com um pequeno estúdio de apenas um cômodo em que você deve receber os clientes e aceitar ou negar pedidos, com isso vai ganhando dinheiro e poderá comprar novos móveis, contratar artistas para te ajudar e pagar as contas mensalmente.

De certa forma o jogo lembra obras como The Sims, pois você não apenas administra o negócio, existe aquela sensação de casinha. Isso porque os artistas são partes essenciais do negócio e não apenas os objetos ali colocados. Sendo assim precisam estar bem descansados para continuar trabalhando e também vão desenvolvendo habilidades com o tempo.

Os objetos tem diversas coisas dedicadas a necessidades variadas como descanso, estudo e paisagem do lugar. Assim como você pode pagar também para aprimorar o visual, quanto mais bonita for o seu estúdio, mais clientes ricos você receberá. Isso faz com que o seu dinheiro tenha que ser muito bem administrado para comprar mais cômodos e expandir, embelezar, contratar artistas e mais.

Os pedidos também variam, alguns são mais difíceis e demoram mais tempo, outros são urgentes e você tem que pintar muito rápido, outros são de clientes ricos, gerando mais dinheiro, e assim vai... Há também algumas ocasiões especiais em que você é contratado para pintar lugares como igrejas e assim precisa de uma equipe para concluir a coisa, mas trabalhos fora deixam clientes esperando.

Um outro detalhe muito fantástico são os mensageiros, que aparecem com o passar dos anos para revelar acontecimentos históricos que estão rolando naquele ano. Isso nesse visual pixelizado tão fofinho que esse jogo tem acaba dando um charme ainda maior à coisa.

Enfim, se você gosta de apoiar jogos brasileiros com propostas diferentes como o belíssimo Treeker ou o agitado Chroma Squad, com certeza deveria dar uma chance para esse. Um baita joguinho bonito que consegue empolgar bastante. Vale a pena dar uma conferida no site da G2A, pois lá eles costumam vender keys da steam por um valor bem mais barato que na própria steam e ainda aceitam boleto bancário. Dê uma conferida aqui.

Nenhum comentário: