Temporario



Jogos | Séries | Filmes | RPG e Tabuleiro | Animes | Creepypastas | Quadrinhos | Livros | Mapa do Blog | Sobre o Blog | Contato |

domingo, 24 de abril de 2016

American Crime Story - Ótima série com um nome forçado

Indo direto ao ponto, o nome dessa série é um bocado desnecessário, sinceramente. Ao assistir, me senti meio enganado, e tenho certeza que muita gente sentiu o mesmo, pois esse título é completamente tendencioso, fazendo parecer que é um spin-off da série de TV American Horror Story. Ainda mais porque é dos mesmos produtores e carrega como uma das protagonistas a atriz Sarah Paulson, que é a mulher de duas cabeças da temporada Freak Show, não bastando, ainda usa o mesmo formato de cada temporada ter uma história diferente e ainda é uma série da FX, a mesma de AHS.



Ou seja, com todos esses elementos juntos, o que dá a entender é que é uma série com a mesma atmosfera só que com foco em histórias envolvendo crimes. E sinceramente não é isso, American Crime Story é uma série fantástica mas que pode fazer muitos desavisados ficarem irados e morrerem te tédio porque é óbvio que os fãs de American Horror Story se sentem impulsionados a assistir pensando que será algo semelhante.

O que eu esperava era uma história de psicopatas envolvendo crimes brutais com foco na bizarrice da coisa, um toque de  humor ácido que surgisse discretamente vez ou outra e uma história com reviravoltas mirabolantes. Algo mais parecido com Scream Queens (Que parece ser um American Comedy Story).

Mas o que temos aqui é uma baita de uma série estilosa e mais, apresenta um acontecimento real! A atmosfera da coisa inicialmente me fez sentir algo muito mais parecido com True Detective do que com American Horror Story, mas só o início que tem todo um clima de investigação de um crime brutal, pois depois essa sensação some e se torna uma série focada no julgamento.

Então American Crime Story é uma série de tribunal, focada nas dificuldades e reviravoltas dos dois lados ao tentar conseguir evidências que provam a culpa ou inocência. Inicialmente pode parecer chato pra cacete, mas a verdade é que a coisa é tão intensa que causa uma empolgação imensa durante diversos momentos.

O nome da temporada é "The People vs OJ Simpson" (O povo contra OJ Simpson) e é baseado em um best seller e que inclusive foi lançado no Brasil após a série em uma versão espetacular pela editora Dark Side, esse caso aconteceu no meio dos anos 90 e envolveu um ator e ex jogador profissional de futebol americano que foi julgado por matar a mulher e um amigo.

Mas o grande toque especial disso é que OJ Simpson é negro e famoso, daí o caso ganhou atenção nacional graças a pressão da população em relação ao racismo e injustiça em julgamentos envolvendo negros. Então mesmo com uma quantidade imensa de provas, as pessoas amavam OJ, ele estava na TV. Com a pressão da defesa envolvendo racismo, o caso se tornou um verdadeiro reality show com a população ansiosa para cada novo "episódio" e com transmissão em rede nacional.

É aquele tipo de série que você assiste e pensa "Caramba, eu não acredito que isso realmente aconteceu!". Pois cada um dos advogados faz o máximo para ir além, pra achar cada coisinha que possa usar e a população vai ficando cada vez mais revoltada.

É incrível ver como esse foi um julgamento de mídia e o cansaço dos advogados, como cada besteirinhas era levada a tona para desmoralizar. Por exemplo revistas de moda descendo o cacete na advogada Marcia Clark, sobre como o visual dela era ridículo. O cuidado deles ao falar as palavras certas para evitar acusações de racismo e o desgaste e pressão psicológica.

A maquiagem é IMPRESSIONANTE, se você for depois comparar os personagens com as pessoas reais, nossa o trabalho ficou simplesmente magnífico! No final da série é mostrado um a um e explicado o que aconteceu depois, você fica surpreso em como fizeram algo bem feito, o visual foi extremamente bem trabalhado. Parece que os caras selecionaram padrões cranianos de cada ator pra ver se dava certo.

Enfim, série fantástica, aquele climinha nos anos 90. É algo para um público mais adulto e que sem dúvidas pareceu desesperado terem escolhido o nome "American Crime Story", pois definitivamente esse seriado não precisava ficar a sombra de nenhuma outra série, ele tem uma atmosfera própria e perfeitamente capaz de fazer sucesso sozinho.


2 comentários:

Saitama - sama disse...

Opa, Sky. "... que é a mulher de duas cabeças [de duas cabeças] da temporada Freak Show..." Quantas cabeças ela tinha mesmo?

Skywalkerpg disse...

Arrumei, obrigado. =)