Temporario



Jogos | Séries | Filmes | RPG e Tabuleiro | Animes | Creepypastas | Quadrinhos | Livros | Mapa do Blog | Sobre o Blog | Contato |

segunda-feira, 25 de abril de 2016

A terra em que Deus mentiu - Capítulo 47

Esse é um conto interativo onde após a leitura de cada capítulo, os leitores votam na decisão que o personagem tomará para a continuação. Antes de começar, leia o que veio anteriormente:


Por favor, leiam e apontem qualquer erro de português ou digitação, não precisam dizer em que linha está, apenas escrever o trecho e o acharei, isso garantirá que leitores que venham depois, possam ter uma leitura mais agradável.

 Capítulo 47

A vila parece estar tranquila, provavelmente os guerreiros já foram embora, se passou tempo demais desde a última vez que estive aqui. Ainda assim acho que é melhor eu me apressar em voltar para o pântano, não tenho certeza se alguém iria querer me ajudar se eu falasse que as bruxas sequestraram Ensis, acho que essa gente não vai simplesmente entrar no pântano para ir atrás de uma desconhecida.

É melhor eu voltar, sei que me observam mas não tenho muitas alternativas aqui. Não posso continuar sem a Ensis e não posso simplesmente deixar que ela se vire sozinha, já a salvei antes e talvez eu consiga de novo. Mas tenho que ser cuidadoso ao máximo, dessa vez vou tentar decorar o caminho.

Espero alguns minutos e então entro de novo no pântano, observando tudo ao meu redor, aqueles que me rodeavam já não estão mais por toda parte. Não vejo nenhum deles, queriam me espantar apenas? Fazer com que me afastasse? Espero que sim, estou cansado, com fome e com frio, além de que não sou um combatente.

Começo novamente a andar, procuro qualquer tipo de rastro, uma indicação do lugar de onde foram, mas em um ambiente como esse é complicado. No pântano parece que tudo está constantemente derretendo, não é como em uma floresta em que se é possível notar pegadas facilmente e pequenos galhos quebrados indicando que alguém passou por ali.

Apesar de tudo sou cauteloso e sempre fico atendo observando o meu redor, não quero mais ser pego de surpresa, então sempre me mantenho próximo a árvores para poder tentar me ocultar do campo de visão de qualquer bruxo. Eu não sei se eles vão ser tão amistosos na próxima vez que me verem, talvez terem me espantado tenha sido um tipo de ato de boa fé. Mas infelizmente sem Ensis isso não serve para mim.

De repente percebo algo, no começo parece ser apenas lama do pântano acumulada em algum lugar e misturado com os pedaços de madeira podre e vegetação acinzentada, mas a movimentação faz com que essa camuflagem desapareça. É um deles e está se movendo, do ponto onde estou ele não pode me ver.

Observo cuidadosamente ao redor para ver se consigo achar mais algum, no entanto nada vejo, acredito que realmente não tenha ninguém por perto, com a cautela que procuro por qualquer coisa suspeita é bastante improvável. Mas se tiver, o que posso fazer? Eu já estou em uma situação complicada demais.


Lentamente me movimento, sempre tentando ficar atrás de alguma coisa e observando constantemente ao redor, tentando achar alguém. Não vejo nada, o jeito é continuar o seguindo, não tenho outra opção a não ser essa. Ele não parece se importar em olhar para os lados, certamente não imaginou que alguém o seguiria em seu próprio lar.

Então finalmente vejo o que eu realmente estava procurando! Uma casa! Será que Ensis está ali? Talvez... Mas tem vários outros deles na frente da casa. Quando o homem que eu persigo chega, os outros o olham e então juntos entram na casa. Dou uma boa olhada ao redor, não parece ter sobrado ninguém, no total eram uns oito.

Me aproximo cautelosamente e dou a volta até achar uma janela muito suja, observo com cuidado, é um tipo de pequena sala, há um deles levantando um alçapão e entrando. Há um porão em uma casa no pântano? Isso deve ter sido complicado de construir, esse solo é terrível até mesmo para uma casa na superfície.

Me movimento para outro quarto e vejo Ensis deitada em uma cama desacordada. Uma velha está sentada ao lado dela, a mulher é horrorosa, longos cabelos crespos muito brancos e assanhados, um rosto tão enrugado que é notável que ela tem pelo menos cem anos de idade.

1 - Voltar para a vila e avisar para os cidadãos que achou o covil das bruxas.
2 - Esperar anoitecer e tentar invadir o lugar sorrateiramente.

A propósito, vocês viram que o Amazon tá dando 10 reais de créditos pra comprar no Kindle? (Vejam no fim da matéria). Agora você não tem mais desculpa para não comprar O céu não existe, o livro que se passa no mesmo universo que A terra em que Deus mentiu e deu origem a esse conto. =)

Vocês tem até dia 27 pra votar e apontem erros por favor! Ò__Ò

5 comentários:

Unknown disse...

2 Hurry garoto, quero o reencontro com Ladur logo...

Hugo Luan disse...

2

Tem que salvar a companheira mesmo, que mané voltar e avisar o que!

Saindo um pouco da estória, queria dizer que FINALMENTE CONSEGUI LER TODOS OS CAP. DESSA BUÇANHA!

Vou ficar de olho nisso aqui, parabéns, ganhou um leitor "fixo", hehe.

Skywalkerpg disse...

Uahahaha. =D

yasmin k. disse...

2

Bruttar disse...

2