Temporario



Jogos | Séries | Filmes | RPG e Tabuleiro | Animes | Creepypastas | Quadrinhos | Livros | Mapa do Blog | Sobre o Blog | Contato |

sexta-feira, 26 de fevereiro de 2016

Entenda a diferença entre Expansões, DLC's e Standalone

Eu fico impressionado em como algumas expressões tão firmes relacionadas a jogos acabam morrendo de vez com uma geração e a próxima passa a simplesmente não saber o que diabos é aquilo. Algumas são até compreensíveis, por exemplo o termo Briga de Rua, que a geração do super nintendo sabia muito bem que tipo de jogo era, mas com a americanização dos termos esse morreu e passou a ser conhecido como Beat 'em up no Brasil também.

Apesar de tudo tem termos que morrem e não deveriam, isso porque não são substituídos por algo adequado. Um bom exemplo são os pacotes de expansão de jogos, um baita de um termo importante pra caramba que morreu, e o pior é que não parece que ele foi esquecido apenas por jogadores, mas até mesmo algumas empresas sofrem com isso e tem que usar o termo na marra sem o povo entender do que se trata.

Todo mundo sabe que DLC's ganharam uma baita de uma má fama, e existe muita gente que torce o nariz assim que lê que será lançada uma para um jogo. Afinal de contas o que a empresa vai por de inútil dessa vez? Um colarzinho em um personagem? Ou quem sabe novos sons de explosão? O que naturalmente é uma visão preconceituosa da coisa já que tem DLC's fantásticas, mas a má fama que obtiveram graças ao abuso das empresas acabou irreparável.

Infelizmente graças a isso as expansões também acabaram se dando muito mal. Isso porque tudo foi colocado como algo da mesma laia. As DLC's criaram uma geração de jogadores que começaram a entender que apenas aquilo existe para "aumentar" a experiência de jogo e não conseguem compreender o que há demais nisso.

Muito provavelmente o primeiro contato que tive com expansão foi no maravilhoso Starcraft (Embora a mais memorável com certeza tenha sido a de The Sims), isso foi lá por 2000 e foi maravilhoso. Isso porque uma expansão não é uma mera DLC, mas sim uma verdadeira nova experiência, a história aumentada e algo tão grande ou quase tão grande quanto o jogo base da coisa.

Mas vamos deixar as coisas mais claras, sabem quando um jogo é lançado daí vem o segundo da franquia, mas quando você vai ver é algo com a mesma engine, o mesmo gráfico, os mesmos modelos de personagens, os  mesmos sons, e apenas um ambiente novo ou alguns detalhes de novidade? O jogo pode até ser bom, mas é meio frustrante né? Fica como "Mais do mesmo", você pode ter amado o primeiro jogo, mas aquele segundo parece não ser digno de ser considerado assim.

Pois bem, agora imagina que aquilo não fosse o 2? Imagina que fosse um novo conteúdo com uma nova história mas que precisasse do primeiro instalado no PC? Pois é, dessa forma é que as expansões funcionam, elas são uma história nova que tem um tamanho imenso, pode ser do tamanho do jogo original em questão de jogabilidade ou até mesmo maior! Mas claro, pode ser menor também.

As expansões são jogos que precisam do anterior já presente, por isso tem esse nome "expansão", mas são algo grandioso. Os gráficos normalmente não são melhores, mas costumam trazer coisas como uma nova área para ser explorada e elementos novos que vão dar um toque a mais na jogabilidade. Costumam ser satisfatórias exatamente por não usarem um "2" no título.

Mas claro, especialmente para dias modernos pode ser complicado lançar uma expansão, afinal de contas as empresas querem ainda mais vender sem parar, e é por isso que preferem lançar coisas com o "2" na frente logo e sem precisar do primeiro. Por outro lado aí entra uma opção que sai em conta no fim e sinceramente sempre achei mais inteligente, são os jogos "Standalone".


O termo Standalone é a união da palavra Stand (De pé) e Alone (Sozinho). São referentes a jogos e softwares que funcionam sem precisar de nada como base. Sendo assim uma expansão Standalone é a mesma coisa que uma expansão mas que qualquer um pode pegar e jogar, não bate aquele desânimo de ter que comprar ou jogar o anterior primeiro.

Uma boa que algumas empresas fazem é usar subtítulos no nome do jogo ao invés de colocar um "2", deixa a coisa muito mais. Um bom exemplo de expansão Standalone e que inclusive confunde muita gente é o Far Cry 3 Blood Dragon, que com o título de "Far Cry 3" muitos pensam que é uma mera DLC, mas no fim das contas é um jogo independente mas usando toda a mecânica de seu "jogo base" porém sem precisar dele.

E aí vem as DLC's que significam Downloadable Content, ou seja conteúdo para download. Sendo assim é algo diretamente relacionado a conteúdo que você baixa pela internet, portanto algumas expansões podem ser DLC's por serem baixadas, mas nem todas. Uma vendida em disco por exemplo se livra completamente da classificação.

Mas claro, em geral as pessoas não veem diferença, portanto falando de forma popular é normal ver pessoas falando de DLC's vindo em discos de edições especiais e etc. Portanto pra facilitar o assunto todo mundo chama tudo de DLC. Mas aí é que vem o problema, conteúdos espetaculares são menosprezados porque as pessoas veem tudo como a mesma coisa.

O engraçado é que embora DLC's tenham cara de ter dado as cara só de 2008 pra frente, o negócio é bem mais antigo. Por exemplo em 1997 o jogo Total Annihilation tinha DLC's ! Mas o negócio era feito com amor, isso porque mensalmente a produtora disponibilizava em seu site novas unidades que podiam ser baixadas! Imagina que coisa linda? Em uma época com a internet extremamente limitada e tudo mais.

Acredito que uma das grandes responsáveis pelo problema de misturar os termos foi a própria valve, foi meio irresponsável da empresa colocar uma etiqueta de DLC em tudo. Isso faz com que expansões muitas vezes sejam colocadas de lados porque as pessoas não querem pagar tão caro por algo que tá escrito "DLC" na imagem de venda.

O pior é que tem algumas empresas que são até descaradas de usar o título "Pacote de expansão" pra uns conteúdos mega vagabundos. Isso só ajuda a distorcer ainda mais a ideia de expansão e matar de vez a coisa, tornando assim difícil saber o que é decente e o que é um brindezinho.

Enfim, acho que isso é algo importante a se conhecer e diferenciar, muita gente tem um preconceito imenso com DLC's graças ao estrago que a própria indústria fez, mas existem DLC's fantásticas e essas são colocadas no mesmo nível das ridículas e as expansões que podem ser grandiosas vão pro mesmo buraco, o resultado é um monte de gente sem saber o que é o que e um monte de obras desvalorizadas.

6 comentários:

Matt Kist disse...

Estou até hoje aguardando pela próxima expansão de Diablo II...
um dia virá, tenho fé...

Falando nisso, Sky, você já jogou o Diablo 1 HD MOD? É um mod de Diablo 1 que precisa do CD do diablo (original ou não) para rodar.
Ele roda nos Windows mais recentes porém é todo diferente, bebendo algumas inovações do Diablo 2, como baú na cidade, lojinhas "drag n drop" e waypoints.
Ele muda bastante as mecânicas das classes de personagens, bem como adiciona algumas classes novas. Eu achei bem interessante. Busque por "Tchernobog" no google, é o nome da versão deste mod que possui multiplayer.

Skywalkerpg disse...

Valeu pela dica, não conhecia não, vou procurar aqui. *-*

alex5432 disse...

Olha, na realidade DLC é a mesma coisa que uma expansão, porém com o diferencial de que é baixável, ou seja, não precisa de um disco ou uma mídia física qualquer... e realmente tem muitas empresas que fuderam com isso, e se aproveitaram pra ganhar dinheiro em cima disso, tipo a capcom como todo mundo sabe...
Mas ainda assim existem muitas empresas que sabem usar isso e fazer uma coisa que realmente vale a pena, como a gearbox no Borderlands e a Bethesda com Skyrim...

Nekoryokan disse...

DLC eh pior q expansão, ta bem pequena na imagem representativa pode tirar pelo menos 80% do jogo isso sim eh dlc, fora o preço abusivo nessa merda de país

Super Suporte disse...

Nossa quase comentei descendo o cacete no sky e tal, achei q seria um post explicando oq eh dlc e todo mundo "sabe" que é e como é ruim.

Mas me surpreendi maravilhosamente com tudo que li! E ainda descobri que existe starcraft é que é bom (eu até esqueci de perguntar no post, ele é estilo age of mitology e civilization?)

Qdo teve a black friday ano passado eu comecei a jogar realmente, e comprei algumas dlcs do skyrim e Borderlands, não sei se foi uma boa ideia, mas acho q deu bom. Melhor sobrar que faltar (ainda não consegui jogar tudo)

Skywalkerpg disse...

Sim, Starcraft é um jogo de estratégia, é em tempo real portanto está mais próximo de Age of Mythology do que de Civilization.