Temporario



Jogos | Séries | Filmes | RPG e Tabuleiro | Animes | Creepypastas | Quadrinhos | Livros | Mapa do Blog | Sobre o Blog | Contato |

quarta-feira, 10 de fevereiro de 2016

A terra em que Deus mentiu - Capítulo 41

Esse é um conto interativo onde após a leitura de cada capítulo, os leitores votam na decisão que o personagem tomará para a continuação. Antes de começar, leia o que veio anteriormente:


Por favor, leiam e apontem qualquer erro de português ou digitação, não precisam dizer em que linha está, apenas escrever o trecho e o acharei, isso garantirá que leitores que venham depois, possam ter uma leitura mais agradável.

Capítulo 41

-Eliu puxa Ensis e nota que há muitos outros homens.
-Ele leva até ao pantano e fala das más notícias da bruxa e da peste.
-caçar a bruxa ou vazar?

Eliu olha para o pântano atrás dele, mas então novamente olha para Ensis, se abaixa e anda sorrateiramente em direção a ela. Ao chegar na parte da frente da casa percebe que há mais homens andando pelo lugar. Percebe a presença de cavalos e assim descobre que são oito homens, fica impressionado em uma quantidade tão grande em um grupo só, afinal de contas há diversos lugares do reino para procurar, logo imagina que talvez os lugares mais próximos tenham mais guerreiros ou talvez pretendam se separar em duplas a medida que se afastam.

Ele se aproxima agachado e olha para um pedaço na mão de Ensis, ele foi cortado por uma espada, provavelmente ela usou isso para lutar. Há vários ferimentos, mas ela está de olhos abertos e percebe a presença do garoto assim que ele aparece. Ele então diz:

-É agora ou nunca, temos segundos pra sair daqui, se você quiser viver use toda sua força porque estamos a um passo de morrer.

O garoto a segura fazendo dar um gemido baixo, mas percebe que ela está muito disposta pois imediatamente se levanta. Ela precisa da ajuda dele para andar cambaleando, mas foi bem mais rápido do que Eliu imaginava. Novamente ele pensa nos oito guerreiros e imagina que talvez não seja em vão essa quantidade, ela é uma guerreira de arena, colocada pra enfrentar Alados e feras constantemente, sendo assim talvez sabiam que seria desperdício mandar apenas dois.

A dupla anda em direção ao pântano e o garoto sente seu coração acelerar, os dois adentram o ambiente escuro. É a única alternativa que não deixará rastros evidentes, mas também um ambiente perigoso, ele então comenta sobre os boatos que ouviu pela cidade enquanto buscava por informações:


-Estamos de volta... A casa da bruxa é aqui, as pessoas comentam que ela era a curandeira da cidade, sempre morou aqui e as pessoas iam procurá-la quando precisavam de remédios. Sempre tiveram várias crianças ao seu redor, um dia descobriram que ela as sequestrava de outras vilas e usava seus corpos como receitas para remédios, muitas delas tem deformações de experimentos feitos, além de terem virado bruxas também, mas como se fossem ajudantes, inferiores a principal. O povoado ficou horrorizado ao descobrir e não mais a buscaram, como resultado ela amaldiçoou o lugar e assim essa praga atingiu a todos.
-Que besteira... - Diz Ensis impaciente.
-Já vi que você não acredita em histórias de bruxas, é bom que não acredite mesmo. Uma das notícias boas é que eles oferecem uma alta recompensa pela cabeça da velha. Imagino que será o suficiente para conseguirmos comida, cavalos e uma viagem rápida e bem mais tranquila.
-Pareço estar em condições de iniciar uma caça às bruxas?
-Você se esquece que sou alquimista Ensis, eu sei que sua condição é péssima e você mal se curou da luta no acampamento. Mas eu posso te curar se tiver tempo pra isso. Infelizmente não tenho mais Ouro Rubro pra acelerar a cicatrização, mas consigo extrair muitas coisas de um pântano. Não sou dos melhores e cozinho muito mal, mas sei que dá certo.
-Você se esquece que tem uma praga nesse pântano e que nesse momento podemos estar ficando doentes.
-Eu sei... Mas apenas estou te dando uma opção, pois todas são muito apertadas, se sairmos imediatamente podemos achar um lugar seguro para descansar, sem o perigo da peste, mas não vai ser em uma cidade próxima pois não é seguro ao menos por agora, então não sabemos o lugar que vamos parar. Se apenas nos recuperamos no pântano vamos estar expostos a doença por um tempo mas posso coletar alguns alimentos, nada muito gostoso e podemos sair daqui, mas muito lentamente. Se nos recuperamos e você mata a bruxa nós sairemos daqui muito rapidamente, mas não dá pra saber o que a velha esconde né? Então todas as nossas opções mais atraentes não são tão atraentes assim.

1 - Sair do pântano e procurar um abrigo fora do alcance da peste.
2 - Apenas se recuperar no pântano e se preparar pra viajar.
3 - Iniciar caça às bruxas.

Por favor apontem erros! Vocês tem até dia 14 pra votar! Ò_Ò

4 comentários:

yasmin k. disse...

voto na opção 1.
E ótimo conto sky, faz pouco que comecei a acompanhar o conto, mas li tudo numa tacada só.

Skywalkerpg disse...

Obrigado *-*!

Mas se prepara pra ficar frustrada porque tem vezes que são dois meses sem atualização O______O'.

Miya Seat Lee disse...

3

alex5432 disse...

Cara coloca o dia e o mês na data pra votação porque eu comecei a ler a uma semana atrás e cheguei aqui agora e tava incerto se era até 14 do mês que vem agora, ou se já acabou o prazo... bom pelo visto já acabou...

Bom eu sempre via os capítulos saindo e nunca ia atrás de ler, não conseguia me atrair pra história até que esses tempos atrás estava sem fazer nada no trabalho e dai pensei porque não? E dai eu achei muito foda, puta que pariu é muito bom mesmo, consigo imaginar toda uma atmosfera em volta da história, to curtindo bastante, vai ser mais legal que agora vou poder votar também kkk...

E VÊ SE POSTA LOGO O PRÓXIMO PORQUE EU TO ANSIOSO PORRA, e porque eu comecei a ler agora você tem que diminuir esses intervalos de postagem ai U.u