Temporario



Jogos | Séries | Filmes | RPG e Tabuleiro | Animes | Creepypastas | Quadrinhos | Livros | Mapa do Blog | Sobre o Blog | Contato |

sábado, 23 de janeiro de 2016

Mythos - Um cardgame que conta histórias macabras

Eu fico maluquinho por conteúdo lovecraftiano, e graças a isso vez ou outra pareço uma menininha apaixonada indo até o ebay e escrevendo "Cthulhu" ou "Lovecraft" e soltando suspiros ao ver certas coisas a venda. E uma outra coisa que sou apaixonado é o maravilhoso universo dos jogos de tabuleiro. Certa vez acabei procurando no google por jogos de tabuleiro relacionados aos Mitos de Cthulhu para conhecer alguns e ver se comprava, cheguei a contar a história dessa aventura aqui, e um dos jogos que achei não era de tabuleiro, mas sim de cartas, o Mythos. O amor foi a primeira vista!

Na lista que achei um cara falando dos dez jogos lovecraftianos favoritos dele, tinha esse. O que me chamou a atenção de primeira foi a época do jogo, 1996! Quero dizer eu sei bem que você acha referências a Lovecraft em tudo que é lugar, e hoje em dia embora seja uma coisa meio underground você acha um fã de Cthulhu por aí se sair perguntando. Mas estamos falando do meio dos anos 90!

Sim, era normal achar filmes puramente Lovecraftianos na época, como o mais do que trash Abominável Criatura e o perturbador Do Além, sem contar muitas outras obras. No entanto um trading card game é uma outra área do entretenimento bem diferente e que tava no começo (explodiu depois que magic foi lançado), eu nem imaginava estar tão evoluída em fãs a ponto de um lançamento assim.

Deixa eu tentar explicar melhor o que estou dizendo. Atualmente você acha fóruns comentando sobre as ideias de Lovecraft, pessoas discutindo sobre o assunto em redes sociais, montagens, curta metragens, etc. Mas em uma época sem tecnologia como aquela ao verem os filmes que citei ou qualquer outro baseado em histórias do autor, as pessoas normalmente nem iam saber, mesmo tendo "Baseado na obra de H.P. Lovecraft" no começo dos filmes, adaptações não era algo que tinha o impacto de hoje em dia, ou seja esse tipo de coisa só ia gerar um "Tá, seja lá quem é esse maluco." ou nem iam ver, iam criar um ponto cego.

Por outro lado um cardgame usando esse universo, a coisa acaba tendo um toque mais profundo. Me faz imaginar garotos daquele tempo discutindo "Caramba, achei em um livro da biblioteca um novo conto do Lovecraft que é fantástico!". Afinal sabem né? Naquela época não tinha a facilidade da internet e se você quisesse ler um conto exato tinha que conseguir achar ele primeiro em versão física. Então imagina o quanto o negócio não era mais underground? Não é a mesma coisa de hoje um grupo de amigos discutindo as ideias do cara no facebook, era coisa pra grupos de verdadeiros nerds descobrirem e amarem.
A segunda coisa que me chamou a atenção demais foi o fato de que o jogo tinha a opção de se jogar sozinho! Imaginem que coisa linda? Um cardgame que você pode de repente pegar ali no armário, montar a coisa na mesa e começar uma aventura com o próprio jogo fazendo as coisas de forma automática? Super incomum!

Fui atrás no ebay e pra minha sorte o negócio tava desvalorizado, uma das coisas legais desses produtos underground é que parece que nunca termina o estoque e ao invés de virarem uma fortuna ficam baratos ao absurdo fazendo assim que seja a festa de quem se apaixona tarde por essas antiguidades e estou falando de produtos lacrados. Comprei três decks de Mythos (Pois é possível jogar com múltiplos jogadores).

Bom, uma coisa que descobri assim que terminei de ler o manual da bagaceira é que não tinha as tais regras para jogar sozinho, e assim fui pesquisar na internet e descobri que era sim possível, mas eram regras não oficiais, portanto se vocês forem comprar com esse objetivo, lembrem que é preciso olhar na internet pois não terão regras pra isso na caixinha.

O jogo é um simulador de histórias onde coisas variadas podem acontecer. Mas a base da coisa é a ideia bem lovecraftiana, fala sobre uma pessoa que entrou em contato com uma "coisa" e isso mexeu com a frágil barreira que divide a nossa realidade e uma outra cheia de horrores. A consequência disso foram seres bizarros sendo liberados em nossa dimensão e agora essa pessoa precisa dar um jeito de se safar dessa.

Só tem um problema, simultaneamente uma ou mais pessoas (os outros jogadores) também abalaram a barreira da realidade. Naturalmente elas querem dar um jeito de consertar as coisas, mas enquanto tentam fazer isso, as forças liberadas durante esse contato irão cair sobre você e começam a te deixar cada vez mais louco! Então o jeito é tentar chegar ao seu objetivo antes de perder completamente a sanidade.

A primeira coisa que você faz ao jogar Mythos é escolher um personagem, em cada deck vem dois personagens diferentes. Pode ser um clérigo que fala latim, um detetive que aguenta ver muita coisa bizarra e por isso a sanidade é bem alta, e assim vai. Cada personagem tem sua ficha própria de atributos e vai causar uma variação na história. Dois jogadores não podem usar o mesmo personagem na partida, é preciso ser pessoas diferentes pra coisa variar.

Depois disso os jogadores tem que escolher se querem jogar uma partida no modo aventura ou no modo campanha. No modo aventura o final de uma história é apresentado, pode ser uma carta, um narrador falando sobre algo, ou o que for. Você precisa cumprir todas as coisas que estiverem citadas nessa aventura pra ganhar o jogo. O modo campanha é semelhante a esse, mas vai além e tem várias aventuras seguidas de um mesmo personagem para serem completadas.
As aventuras apresentam textos como "Sua mãe sempre te avisou sobre aquela velha e abandonada CASA ou LUGAR (um dos dois) descendo o córrego. Mas lá estava você, espreitando mesmo assim. Em uma prateleira velha você descobriu um TOMO tão velho que quase se desmanchou ao seu toque. Ficou em transe com os segredos que descobriu e quase não escapou do MONSTRO que vagava pelo lugar. Aquilo te fez fugir para uma distante LOCALIZAÇÃO e finamente sentir a segurança de um ALIADO firme.

São várias aventuras, várias situações e jogando o modo campanha podem formar belas histórias como por exemplo tem uma que é sobre uma sociedade que recebeu uma carta sua e que diz acreditar no que aconteceu, a história do MONSTRO e de como ele acabou gerando uma FOBIA, além de que seus membros irão analisar aquele TOMO que contém o tal FEITIÇO. Tudo sempre assim destacado pra você entender quais são os objetivos da aventura.

Além das cartas de aventura e das cartas duplas de investigadores, o jogo conta com mais sete tipos de cartas que contém suas subcategorias próprias. Cada uma delas fazendo a história ir se modificando e tomando rumos diferentes a cada jogatina, mesmo usando os mesmos personagens o negócio pode acontecer de uma maneira diferente. Essas cartas são:

Localização: Esses são os ambientes onde as coisas acontecem, você deve viajar entre as localizações pois é nelas que a coisa toda vai acontecer. Cada localização tem elementos próprios que só podem ser encontrados ali. Por exemplo tem aliados que só podem ser encontrados em um certo tipo de lugar, você não vai achar um médico no meio do deserto. E essas coisas que podem achar variam entre outros elementos como tomos, feitiços, monstros, etc...

Algumas localizações oferecem a possibilidade de você encontrar determinadas coisas que podem ser achadas em outros lugares, mas outras são bem específicas mesmo e só podem ser encontradas em uma exata localização. Então as vezes acontece de você estar em uma localização que permite achar um artefato, mas você não tem nenhuma carta de artefato na mão naquele instante, aí viaja pra outro lugar, mas depois que consegue uma carta de artefato volte pra poder retirar.

Esse tipo de carta ainda tem divisões, algumas se passam em ambientes próprios e de fácil acesso, outras são em lugares complicados como ilhas, áreas exóticas, outros continentes ou até mesmo um outro momento do espaço tempo, com o feitiço certo você pode viajar para o passado e encontrar aliados que não seria possível em outro lugar.

Aliados: Nesse jogo você perde se sua sanidade chegar a zero, no entanto você está mexendo com coisas poderosas e a cada contato com elas a sua sanidade diminui mais. Aliados aliviam a tensão pois eles podem usar feitiços por você, te proteger de criaturas durante ataques de criaturas e usar habilidades especiais para certas situações.

Eventos: Acontecimentos que frequentemente infernizam a vida de um ou mais jogadores de forma variada, além de poder também atingir aliados. Por exemplo algo pode ter um efeito que atingem todos na mesa de uma vez, mas um acontecimento traumatizante pode afetar apenas um como uma fobia. Existem certas Localizações que curam efeitos, alguns deles só saem quando o jogador consegue se livrar, outros duram um turno, depende muito.

Feitiços: Eles podem ser usados para causar efeitos variados, geralmente nos inimigos. Feitiços podem ser usados pelo jogador, mas ele vai perder a quantidade de sanidade descrita na carta. Podem ser lançados por aliados, mas ao invés do custo em sanidade ele é descartado depois que usado.

Artefatos: São objetos mágicos que causam efeitos variados, geralmente são armas que podem por exemplo serem colocadas pra um aliado usar. Eles as vezes aliviam o custo de sanidade pra fazer certas coisas, as vezes aumentam efeitos, as vezes ficam fazendo algo até que você ordene que pare. Também podem atirar feitiços mas assim como com aliados são descartados depois disso.

Tomos: São livros mágicos que precisam ser traduzidos antes de serem usados, ou seja você precisa de um aliado que domine a língua daquele tomo para poder baixar. Quando você baixa um tomo, pode baixar várias cartas de feitiço de uma vez junto a ele. Normalmente só se pode uma carta por vez. Além disso depois pode também adicionar os feitiços até um número limite que é listada na carta. Cada tomo também tem símbolos mostrando os tipos de feitiços compatíveis com ele, portanto alguns feitiços não podem ser ligados a tomos.

Monstros: Quando um jogador passa duas vezes seguidas ou passa e antes de chegar a vez dele de novo outro jogador também passe a vez, algo de mal acontece! As criaturas são liberadas e nessa hora a coisa fica feia! As criaturas vão infernizar os personagens, você precisa de proteção de aliados e eles vão ao combate usando feitiços pra amenizar a coisa e podendo morrer, se isso acontecer levam os artefatos juntos.

Assim que um jogador conseguir terminar os objetivos de sua aventura, como ter um tomo em jogo, ter um investigador, etc tudo em mesa, ele ganha. Assim como se todo mundo ficar louco antes do fim da partida (O que é mais fácil acontecer já que os outros vão fazer de tudo pra você perder o que tem) o último com um pouco de sanidade ganha.

Vão dizer que esse jogo não é fantástico? Infelizmente é quase impossível ele aparecer pelo Brasil, mesmo com a quantidade enorme de produtos que tem aparecido por aqui. E eu o comprei em inglês exatamente por isso, tem muita coisa que quero comprar em português pra não assustar as pessoas na hora de jogar e se vejo a possibilidade de lançamento por aqui eu apenas espero. Se você teme porque tá em inglês, recomendo ler a matéria sobre como é ridiculamente fácil jogar cardgame em inglês. Bom, é isso, digam aí o que vocês acharam!

9 comentários:

Gustavo Gusmao disse...

EU QUERO!!!!!

Rian disse...

Foda é arrumar gente pra jogar essas paradas.

Gabriel Villar disse...

Parece maravilhoso um card game tão complexo assim! Sky, tenho uma pergunta, sempre vejo suas matérias sobre o H.P Lovecraft mas nunca li realmente nenhum conto, por onde um iniciante como eu deveria coneçar?

Skywalkerpg disse...

Bom, acho que "Do Além" é uma boa forma de começar pra compreender a essência sobre com o que é que as pessoas estão lidando:

http://www.nerdmaldito.com/2014/04/do-alem-um-intrigante-conto-sobre-o.html

No entanto ele não é um conto que mostra bem a atmosfera mais padrão que o Lovecraft costuma usar, normalmente você precisa ler alguns contos para começar a absorver de verdade a coisa. Um segundo que já é mais na atmosfera dele é "O inominável" e que também explica melhor sobre o que é a "coisa":

http://www.nerdmaldito.com/2014/04/o-inominavel-um-conto-sobre-o.html

Daí pra você entrar mesmo no clima pode ler como terceiro "O horror no museu", depois disso é só ir lendo aleatoriamente:

http://www.nerdmaldito.com/2014/10/o-horror-no-museu-um-conto-com-um-toque.html

Uma coisa, ele cita detalhes de histórias dele em outras, elas não são sequencias mas meio que a obra completa do cara é um grande quebra cabeça cósmico, sendo assim você ver por exemplo detalhes da chegada do Cthulhu a terra no livro "Nas montanhas da loucura", mas não recomendo começar por um livro, a leitura de Lovecraft pode ser cansativa pra cacete, portanto é melhor se apaixonar pela escrita pra passar pra livros (que são pouquinhos).

Saitama - sama disse...

Ei, Sky! Falando em Lovecraft, tem um anime chamado Haiyore Nyaruko-san(eu acho que é assim que se escreve) que tem MUITAS referências aos Mitos de Cthulhu, tipo o personagem foco do anime que é o Nyarlathotep transformado em uma garota! Bem, o anime é ruim, mas é cheio de referências.

Skywalkerpg disse...

Nossa eu nem imaginava, valeu pela dica, vi aqui umas imagens e não é nada meu tipo de anime, mas eu nem conhecia, vou anotar de qualquer maneira. *-*

Saitama - sama disse...

Aliás, Sky. Não sei se você sabia, mas Fate/Zero (aquele anime esteticamente lindiu) tem uma continuação, chamada Fate/Stay Night. Não é tão bom quanto o Zero, mas vale a pena uma conferida.

Skywalkerpg disse...

Esse eu conheço hehe.

Andrey Costa disse...

Na verdade, jogar card games em inglês é bem fácil porque o aplicativo do Google Tradutor permite que tu tire uma foto do texto em inglês e ele mesmo acha o texto e traduz, é muito bom, eu jogo In Verbis Virtus assim, sei que a tradução da Google não tem concordância, mas é MUITO melhor do que não entender nada ou deixar de jogar algo porque está em inglês, gostei desse jogo... Vou procurar por ele no eBay...