Temporario



Jogos | Séries | Filmes | RPG e Tabuleiro | Animes | Creepypastas | Quadrinhos | Livros | Mapa do Blog | Sobre o Blog | Contato |

terça-feira, 8 de setembro de 2015

[Conto] O mendigo dançarino de Brasília

Essa é uma daquelas ideias que de repente vem à cabeça do nada e decidi escrever, se acharem erros de português, concordância ou qualquer coisa, me avisem por favor!

Então você acordou mesmo! Nossa cara, eu não posso nem acreditar que você está aqui mesmo! Digo, eu sei que você sempre esteve aqui, mas você está acordado! Eu estou há duas horas aqui ao lado da sua cama, só te observando, quando mamãe falou que você tinha acordado eu não podia acreditar, estava em uma viagem de trabalho e então vim assim que pude. Quando cheguei, os médicos falaram que você estava dormindo, quis te acordar mas preferi ficar esperar, cheguei a pensar que eles estavam brincando comigo, embora isso fosse algo de muito mal gosto... Mas você sabe né? Pra algo tão surreal assim, é simplesmente difícil de engolir.

Não, não, não... Não tenta falar não, me falaram que você teria dificuldades no começo, então pode ficar em paz, descanse. Embora descanso é o que você já teve mais do que o suficiente né? De qualquer forma seu cérebro ficou em repouso por muito tempo e precisa se readaptar a ficar acordado. Foram vinte anos em coma né...


Espera aí, você não está me reconhecendo cara? Sou eu! Seu irmãozinho caçula, tá eu sei que não é bem como você lembra, afinal eu tinha 14 e você 17, agora tenho 34 anos. Nossa, é tão esquisito isso né? Porque se você parar pra pensar, mentalmente eu sou muito mais velho que você. Mesmo assim você ainda continua sendo meu irmãozão. Vai ser algo que nós dois teremos que nos acostumar.

Eu tenho tantas coisas pra te mostrar, tantas coisas pra te falar... Nem sei por onde começo. Tudo mudou muito rápido, o mundo lá fora. Vai ser incrível, você vai ver! Se eu fiquei surpreso diariamente com cada coisa nova, imagina você que vai dar um salto de duas décadas? Cara... Haha, desculpe pelas lágrimas, é que isso é maravilhoso, eu lembro de você tão bem, de como era um ótimo irmão, de como fiquei triste quando você ficou em coma. Chegou a um ponto que eu não acreditava mais que ia te ver um dia.

Mas bom, sem sentimentalismo! Olha, você imagina o que é esse aparelhinho aqui na minha mão? Aposto que você pensa que é uma coisa bem diferente, afinal de contas o design não indica ser nada parecido com o tempo em que você desmaiou. Olhe bem... Ah, quer saber? Eu não vou falar, não tem graça, vai ser muito mais legal quando você falar e eu ver se você adivinha de verdade haha.

Então já sei, vou te contar de um caso muito estranho que aconteceu aqui em Brasília. É algo que já se tornou tão comum que nem sei exatamente a época em que aconteceu, mas foram poucos anos após você entrar em coma. Lembra daquela plataforma no centro da cidade, que fica na parte de cima da rodoviária? Aquela entre dois shoppings e que fica o tempo todo pessoas passando de um lado pro outro? Pois é... Foi lá que tudo começou.

Certo dia quando amanheceu, apareceu um mendigo por lá, um mendigo dançarino. Eu sei, isso soa estranho, afinal de contas como assim? Um mendigo dançarino? Pois é, isso é exatamente o que você está pensando. De repente esse cara vestido com trapos, barbudo e com uns cinquenta anos apareceu, dançando pra caramba, fazendo movimentos incríveis e enquanto isso fazia um beatbox, mas sem por as mãos na boca, pois o tempo todo ele ficava fazendo movimentos com os braços. Você sabe né? Essa coisa de dançarinos, por a mão no chão e jogar o corpo pra cima e tal.

É claro que o cara chamou a atenção né? Afinal de contas parecia uma máquina de música eletrônica, fazendo um beatbox surpreendente e ainda dançando tanto. Ninguém viu quando ele começou, o cara apareceu de madrugada e ficou lá dançando. Mas a coisa realmente ganhou destaque quando o primeiro infeliz tentou atravessar a plataforma de manhã cedinho.

Adivinha o que aconteceu quando a pessoa foi passar pelo mendigo? Bom, antes de te falar eu quero dizer que tem muita gente que procura receber o título de ter sido a primeira pessoa a atravessar o caminho do mendigo. Alguns moradores de rua dizem ter sido os primeiros, umas putas, uns drogados, vigias, trabalhadores que chegaram pela manhã, tem uma legião de pessoas que procuram o título de ser o primeiro.


Como não tinha uma câmera de vigilância lá, assim como ninguém sabe de onde ele veio, ninguém sabe quem foi o primeiro, mas eu acredito que deva ter sido algum morador de rua, afinal de contas se você não tem casa o tédio deve ser imenso, e de repente ver um maluco dançando e fazendo beatbox deve chamar a atenção. Agora você me pergunta o motivo disso ser tão importante pra alguém né?

Bom, já pela manhã a mídia chegou no lugar e o jornal local deu a notícia ao meio dia. Acontece que qualquer um que fosse atravessar a plataforma, era atacado pelo mendigo. Mas não de uma maneira normal, ele continuava dançando. Ele completava certos passes com golpes, eram coisas do tipo dar um giro e finalizar com uma mãozada na cara, até por as duas mãos no chão, segurar a pessoa pelo pescoço e lançar pra longe dali.

Inicialmente parecia ser só algum tipo de encrenqueiro e claro que a polícia foi chamada, e adivinha só? Os caras tomaram uma surra e tanto. O mendigo não perdia a pose, ele não parava de dançar, qualquer um que se aproximasse da área fazia com que ele rapidamente se movesse naquela direção e finalizasse, e digo finalizar porque boa parte das pessoas acabava desmaiada com as patadas que recebiam.

Claro que isso fez com que muitas pessoas ficassem revoltadas, algumas diziam que a polícia era muito incompetente em não conseguir deter um mero mendigo, enquanto outras estavam inquietas com a situação. Aquela plataforma era muito importante, sempre lotada e com pessoas passando constantemente, então como lidar com uma pessoa batendo em todo mundo?

E se você pensa que estou falando apenas da pessoa ele conseguia pegar, está muito enganado. Absolutamente ninguém conseguia passar, e as pessoas tentavam, afinal de contas muita gente gosta de um desafio né? Só que o cara era muito rápido, se um grupo combinasse de passar de uma vez, ele se movia com velocidade o suficiente para impedir, e qual é o espaço daquilo? Uns quatro metros? Cinco? Pois é... O mendigo saía saltando e dando cambalhotas, usava o corpo de alguns de apoio, segurava outros pelo pescoço antes que conseguissem atravessar, todo mundo tomava patada.

Aquele dia foi estranho intrigante, todos olhando e se esgueirando, a mídia filmava sem parar. E claro que a energia do mendigo também se destacava, ele não parava por um segundo. O cara parecia uma lagartixa epilética. E quando anoiteceu, a polícia ainda tentava pegar o cara, como ele só atacava quem passava, interditaram o caminho e colocaram alguns cones na pista para que a população passasse, estavam esperando que ele se cansasse, uma hora tinha que cansar né?

Pois é... Ele não cansou. A noite entrou e ele continuou lá dançando sem parar, sempre com a polícia ao redor. Ao chegar o outro dia, os policiais decidiram fazer uma coisa diferente, tentar amarrar ele em um pano, era uma lona enorme aquilo, mas simplesmente não deu certo. O mendigo dava saltos mortais que ultrapassava a altura do pano, então toda vez que policiais tentavam, acabava não dando em nada.

Sabe aquelas bombas de fumaça que espanta pessoas? Acho que faz arder os olhos, ficar sem ar ou sei lá, enfim, tacaram uma daquelas. Acho que não tentaram no primeiro dia porque de que adiantaria assustar ele né? Queriam era prender, mas não adiantou de nada. O cara continuou dançando lá com aquele constante "Tuntz tuntz tuntuz pshhh pshhh buum tshh tah!", ok meu beat box não está dos melhores, mas você tá entendendo né?

Então tentaram outros tipos de bombas de gás, acho que tinha gás do sono no meio e nada do mendigo adormecer. Por fim decidiram usar uma daquelas armas não letais com tranquilizante que costumam usar em animais selvagens para que os veterinários possam tratá-los, sabe? E claro, aquilo iria finalmente dar um jeito na dança do mendigo e poderiam levá-lo e tentar conversar com ele.

Até então a coisa já estava sendo transmitida no país inteiro, talvez até em alguns lugares do mundo, afinal era uma coisa engraçada, um mendigo dançarino. Quando atiraram nele, várias emissoras estavam filmando, era um daqueles momentos que todos esperam ver e chamam os outros parentes para dizer que vai acontecer, sabe?

Quando o cara apertou o gatilho, sabe o que aconteceu? O mendigo deu um giro e segurou o dardo com o dedo indicador e médio da mão direita. Ele finalmente deu uma paradinha com aquela pose e mantendo o dardo preso nos dedos, enquanto fazia um barulho de beat box, era algo do tipo "shoooooooonnnnn", e então começou de novo com as batidas enquanto dava uma girada e arremessou o dardo de volta pro atirador, ele acertou bem no pescoço do cara, que caiu duro na hora. Não, ele não morreu, mas é claro que todo mundo ficou sem fala naquela hora né? Aquilo parecia uma ficção estranha.

Depois de uma semana, esse era o assunto mais falado em todo lugar, afinal o o cara não parava de dançar! "O mendigo dançarino de Brasília", foi como chamaram ele. Já não era mais a polícia que tomava conta do assunto, mas sim o próprio exército, os caras continuavam tentando de tudo, às vezes até repetiam coisas, como tentar ir pegar o mendigo na força bruta, o que sempre resultava alguns soldados desmaiados.

Após um mês, outros países enviaram cientistas para tentar dar uma resposta para algo tão esquisito. Afinal de contas como é que uma pessoa conseguia ficar um mês sem comer, beber, dormir e ainda dançando sem parar? É claro que eles não podiam chegar perto se não quisessem tomar uma voadora, mas fizeram todos aqueles cálculos de cientistas que eu não entendo.

Muita gente dizia que era mentira, os curiosos não paravam de aparecer. As pessoas só acreditavam quando viam, alguns diziam que era algum tipo de jogo de marketing para promover um filme ou qualquer coisa do tipo. Muita gente ia pra lá e ficava plantada, teve gente que começou a levar saco de dormir para observar o mendigo dançarino e ver se não trocavam de "ator". Não demorou muito para verem que realmente era o mesmo cara dançando sem parar.

Mas foi no segundo mês que as coisas começaram a ficar mais assustadoras. Você sabe como são os religiosos né? Pois é, como você já deve imaginar, eles estavam falando que era um cara possuído pelo diabo. Mas com tanto tempo assim, a história aumentou e passaram a falar sobre ser um sinal do apocalipse, afinal de contas algo tão bizarro era impossível, aquilo só podia ser um anúncio do fim.

As pessoas passaram a ficar mais religiosas, igrejas enchiam, alguns diziam que era besteira, mas era difícil não negar que aquilo era estranho demais e assim tinham os que negavam que era algo religioso mas estavam nervosos também. Muita gente que não acreditava em Deus acabou se convertendo e levando isso como sendo o sinal que precisavam pra acreditar em algo sobrenatural.

E aí começaram a aparecer os malucões, pessoas com facas e armas de fogo que tentavam matar o mendigo. Mas nenhum deles conseguia chegar perto, os soldados simplesmente não deixavam, uma passarela foi construída para as pessoas passarem, ela ia para o outro lado da pista, seguia reto e então voltava pro calçadão da plataforma.

Com os ataques o exército acabou construindo uma barraca ao redor do lugar, ocultando o mendigo do olhar das pessoas. E o povo cada vez ficava mais nervoso com aquilo, depois de alguns meses e nada de fim do mundo, aquele medo de ir para o inferno foi diminuindo é claro, pois é assim que qualquer humano age, primeiro vem o medo e depois isso se vai quando nada acontece.

Mas então vieram os caras das teorias da conspiração, muitos diziam que o Mendigo Dançarino de Brasília era uma criação do próprio exército, um teste para algo, outros diziam que era obra de alguma sociedade secreta. Claro, tinham os malucos dos alienígenas, os que falavam sobre outra dimensão, entre outras coisas...

E aí os religiosos voltaram, mas não com medo, mas sim como adoração, pessoas deixando oferendas e pedindo para parentes serem curados de doenças, pessoas indo do mundo todo visitá-lo para serem abençoadas, entre outras coisas. Foi uma loucura! Mas não parou por aí não, criaram uma religião chamada Rattaz Oiac, bom, a pronuncia não é essa, eu não sei pronunciar direito, é de uma forma meio afeminada e eles ficam frustrados se você não pronuncia certo, mas tanto faz, o que realmente importa é, adivinha só quem era o deus dessa religião? Pois é! O Mendigo!

Mas era de se esperar né? Tem gente pra adorar tudo, mas o deus dos caras estava presente bem ali. Tomar uma voadora bem no crânio era como receber uma bênção. Já vi as reuniões dele pela TV, os caras dançam, falam que é uma forma de liberar a energia, de fazer contato com a natureza e toda aquela balela.

No segundo ano com o mendigo continuando dançando e as inúmeras tentativas falhas do exército em capturá-lo, os norte americanos inventaram a desculpa de que aquilo era uma coisa perigosa e que precisavam tomar providências, sendo assim queriam enviar o exército americano para trabalhar em conjunto com o brasileiro.

É claro que o país não aceitou tão bem e isso fez com que as coisas começassem a esquentar. Todos sabiam que o que eles queriam mesmo era arrumar uma forma de levar o mendigo pra eles. A população tinha opiniões variadas, alguns apoiavam, pois queriam descobrir o que era, outros diziam que ele era nosso e o Brasil não podia dar o braço a torcer.

Os seguidores de Rattaz Oiac já tinham membros em todo o mundo, e passaram a fazer caravanas para visitarem sem deus. O turismo tinha disparado em Brasília, as pessoas queriam ver o tal mendigo dançarino. Existiam inclusive alguns projetos propostos pelos Rattaz Oiac para reformular a plataforma e montar um enorme templo ali. Tinha até lógica, mas como é a obra mais complexa de Brasília, eles não queriam manchar a imagem do Lucio Costa e deformar a cidade, já que ela foi projetada para ser assim.

Com o passar dos anos, as coisas foram ficando cada vez mais quentes, os americanos estavam ficando nervosos, os seguidores de Rattaz Oiacmais fanáticos e uma decisão do governo tinha que ser cuidadosa. Manifestações relacionadas ao mendigo aconteciam o tempo todo, era a nova floresta amazônica. Diziam que o mendigo era patrimônio mundial e não nosso.

Chegou a um ponto em que vários países já estavam envolvidos e o governo brasileiro temia que a terceira guerra mundial acontecesse a qualquer momento. Dá pra acreditar? A terceira guerra mundial por causa de um mendigo dançarino cara!

E o que o governo fez? O que faz de melhor né? Enrolar! E assim começou uma campanha para dizer o quanto o mendigo era mal, algumas declarações sobre vítimas do mendigo, com histórias emocionantes como a do homem que ficou tetraplégico depois de tomar uma cotovelada na espinha, e da mulher que que perdeu a memória.

A mídia ajudou muito, certamente foi comprada. Os seguidores de Rattaz Oiac estavam revoltados com o sensacionalismo e os protestos ferviam, mas você sabe como a população é controlada pela mídia né? E assim o preconceito rolou solto. Mas a coisa explodiu mesmo quando fizeram toda uma cerimônia mostrando um fiel da Rattaz Oiac tendo o seu sonho realizado e ganhando permissão para visitar o mendigo.

O que aconteceu é que ele tomou um chute com dois pés bem nas costelas e foi arremessado para fora da barraca, saindo da plataforma e morrendo. Mostraram as imagens dele todo contorcido, mas o engraçado é que ninguém ficou sabendo e dizem que foi armação. Tem muitas coisas que indicam que aquele não era o mendigo, pra começar pela história estranha, toda filmada pela mídia e com um toque emocionante. Depois tem o mendigo que não mostrou o rosto em momento algum nas filmagens, sempre está de costas ou em ângulos ruins, e como é um lugar fechado, ninguém sabe se aquilo é mesmo a plataforma um cenário fechado, a discussão na internet é fervorosa sobre a veracidade. Os Rattaz Oiac dizem que é mentira e que nunca ficaram sabendo disso, além de nenhuma congregação registrar que o tal fiel fervoroso era dela.

Porém essa foi a desculpa do governo para acabar com o problema, decidiram matar o mendigo! Aparentemente isso não era pra ter vazado, mas entre os próprios políticos tinham Rattaz Oiac, os caras estavam em toda parte, ou seja, esse tipo de decisão se tornou pública bem rapidamente.

As manifestações foram estrondosas, mas um argumento forte era que se ele era um deus, com certeza não iria morrer. Isso desafiava a fé dos membros da Rattaz Oiac, e em negociações com os líderes, eles ficaram certos de que sua fé era real e que não conseguiriam fazer algum mal ao mendigo.

Claro que tinham alguns outros problemas, como os direitos humanos, eles não podiam deixar que algo assim fosse feito a uma pessoa. Mas esses não tinham um argumento muito forte, ou talvez não tenham se interessado tanto, afinal de contas o cara tava dançando há anos né? E sempre com o "Tpuntz tuntz tuf tuf tuf zuuummmm".

E então as negociações foram feitas com os representantes da Rattaz Oiac, eles aceitaram com a condição de que fosse feito a céu aberto, para que todos pudessem ver. Cara, imagina a multidão que foi naquele lugar! Era uma loucura! Tinham milhões de pessoas, isso mesmo eu disse milhões! Obviamente aquela plataforma da rodoviária não podia aguentar e assim na parte de baixo estava lotado até onde os olhos podiam ver, o show do Rod Stewart de 1994 em Copacabana não era nada perto daquilo, colocaram telões espalhados por Brasília inteira.

Com a quantidade de fieis de Rattaz Oiac presentes, muita gente estava chamando aquilo de evento religioso e comparando à crucificação, é claro que os cristãos não gostaram nem um pouco desse papo né? A briga rolou solta, todo mundo estava nervoso, o exército estava presente em grande quantidade, mas não só eles, a polícia e qualquer coisa que vestisse um uniforme ganhou uma bela hora extra naquele dia.

As pessoas estavam ansiosas, afinal de contas o que iria acontecer? E se o mendigo morresse? Aquela multidão beirava o caos. Isso sem contar com as brigas que já estavam acontecendo né? Discussões religiosas, debates políticos e outras coisas. As pessoas estavam extremamente nervosas com o grande evento.

E foi então que chegou o momento, uma equipe de fuzilamento se preparou naquela manhã de quarta feira. Não sei bem o motivo da escolha do dia e horário, mas acho que tinha a ver com pessoas estarem trabalhando e assim ter menos gente, o que obviamente acabou não sendo muito eficaz. Os soldados tiveram que se posicionar muito bem, tinha uma multidão ao redor, então as balas tinham que ir pra cima ou acertar o chão, não podiam ir reto nem pensar, portanto havia uma barreira com vários metros de distância.

Finalmente chegou a hora e sentaram o dedo no gatilho até acabarem os pentes das metralhadoras, e adivinha só? O mendigo desviava de balas! Cara, aquilo parecia Matrix, obviamente na hora não dava pra ver, então o que vimos foi meramente ele pulando de um lado pro outro, como se apenas tivesse dançando mais rápido, mas emissoras de TV estavam preparadas com câmeras que capturavam muitos quadros a ponto de mostrar em câmera lenta e nos vídeos é possível se ver direitinho.

Foi impressionante, ele continuou dançando, ao se olhar em câmera lenta você vê as balas passando pra todo lado enquanto ele dança, prevendo cada uma delas, isso sem contar com o "tun turun tun ts tun!" de sempre. Na hora a população aplaudiu, gritou, vaiou, brigou, era tudo junto, mas todos estavam impressionados.

E então veio a segunda tentativa, soldados com lança chamas, aí a coisa era outra né? Pois estávamos falando de fogo contínuo vindo de todos os lados, como fugir de fogo? Ao ligarem as chamas muitos pensaram que era o fim, mas o mendigo simplesmente continuou dançando, girando, dando cambalhotas, ele não desviou, só recebeu as labaredas.

Após vários minutos com uma imensa quantidade de fogo de todos os lados, e ele dançando, os soldados finalmente soltaram os gatilhos e simplesmente não aconteceu nada! Ele continuou dançando e nem ao menos a sua roupa queimou, o cara era invulnerável a fogo!

Depois disso as discussões no governo foram fervorosas, eles tinham que acabar com aquilo, não poderia acontecer novamente uma reunião tão grande de pessoas, era a beira do caos e aquilo precisava acontecer. O mendigo tinha que ser morto ou removido daquele lugar a qualquer custo, era simplesmente um ambiente pequeno demais e que chamava olhos de curiosos.

Com os vários governos do mundo vendo como o governo brasileiro era ineficaz quanto à suposta ameaça, falhar nessa missão teria terríveis consequências. Era um evento grande demais sendo mostrado ao mundo. Parte dos que estavam ali sabiam disso e desejavam que o mendigo fosse morto ou removido daquele lugar, muitos temiam a guerra.

A tarde a decisão tinha sido tomada e era drástica, iriam explodir aquela parte da plataforma usando C4. A operação tinha que ser cuidadosa, eles sabiam que não poderiam simplesmente lançar uma granada, pois o mendigo poderia chutar ela no povo, aí já viu né? Ao mesmo tempo ele não deixaria  ninguém se aproximar para instalar alguma C4.

O resultado foi instalarem na parte de baixo da plataforma, ou seja, iriam destruir aquela área toda! A não ser que o mendigo voasse também, ele finalmente iria sair dali, depois era só reconstruir e assim manter a dignidade da obra de Lucio Costa. Com isso prepararam tudo e lá pelas dez da noite, com a multidão menor que a da manhã, porém ainda gigantesca, eles iriam finalmente explodir toda a área.

A Multidão foi afastada ainda mais e orientada a ir embora, mas você sabe como são as pessoas né? Todo mundo quer saber primeiro a fofoca. E lá estavam as pessoas quietinhas e atentas, prontas para ver como o mendigo iria se safar dessa, ou se ele finalmente iria cair.

Um detalhe é que naquele dia, após as falhas, as pessoas parecem ter ficado mais conscientes, passaram a falar sobre guerra, algo realmente sério. Você sabe né? Quando tem muita gente junta, a paranoia domina tudo. Então o medo de estarmos sendo expostos ao mundo como incapazes de cuidar de um "problema" que pode afetar o planeta inteiro, de acordo com uma suposta conspiração, poderia resultar em uma invasão.

E logo um grito de guerra começou, e ele foi pros livros de história, o povo gritava "Explode o mendigo! Explode o mendigo! Explode o mendigo! Explode o mendigo!".Acho que só os seguidores do Rattaz Oiac que não participaram do grito, era outra coisa que gritavam, nem foi pros livros de história, mas era a verdadeira crucificação aquilo, com a população querendo que o mendigo morresse.

O povo continuou "Explode o mendigo! Explode o mendigo! Explode o mendigo..." e então "bum!", explodiram o mendigo, foi concreto pra todo lado, uma imensa fumaça de destroços subiu e ocultou todo o lugar, ninguém podia ver nada. Todos estavam curiosos, as câmeras mostravam vários ângulos, mas a fumaça era demais. Todos estavam na expectativa de ver o mendigão voador dançarino aparecer a qualquer momento fazendo piruetas no ar.

Porém uns dois minutos depois, que pareceram uma verdadeira eternidade para os vários olhos curiosos, foram o suficiente para que a fumaça finalmente baixasse, todos estavam ansiosos demais para ver o que estava atrás daquela cortina de fumaça, mas adivinha só? O mendigo tinha desaparecido! Simplesmente sumiu!

As pessoas estavam confusas, afinal de contas já tinha anos que ele estava lá dançando, sendo assim a ideia dele desaparecer tão repentinamente quanto surgiu era esquisita demais. As coisas iriam mudar, a ameaça externa iria acabar. A calçada finalmente estava livre para as pessoas passarem. Um novo grito de guerra começou, as pessoas berravam "A calçada é nossa! A calçada é nossa! A calçada é nossa! A calçada é nossa!". Esse também foi pros livros de história.

Acredito que o alívio de evitar uma guerra era tão grande, que o povo conseguiu ser mais amigável naquele momento. Digo isso porque tudo indicava que não importando o resultado, algo de muito ruim iria acontecer, a multidão certamente sairia do controle. Mas nem os Rattaz Oiac agiram de forma hostil, alguns choraram e tal, mas nada de agressividade.

Só que aí aconteceu algo que mudou tudo de uma hora pra outra, eu lembro até hoje de um cara ao meu lado, ele gritou "Mas o que é que é aquilo ali?". Em um dos telões instalados em um prédio, era possível ver os destroços que tinham caído na parte de baixo da plataforma, esses ainda tinham uma fumaça, mas estava quase se dissolvendo.

O câmera foi se aproximando e todos puderam ver o vulto de alguém se levantando dos destroços, e quando o cara do áudio colocou o microfone perto da fumaça, adivinha o que foi transmitido por vários autofalantes naquele momento?  "Tun, tunruntuntun tun tun tun tssss bunbunbunbum! psss pum!".

O mendigo se estilosamente ergueu do meio dos destroços que estavam próximos a uma pista, ele colocou os braços à frente das pernas em forma de X, com punhos cerrados e então os abriu de uma vez, o que ainda tinha de fumaça no lugar, voou para os lados e foi possível vê-lo claramente. Ainda com braços abertos ele começou a dar passos pra frente, mas andar pra trás. Isso mesmo! O mendigo deu um moonwalker e saiu dali. Começou a deslizar pra trás mexendo a cabecinha e soltando o "pf pftun pf pfun" ou qualquer coisa do tipo, o cara parecia o Michael Jackson reencarnado.

Sabe pra onde ele foi? Pro meio da rodoviária, é isso aí, aquele lugar onde pessoas comercializam produtos e passam o tempo todo, e já chegou descendo a voadora em algum infeliz que estava por lá. A foto foi pros livros de história também, depois te mostrarei. Depois disso as coisas pareciam que iam esquentar, mas até que foi tranquilo, isso foi há uns dez anos atrás, os americanos ganharam o direito de entrar aqui, foi mais por medo que nosso governo teve né, recebemos alguns benefícios para disfarçar e fazer parecer que foi uma parceria. Mas no fim das contas acho que eles cansaram de tomar porrada do mendigo sem nunca descobrir absolutamente nada sobre ele, depois de uns anos as tropas americanas foram retiradas, e o Mendigo Dançarino de Brasília continua lá até hoje, dançando e dançando e dançando...

Autor: Thiago P. Correia

Mas espera aí, você quer muito saber de onde veio o mendigo e o motivo disso tudo? Talvez não tenha resposta... Ou talvez você possa comprar o meu livro Folhas Secas Daquele Outono e descobrir umas possibilidades além de ter minha gratidão eterna! ;)

2 comentários:

Miya Seat Lee disse...

Hahahahaha! Que loucura este conto/divulgação de livro, hein?
Fico pensando sobre o que vc anda consumindo para ter este grau de abstração...

Matt Kist disse...

O_O
Hoje eu me converterei ao Rattaz Oiac-ismo...