Temporario



Jogos | Séries | Filmes | RPG e Tabuleiro | Animes | Creepypastas | Quadrinhos | Livros | Mapa do Blog | Sobre o Blog | Contato |

sábado, 7 de março de 2015

A terra em que Deus mentiu - Capítulo 20

Esse é um conto interativo onde após a leitura de cada capítulo, os leitores votam na decisão que o personagem tomará para a continuação. Antes de começar, leia o que veio anteriormente:


Por favor, leiam e apontem qualquer erro de português ou digitação, não precisam dizer em que linha está, apenas escrever o trecho e o acharei, isso garantirá que leitores que venham depois, possam ter uma leitura mais agradável.

Capítulo 20

Fico calado por um momento de indecisão, mas decido que é melhor tentar fingir ser um membro da Casa de Ogumir, no entanto tenho que tomar muito cuidado e evitar ao máximo que ele me identifique. Sem olhar para o atendente, digo:

-Me diga você o que tem ouvido falar...
-São muitas coisas, mas dizem que os alados do grande salão do trono foram libertos e que a Morte negou uma ordem direta de eliminá-los. - Ele fala me servindo hidromel.
-É o que estão falando? - Digo com um sorriso de deboche, como se não ligasse muito para isso. Mas a verdade é que me preocupa, Ensis tem que tomar cuidado, sem ela a minha missão falhará e estamos andando por um caminho perigoso.
-Sim, o que não me surpreenderia se fosse verdade, quero dizer... Me desculpe, eu sei que ela é de sua Casa, porém convenhamos que a atuação dela na arena não foi das melhores. Simplesmente poupar um escravo? Que merda foi aquela? Eu pago pra ver morte, não aquele lixo. Mas então, é isso mesmo?
-Você sabe como as notícias são distorcidas pelas pessoas, qualquer besteirinha e já exageram ao máximo, ainda mais depois de hoje.
-É, você tem razão, está todo mundo muito nervoso, além do mais ela teria que ser louca para receber uma ordem direta e depois do que fez, ainda negar.
-O que estão falando mais sobre isso?
-Está todo mundo dizendo que tem alados atacando a cidade, agora isso sim é um pouco de emoção. Se pudesse, eu mesmo ajudaria a matar esses malditos. Vez ou outra, saio para caçar alados, esse é o tipo de coisa que dá emoção a vida, mas você sabe...
-Sim, tem mais alguma notícia interessante correndo sobre a Casa de Ogumir? - Pergunto, mas acho que estou arriscando demais, após essa resposta não insistirei mais, ou ele desconfiará.
-Não... Você é muito interessado em saber coisas sobre sua própria Casa...
-Gosto de me manter informado sobre o que estão inventando, ainda mais depois desses boatos absurdos.
-Entendi, mantendo-se atento às más línguas não é?
-Isso.
-Mas o povo tem falado mesmo é sobre a morte de Rulter.
-E você acredita nisso? - Tento manter minha voz neutra, não sei exatamente o que pensar sobre, mas ouvi pessoas falarem sobre isso em meio a multidão. Será que é verdade?
-Acho que não, mas você deve estar feliz, suas Casas se odiavam afinal.
-Não creio em boatos tão facilmente, mas preferia eu mesmo tê-lo matado na arena.
-Sentir o gosto do sangue do rival, isso sim é uma vitória de verdade, entendo você.
-O que estão falando sobre sua morte?
-Dizem que um escravo matou, dá pra acreditar? Eu acho que isso é mentira, estamos falando de um Mestre de Casa, e de um guerreiro de Xibalba, não qualquer um. Nós matamos alados sozinhos enquanto grupos do resto do reino se apavoram ao ver um mero Querubim.
-Pode ser... Bom, agora eu vou indo, obrigado pelas informações.
-Ei, você nem tocou no hidromel.
-Perdi a vontade, voltarei a Casa de Ogumir.

A verdade é que tenho que manter os meus sentidos atentos, não posso me embebedar, já me sinto enjoado o suficiente graças à perda do meu olho, estou exausto. Não queria usar um dos meus contatos em Xibalba tão rapidamente, mas estou sem muitas alternativas, tenho que me livrar desse manto e um lugar para descansar. Estou chamando muito a atenção, um dos assuntos principais é a Casa de Ogumir e isso me coloca como alvo de muitos olhares, porém retirar o manto e jogar no chão pode chamar muita atenção também, além de expor meu rosto, com azar alguém pode lembrar claramente ao me ver, e se em meio aos boatos estiverem falando que aquele escravo que matou Rulter fui eu, será ainda pior.

Ando pesadamente, quando algo me chama a atenção na multidão, uma gritaria ainda maior que a outra, olho para a minha direita e vejo a multidão se abrir, afastando-se de algo. Me aproximo e vejo que  há uma pessoa cristalizada. Antes que eu tenha tempo para pensar, ouço uma gritaria a não mais que dois metros de mim, e ao olhar, vejo uma mulher sendo atingida por um tipo de raio luminoso, sua pele começa a derreter como se fosse uma gosma, mas logo a gosma fica transparente como cristal e ela fica paralisada. Ouço alguém gritar:

-São Principiados! Eles saíram da casa de Ogumir! Estão nos atacando!
-Olha! Tem um membro da Casa aqui! Faça alguma coisa! - Diz outra voz.

Olho e percebo que estou recebendo muitos olhares, assim como comentários do tipo "Isso é problema dele!" ou "Vamos ver se eles são tão bons assim.", sinto meu corpo estremecer, não sou capaz de enfrentar qualquer tipo de alado, ainda mais na condição que estou.

1 - Sair correndo com outros, como se não tivesse ouvido.
2 - Dizer "Vocês são cidadãos de Xibalba ou garotinhas assustadas?".
3 - Falar "Eu não tenho tempo pra isso agora" e sair apressadamente.
4 - Pedir por uma espada e perguntar "Somos cidadãos de Xibalba! Vamos mostrar a esses desgraçados! Quem está comigo?" na esperança de outros cidadãos fazerem todo o trabalho.

Por favor apontem os erros =( vocês devem votar até hoje a meia noite pra votar. =)

2 comentários:

Miya Seat Lee disse...

3-

"que muitos estou recebendo muitos olhares"
"assim como comentários como" - sugestão: assim como comentários do tipo

Skywalkerpg disse...

Valeu, arrumado! =D