Temporario



Jogos | Séries | Filmes | RPG e Tabuleiro | Animes | Creepypastas | Quadrinhos | Livros | Mapa do Blog | Sobre o Blog | Contato |

domingo, 5 de maio de 2013

Hellraiser: Bloodline - Um filme que me impressionou!



História

No século XVIII um criador de brinquedos é contratado para fazer a sua verdadeira obra prima, uma caixa com um enigma para ser resolvido. No entanto o pedido foi feito por um culto diabólico prestes  a usar a caixa em um ritual que a transformará em um verdadeiro portal para o inferno, permitindo que demônios andem pela terra. Após isso, de geração em geração os descendentes do criador de brinquedos seguiram a mesma profissão, até que em 1996, o primeiro demônio liberado pela caixa decide ir atrás da linhagem.


Sobre o filme

Nossa, depois da desgraça que foi Hellraiser 3, eu não esperava mais nada da franquia, isso porque normalmente depois que um filme é ruim, já era, o resto só vão ficando cada vez piores e perdendo toda a "magia" criada no início. E no começo desse quarto filme da franquia eu já comecei  a rir quando vi que o filme começou no futuro. O que pensei foi "Pronto! Agora vai virar um filme futurístico, eita maravilha!".

Isso porque no terceiro filme eu já achei totalmente bizarro os cenobites que pareciam robôs, então imagina uma obra que o ambiente inteiro é no futuro? Só que essa impressão inicial passou rapidamente quando vi o cara começar a contar a história da origem da caixa no século XVIII. Daí passei a perceber que isso tinha sido bem feito, só que foi passando o tempo de filme e vi que tava demorando demais ele falando a história de sua linhagem e assim percebi que o filme não era no futuro, mas sim terminava no futuro, o que já mudou meu modo de ver.

Os caras fizeram uma história bem bolada e não fizeram como Highlander 3, que viu que o segundo filme era tão ruim que decidiu fingir que ele nunca existia, em Hellraiser 4 os caras fazem uma ligação com o terceiro filme e dão um nexo ENORME ao fim do filme que eu tinha achado super forçado, então ficou muito legal mesmo.

Os cenobites dessa vez foram tratados adequadamente, são criaturas que transmitem a imagem que os primeiros transmitiam, de dor e prazer juntos em uma criatura. A personalidade de Pinhead também é apresentada de forma muito interessante, como uma criatura bastante complexa e não apenas aquele retardado louco por chacina do terceiro filme, nesse tem por exemplo uma cena que olha por um monitor a imagem da terra e começa a descrever como é perfeito esse lugar, é simplesmente foda demais essa cena, bastante intensa a narração. Foi massa também terem inserido demônios, mas não colocaram algo exagerado como uma criatura feia com asas, e sim uma mulher com um demônio preso a seu corpo.

Enfim

Esse é um filme que me surpreendeu, não achei tão bom quando o primeiro, mas eu diria que chega bem perto de ser. O filme também não precisa ser assistido necessariamente depois do terceiro, ele pode ser assistido até mesmo antes do primeiro, pois conta a história da família Merchant e do demônio que um membro liberou, enquanto o primeiro conta a história da família Cotton e sua ligação com a caixa. No Brasil foram lançados diversos produtos da franquia Hellraiser, inclusive um livro em português.

4 comentários:

Jardel Rodrigo Holub disse...

EU estou com o filme 3 e o 4 pra ver mas aquela preguiça de se divertir q vc falou é verdade n coisigo assistir XD, mas logo verei talvez com esse post me inspire a ver :3

Ruan Carvalho disse...

Ei sky você que gosta western vai curtir Gun, e se gosta de sandbox, vampire the masquerade: Bloodlines!
Os dois tem história muito boa vale a pena jogar!

Skywalkerpg disse...

Já joguei os dois, muito bons mesmo. *-*

Ruan Carvalho disse...

Faz um post para cada um blog!
Por Favor!!!!!!!!!!!!!!!!!