Big Earth | Jogo brasileiro de ficção científica em que você é menor que folhas de grama

Esse é um jogo que acho que pode acabar passando de forma despercebida por muita gente, já que eu mesmo acabei só ouvindo falar quando o próprio desenvolvedor conversou comigo. E olha que sempre procuro ficar ligado em jogos brasileiros! Sendo assim, se você gosta de dar aquele apoio para a indústria nacional, tá aí uma opção. E é hora da review!

A história se passa em um futuro onde abusaram dos recursos naturais da terra até acabarem com tudo. Isso fez com que uma empresa decidisse abrir um projeto para a restauração total do planeta, fazendo o plantio em certas áreas. Mas durante uma das missões automatizadas, cápsulas são perdidas e assim enviam o cientista Kyle Seed para coletá-las de volta.
Muito provavelmente o que mais chama a atenção nesse jogo de primeira é o seu visual, já que o personagem é menor do que folhas de grama. O resultado é aquele ambiente gigantesco, com plantas enormes ao seu redor, que naturalmente se torna provocante, já que os desafios notavelmente estão relacionados à grandiosidade do cenário.

E a jogabilidade é a de um puzzle de plataforma. Sendo assim, o objetivo das fases é basicamente conseguir atravessar elas de uma ponta a outra. E para fazer isso, você usa as habilidades do personagem somadas ao seu equipamento, que com o tempo vai sendo aperfeiçoado e melhorando cada vez mais para que você enfrente novos tipos de desafios.
É um personagem que pode não apenas correr, mas dar pulos duplos e deslizar no ar para conseguir alcançar áreas mais distantes. E também conta com uma arma que pode ser usada de várias maneiras, sendo inicialmente para iluminação e também algo semelhante à physics gun de Half-Life 2, onde você pode levitar objetos pesados e carregar para outro lugar. Mas depois vão sendo destravadas novas habilidades.
Essa arma inclusive é essencial, já que frequentemente você precisa pegar cubos e colocar em certos lugares, sejam empilhados para que você alcance ambientes mais altos, sejam em cima de espinhos para que você não morra. E claro, isso acaba sendo parte do desafio da coisa, te colocando para às vezes pegar um cubo em um ponto e levar para uma área completamente diferente.
Essa arma vai sendo melhorada e você pode trocar o tipo de tiro. Dessa forma vai usando dependendo do que for necessário no momento. Por exemplo a pequena planta que você pode plantar e fazer crescer um pouco, o que é suficiente para que você suba em cima e possa chegar a ambientes mais altos. E assim você vai combinando as habilidades da arma para situações certas.

Os quebra-cabeças presentes também são baseados nessas habilidades, às vezes não sendo tão óbvios quanto pegar uma caixa e colocar em um lugar, como quando aparece um escorpião muito maior que você e se proteger dele não depende de se esconder ou colocar um obstáculo na frente, mas meramente ligar a lanterna.
Os gráficos do jogo são muito bonitos, com ambientes realmente robustos, cheio de detalhes em uma vegetação imersiva que fica realmente bonita com a quantidade de efeitos, que vão desde oclusão até sombras, chuva e outros efeitos, te fazendo se sentir vagando por uma gigantesca floresta. Como disse, acho que é a coisa que mais impressiona alguém que bate os olhos.

Infelizmente não é um jogo perfeito, e acho que faltou polidez na física, sendo que subir em caixas foi um verdadeiro inferno pra mim em diversos momentos. Para muitas pessoas certamente não será problema, especialmente vendo as altas notas na Steam, mas no meu caso eu achei frustrante, me parecendo um daqueles jogos de física que são feitos focados em desesperar o jogador, o que creio que não seja o caso aqui.
Uma outra coisa que me incomodou bastante, foi a ausência de tradução para português. Eu entendo perfeitamente que jogos nacionais não tenham dublagem em português, afinal de contas dublagem é cara e é melhor investir em uma que o mundo inteiro vai aproveitar. Mas no caso da legenda... Isso eu realmente acho um grande ponto negativo para uma obra nacional.

Enfim, Big Earth é um jogo com uma proposta interessante, belo visual e que vi que muita gente curtiu bastante. Infelizmente não conseguiu me encantar, mas talvez para os fãs de puzzle realmente seja uma opção bacana. Recomendo sempre dar uma olhadinha no preço dele na GMG antes de comprar na loja direta, algumas vezes os preços deles estão bem abaixo do normal, e comprando keys lá, você acumula XP e vantagens que pode inclusive render outros jogos de forma gratuita, coisas que a Steam não tem, dê uma conferida aqui.

Postar um comentário

0 Comentários