ORX | Belíssimo Tower Defense híbrido com jogo de tabuleiro e RPG

Esse é um jogo que a ideia em si é um verdadeiro mistureba, cheio de elementos de vários estilos e que me atraiu de primeira por seu visual magnífico, que só se mostrou ainda mais elegante quando resolvi experimentar. Para quem gosta de administrar cidades e da emoção de enfrentar hordas de invasores, certamente vai achar interessante.

A história é bastante simples, apresentando um cenário sobre um típico universo de fantasia medieval, e em que os "ORX" estão em legiões, prontos para destruir a humanidade. Dessa maneira, o reino precisa se preparar e enfrentar as criaturas, tendo pouco tempo antes de sua chegada e precisando administrar da melhor maneira os recursos.
Uma coisa que adorei nesse jogo, é que ele tem tudo pra ser fofinho e engraçado como a maioria dos jogos medievais insistem em fazer. Mas o que temos aqui é um verdadeiro universo de Dark Fantasy. Então existe uma narrativa densa. Algo que vejo muito pouco, um exemplo foi o magnífico Death Crown, que tem também um mundo de fantasia sombria.

O resultado disso foi algo realmente muito elegante. Isso mostra o quanto muitos jogos poderiam ter uma atmosfera bem mais densa, mas sempre recorrem para os orcs engraçados e as situações hilárias em mundos medievais, tornando apenas mais um jogo genérico. Porém aqui vemos algo que pode levar a crer que é algo assim até pelo próprio gênero Tower Defense, mas é bem mais.
A começar pelo visual, que é uma coisa que em uma olhada rápida é só fofinho mesmo. Mas primeiro tem a paleta de cores que é colorida, mas toda obscura graças à forte quantidade da cor preta, e desse jeito, mesmo com algumas cores gritantes, dá uma atmosfera mais sombria à coisa que acaba caindo muitíssimo bem e dando uma personalidade própria.

Vendo imagens aleatórias na página da Steam ou na internet em geral, talvez isso não seja visível. Mas na primeira vez que você entra no jogo, já tem uma visão maravilhosa do menu, com um rei com aparência muito desgastada, e depois dessa imagem, vários elementos visuais que simbolizam as coisas mostram que o jogo segue nesse padrão, seja o design das cartas, seja elementos na hora da narrativa, como uma ilustração ao estilo de arte medieval com um guerreiro avistando uma mulher fantasmagórica levitando em um lago.
Durante o jogo você pode aproximar a câmera e ver de forma ainda mais detalhada toda a beleza presente. Especialmente dos inimigos, ainda mais quando se fala dos chefes, já que eles têm um tamanho maior e assim conseguem ocupar um baita espaço do cenário, o que também os deixa bem mais detalhados e é notável como trabalharam bem nisso.

A jogabilidade é híbrida, então além de ser do gênero roguelite, em que a cada derrota você vai destravando novas cartas para usar em outras partidas, também conta com o elemento de jogo de tabuleiro semelhante ao clássico carcassonne, e RPG, com momentos para realmente tomar escolhas diante de uma narrativa. Esse mistureba me lembrou um pouco Deck of Ashes e o cardgame Poker Quest.
A começar pelo elemento RPG, o jogo tem um estilo narrativo. Sendo assim você vai ver pequenos textos descrevendo situações do tipo "Você encontra uma espada em uma pedra", retirá-la ou ignorar e seguir em frente? Cada ação tem uma consequência, às vezes é uma surpresa boa e às vezes é algo realmente infeliz. Algumas coisas têm efeito imediato, você pode achar uma carta, outras te levam para a luta.

Em combate você tem um cenário do seu centro da cidade e uma contagem regressiva para que os Orx cheguem. É preciso montar o local, mas não é um mero Tower Defense em que você coloca as defesas. Aqui você tem uma série de unidades e estruturas que precisam ser colocadas de forma lógica. Por exemplo, as cartas de estrada precisam ser conectadas, muralhas de castelos precisam ser rodeadas e fechadas para oferecerem proteção real, unidades de defesa só podem ser colocadas em estradas e assim vai.
Você monta seu baralho e vai colocando o que dá prioridade para uma estratégia adequada ao seu estilo. Na medida em que avança, vai também destravando novas cartas, mas suas decisões fazem surgir algo chamado "corrupção", que precisa ser usada de forma moderada. Você pode equipar algumas coisas com o nível certo de corrupção, mas elas também trazem benefícios para os Orx. Suas decisões também atraem maldições que entram no seu deck sem você colocar e ocupam espaço até você usá-las em batalha e se dar mal.

Enfim, Orx é um jogo bem bacana e o único problema que enfrentei foi graças ao acesso antecipado, com bugs do tipo uma carta poder ser lançada múltiplas vezes e ficar invisível. Mas é o tipo de coisa que pode ser consertada. Recomendo sempre dar uma olhadinha no preço dele na Nuuvem antes de comprar na loja direta, algumas vezes os preços deles estão bem abaixo do normal, e sempre lembre de olhar os cupons de desconto que eles espalham pelo site, que deixa a coisa mais barata ainda, dê uma conferida aqui

Postar um comentário

0 Comentários