Activision tentou comprar a PC Gamer e Kotaku pra abafar o falatório sobre ela

Todo mundo sabe o quanto a coisa pode ficar feia para uma figura pública quando começam a falar mal, e a Activision Blizzard é uma prova do quanto pode ficar podre a imagem de uma grande corporação, sendo atacada de todos os lados. No entanto um segundo relatório do Wall Street Journal, afirmou que a empresa foi ao desespero de tentar corromper a imprensa.

Se você estiver completamente por fora, em julho de 2021 a Activision Blizzard tomou um processo do Departamento de Trabalho Justo e Habitação (DFEH, na sigla em inglês) da Califórnia. E o motivo foi manter a cultura de assédio sexual, físico e moral contra mulheres, além disso também ter uma diferença salarial se você fosse homem.

Depois disso o circo pegou fogo dentro da empresa, ela iniciou um processo de investigação interno. Os funcionários se rebelaram. As coisas ficaram ainda piores quando o Wall Street Journal lançou um dossiê do CEO da empresa, Bobby Kotick, com uma lista absurda de podres, que iam desde agressão até ameaças de morte.
Rolou um abaixo assinado dos funcionários pra tirar ele do cargo, que foi seguido da pressão dos acionistas pra ele sair. Mas nada foi o suficiente pra tirar ele do poder. A empresa lançou declarações dizendo que não tinha provas o suficiente e também eram casos muito antigos, com mais de dez anos, portanto não podiam prosseguir. Então outras empresas começaram a agir, por exemplo a LEGO que disse publicamente que não sabia mais se ia lançar a coleção inspirada em Overwatch. Até mesmo teve o escandaloso banimento da Blizzard na TGA.

Naturalmente a opinião pública da empresa foi lá embaixo e cada notícia descia mais o pau na empresa e no CEO e na cultura de assédio. Isso gerou muitas discussões, muitos à favor de tirar o cara o mais rápido, mas também surgiram defensores, indicando não ter provas. E no fim das contas, em meio ao caos, o público em geral comemorou quando a empresa foi adquirida pela Microsoft. Mesmo escândalos cabulosos como o vice-presidente da Playstation indo pra cadeia porque foi pego em vídeo tentando transar com menor, não distraíram o olhar do público, que só falava da empresa.

Foi a maior aquisição da indústria dos video games, e também conseguiu destaque no mercado em geral, chamando a atenção de gente que não tinha nada a ver com jogos. Por exemplo, ao invés do Twitter destacar um site de jogos falando da notícia, colocou o Estadão. A CNN fez uma matéria focada na polêmica da coisa e por aí vai. 
 
E foi então que o Wall Street Journal voltou com mais detalhes do que acontecia na empresa. Segundo o veículo, o CEO Bobby Kotick estava tão desesperado com a pressão que estava sofrendo e a imagem da empresa caindo em desgraça, que chegou ao extremo de tentar comprar dois dos maiores sites de jogos para distorcer as informações, o Kotaku e o PC Gamer. O comunicado dizia:

“O Sr. Kotick estava ansioso para mudar a narrativa pública sobre a empresa e, nas últimas semanas, sugeriu que a Activision Blizzard fizesse algum tipo de aquisição, incluindo a compra do comércio de veículo jornalístico como Kotaku e PC Gamer, de acordo com pessoas familiarizadas com ele”

Apesar de tudo, nem a Kotaku e nem a PC Gamer se manifestaram em relação ao assunto, ficando quietas quando questionadas sobre a oferta de compra. Isso não é incomum, já que comentar algo assim, poderia fazer futuros compradores temerem fazer ofertas e os sites comentarem.

Postar um comentário

0 Comentários