Death Trash | RPG em um mundo onde carne sai da terra

 
Para quem gosta de obras lovecraftianas e é apaixonado por pixel art, certamente esse é daqueles jogos em que a paixão é à primeira vista. Isso porque aqui temos o melhor da bizarrice visual com um estilo extremamente grotesco e ao mesmo tempo o estilo pixel art tão detalhadamente maravilhoso que tira suspiro das mais variadas gerações.

A história se passa em um planeta chamado "Nexus", onde aconteceu um evento conhecido como "Sangramento" e carne passou a brotar do chão em toda parte. Com isso veio também o colapso da civilização, que começou a viver o horror. Cidades humanas são guardadas por máquinas que tentam preservar a vida.
Aqui você assume o controle de uma pessoa que vivia no subterrâneo, mas certo dia as máquinas te expulsaram por estar contaminado com uma praga extremamente contagiosa. As ordens são que você jamais retorne e também não se reproduza enquanto estiver lá fora, mas é um mundo completamente novo pra você e por isso precisa aprender a lidar com o que está por vir.

Muito provavelmente a primeira coisa que chama a atenção nesse jogo é exatamente o visual grotesco. Esse horror de um mundo cheio de carne com criaturas estranhas é algo naturalmente atraente e com o visual em pixel art que usa uma paleta de cores tão peculiar acaba fazendo ser um daqueles jogos que as screenshots chamam a atenção.
Acho que o único jogo que já vi com um estilo semelhante, mas que ainda assim é algo completamente diferente é Carrion, em que você controla um monstrengão de carne e por isso também temos aquele sangue pra todo lado. Mas aqui, a carne faz parte do universo e por isso o cenário sempre tem esse tipo de detalhe, mas não algo residual e sim algo que faz parte da fauna e flora local, um mundo em que carne é o cenário.

A Crafting Legends fez esse jogo por muitos anos antes de finalmente liberar algo. Por um bom tempo foi possível ver atualizações com gifs dos visuais fantásticos, mas nada de sair, até que finalmente em 2021 o desenvolvedor decidiu lançar em acesso antecipado na steam, mostrando se tratar de um cRPG, ou seja, um jogo de RPG tradicional de computador, mas com suas peculiaridades de Action RPG.
A primeira coisa que você tem que fazer é criar o seu personagem, contando com uma lista de atributos onde é possível distribuir os pontos. As coisas variam desde características com vantagens físicas para os combates até a possibilidade de abrir linhas de diálogos exclusivas para a hora em que você estiver em contato com outros personagens.

Na mesma área de criação de personagem onde estão os atributos, também existe uma área para se colocar pontos em determinadas habilidades que podem te favorecer, como ser bom com determinados tipos de armas, ser bom em compreender os animais, conseguir bater carteiras, etc. Você escolhe o tipo de personagem que achar mais adequado pra seu estilo de jogo.
O combate é no estilo de Action RPG, então apesar do visual ser bem no estilo padrão de cRPGs em geral, onde é comum o combate ser tático em turno ou algo assim, aqui temos um combate direto com ataque, rolagem, tiros, recargas e assim vai. É preciso ficar atento ou você simplesmente toma uma cacetada no crânio.

É o tipo de jogo que você tem recursos, então é bom ficar de olho neles e não simplesmente sair atirando descontroladamente por aí. A medida em que você luta, vai se adaptando e compreendendo melhor o tipo de coisa que deve ou não fazer e como lidar com determinados tipos de inimigos. Além de que também começa a pegar o tempo necessário pra atacar e se afastar.
Existem itens pelo mundo que você coleta e usa de formas estranhas. Por exemplo, vomitar é algo útil, pois você pode usar o fluído corporal em máquinas. Tem alguns "itens" que são bem inusitados, como criaturas de carne que você pode usar animalismo pra pegar e depois usá-las para atacar os seus inimigos, como se fosse um bichinho de estimação.

O mapa tem um estilo de exploração interessante que me lembrou bastante o de Fallout 1, onde você não sabe o que fazer ou pra onde ir. Simplesmente é colocado para andar por um mundo desconhecido e descobrir seja lá o que for. É preciso chegar a cidades, conhecer pessoas, fazer os seus contatos e se virar para sobreviver.
Aliás, o jogo inteiro me lembra bastante os dois primeiros jogos da franquia Fallout, então se você é fã, certamente vai se sentir em casa. Acho que a grande diferença mesmo é o fato de que aqui temos um jogo com mais ação e sem combate em turno, mas no geral esse mundo tão peculiar com um visual que se destaca, a visão isométrica, e a imensa liberdade acabam tendo uma enorme semelhança.

Existe uma sensação meio mística também presente no jogo. Apesar de ser algo pós-apocalíptico, o horror cósmico está presente e a ideia de uma entidade conhecida como "Nexus" e criaturas bizarras como o Fleshkraken (que é um tipo de polvo terrestre de carne com pensamentos), dão aquele toque de que há algo além de meramente um mundo detonado.
O jogo ainda conta com modo cooperativo em tela dividida e que pode ser jogado localmente ou os jogadores podem usar o remoteplay together da steam para jogar na internet. Cada um assume o papel de um personagem com seus próprios atributos e podem explorar individualmente e se ajudar enquanto enfrentam criaturas.


Enfim, esse é um jogo com um charme todo especial que é naturalmente atraente para fãs de pixel art e RPG, além obviamente de elementos lovecraftianos em geral. Recomendo sempre dar uma olhadinha no preço dele na Greenman Gaming antes de comprar na loja direta, algumas vezes os preços deles estão bem abaixo do normal, e sempre lembre de olhar os cupons de desconto que eles espalham pelo site, que deixa a coisa mais barata ainda, dê uma conferida aqui.

Postar um comentário

0 Comentários