Humankind | Crie uma realidade alternativa com a história da humanidade

Para quem é apaixonado por jogos de estratégia e se interessa pelas grandiosidades da história da humanidade, certamente acaba caindo fácil nas graças de jogos do gênero 4X, em que é possível construir impérios e fazer alianças e guerras. Porém, Civilization acabou se tornando um título difícil de ter algo de peso para encará-lo por muitos anos, bom... Ao menos até a chegada de Humankind.

Existem muitos jogos em que você constrói a história por causa dos elementos de RPG. Em um 4X, a coisa é mais literal, porém aqui acaba sendo não apenas literal, mas também familiar, já que grandes acontecimentos da história da humanidade são usados como base para que o jogador crie uma civilização e a guie da forma que achar mais adequada.

Resumindo para quem não é muito familiarizado com o gênero, o que temos aqui não é um jogo de estratégia em tempo real como Conan Unconquered, em que você constrói seu exército, defende seu território e ataca inimigos, nem algo focado mais no combate tático como Desperados 3. Em um 4X você tem trocas comerciais, política, religião e muito mais de maneira profunda, um elemento atingindo outro e assim uma partida pode durar dias.

Você começa com uma tribo nômade descobrindo o mundo e deve vagar por terras desconhecidas para explorar e descobrir o que existe. Esse é o momento de estabelecer seus territórios e ver o que a sorte te traz, meio que como mecânica de jogo de tabuleiro. Você pode achar perigos, mas também áreas com muitas vantagens, indo desde recursos até um terreno muito vantajoso para se posicionar e se dar melhor no futuro.

As descobertas e conquistas que você faz, te geram estrelas de era e você precisa conseguir uma certa quantidade para poder passar para a próxima era, que é quando você pode finalmente pode passar de era e ter acesso a novas tecnologias, mas o melhor é que também pode escolher outra cultura, assim adotando aspectos híbridos e mudando o rumo que as coisas tomam.

Ou seja, você não precisa começar como egípcio e seguir esse estilo até o final, você muda o jeito em que a história é conduzida e por mais que uma cultura contenha certos elementos que são prontos, você pode fazer escolhas e descobertas novas que vão moldando a saga do povo que você está criando. Eventos históricos se misturam completamente.

Quando você descobre uma maravilha do mundo e consegue construir ela, é algo que fica bloqueado para as outras civilizações e graças a isso, grandes construções que conhecemos de um povo, pode acabar sendo de um povo completamente diferente durante a jogatina. É o tipo de elemento que gera situações engraçadas e curiosas. O próprio trailer aparece uma luta entre um americano e um brasileiro para ver quem vai ser o primeiro país a chegar na lua, o que simboliza muito bem a variação da coisa.

Os territórios vão sendo criados na medida em que você constrói cidades. Essas cidades precisam ser bem escolhidas, pois o território ao redor vai gerar determinados tipos de recursos, mas também vai ser um ambiente estratégico onde é possível ter vantagens durante uma guerra. Se você estiver em um ambiente baixo, os inimigos terão vantagens em atacar vindo de cima.
Embora inicialmente o mapa seja completamente aberto para se explorar, fronteiras vão sendo criadas aos pouquinhos e vai chegar um momento em que você vai acabar explorando um local onde já tem dono e aí rola o primeiro contato com aquela civilização e você decide como é que as coisas vão ser. Talvez deseje virar aliado, talvez queira guerrear.

Um contato amigável pode te gerar um bom aliado, porém dependendo do que cada um quer, a coisa pode não ser muito boa. Às vezes o outro povo tem algo que te interesse naquele território e valha a pena entrar em conflito para tentar pegar pra você. Mas a guerra depende do apoio do povo e é preciso considerar terreno, riscos e até mesmo como seu povo será visto diante de outros povos depois de tomar essa atitude.

Aliás, é muito bacana essa questão de visão de outros povos, pois vocês podem ser considerados um povo elegante e diplomata ou verdadeiros selvagens, o que pode ajudar ou dificultar na hora de conseguir parcerias e acordos em geral. Além do mais, as atitudes deixam marcas para o futuro que talvez precisem ser resolvidos para que consiga seguir em frente com algo que surja.

Por exemplo, um mal entendido do passado pode fazer com que um povo exija que você pague um tributo para que consiga resolver um problema histórico causado por você no passado. Da mesma forma, você também pode exigir um tributo para que sua civilização fique tranquila com outro povo. E aí aos poucos vai moldando a sua situação com cada um.
Outra coisa bacana, é que o mundo é vivo, e assim as coisas acontecem mesmo que você não esteja diretamente fazendo escolhas. Por exemplo, existe a religião que é possível criar e adicionar como elemento parte da cultura daquele povo. Isso te deixa no controle, mas se você não criar nenhuma, as fronteiras podem fazer seu trabalho e uma religião criada por outros podem simplesmente virar a religião do seu povo.

Isso não é de todo ruim, e pode ser que traga todos os elementos benéficos, porém você não terá o controle em cima da coisa. Então as escolhas são suas se vale a pena se dedicar a determinados aspectos ou se você pode simplesmente deixar o impacto cultural fazer o trabalho sozinho e assim lidar com outras coisas que considera mais interessantes.
 

Naturalmente há tecnologias a serem desenvolvidas e aos poucos você vai melhorando sua civilização para que fique cada vez mais parecida com o que você deseja alcançar. Talvez seja uma nação guerreira, talvez seja ultra tecnológicas. Você vai gastando seus pontos de ciência para aos poucos fazer as coisas andarem para um rumo.

Graficamente o jogo deve variar no gosto do povo. Achei bem "ok", não é algo que eu já não tenha visto antes em outro lugar, mas não é feio, apenas não tão robusto a ponto de me impressionar. Para a maioria das pessoas acho que poderá ser adequado, até porque levando em consideração a quantidade de itens que fica na tela, aos poucos tudo vai ficando mais robusto.
Eventos narrativos também estão presentes em Humankind, e durante os turnos, às vezes você encontra certas situações em que pode fazer escolhas. Existem vantagens que serão tiradas do evento ou oportunidades perdidas. Dependendo do que você escolher, o rumo das coisas podem ser mais ou menos vantajosos.

Enfim, Humankind não é um jogo para qualquer tipo de pessoa, assim como o gênero 4X em geral. É aquele tipo que exige muito tempo e muita paciência para pegar todas as mecânicas e portanto vai realmente variar de jogador para jogador. Recomendo sempre dar uma olhadinha no preço dele na Greenman Gaming antes de comprar na loja direta, algumas vezes os preços deles estão bem abaixo do normal, e sempre lembre de olhar os cupons de desconto que eles espalham pelo site, que deixa a coisa mais barata ainda, dê uma conferida aqui.

Postar um comentário

0 Comentários