O Poço | Uma verdadeira surpresa cheia de metáforas

Tá aí um filme que um dia vi surgir na Netflix, me pareceu interessante pelas breves imagens que apareceram e fiquei de assistir sem pesquisar, como faço com certa frequência pra tentar me surpreender. Depois vi as pessoas começarem a falar na internet, com teorias e videos do tipo "Entenda o final", e logo pensei "É... Melhor eu ver logo isso antes que postem o final da bagaça na linha do tempo" e foi uma verdadeira surpresa a forma metafórica apresentada e representação de posições políticas e a forma do ser humano agir.

A história é de um homem que vai parar em um lugar chamado de "O Poço" e tem inúmeras plataformas que sempre contam com duas pessoas. No meio há um buraco e sempre vem de cima uma plataforma com um banquete que fica por um tempo ali e então baixa pra próxima. Quanto mais se desce no poço, menos comida sobra. Isso faz com que as pessoas tomem os mais variados tipos de atitude.

Esse é um tipo de filme que acredito que exista um gênero próprio, pois começo a notar um certo padrão. São filmes de ficção científica com uma baita história profunda, mas com baixo orçamento. Acho semelhante a atmosfera apresentada em obras como a série 3% e os filmes Cubo e Circle. Todos feitos com uma grana obviamente limitada, que faz muita gente desistir de imediato, mas que abordam temas relacionados à hipocrisia humana.

Aqui rapidamente você pega muitas das ideias apresentadas, especialmente a de classes sociais. Quanto mais se está em cima, melhor você come. Se você é da plataforma 1, é o primeiro a comer, tudo está organizado e impecável, porém se você estiver no fundo do poço, não vai comer nada, pois os de cima se esbanjam com o que tem, e inclusive pioram a vida dos de baixo e ficam irritados com o que os de cima fazem com  sua comida.

Mas essa é apenas a parte óbvia do filme, pois tem uma quantidade imensa de pequenos detalhes nos diálogos e formas de agir dos personagens, além da simbologia geral da coisa. A cada um mês as duplas mudam de plataforma para uma aleatória e em cada plataforma a atitude das pessoas mudam. Uma pessoa que estava muito embaixo e sobe demais, pode querer esbanjar de forma absurda, sem ligar para o fato de que alguém está onde ele estava e essa atitude dele vai fazer essa pessoa ficar sem comida.

Até mesmo o protagonista é mostrado como um ser humano imperfeito. Por exemplo, cada um pode levar um objeto para o Poço, e ele escolheu um livro. Considerando o fato que teve gente que levou uma katana ou um bolo de dinheiro, a ideia que se passa é de ser um intelectual, e ele realmente passa uma preocupação, porém mesmo assim demonstra que toda essa pinta de bom moço pode mudar bastante diante da ira.

O mesmo em relação ao contrário, alguém capaz de cometer canibalismo para sobreviver mostra ser uma pessoa razoável e que sabe o que está fazendo, mas que não faz isso porque tem algum ódio, mas apenas porque precisa sobreviver e tenta fazer ser a coisa menos horrível possível, pois não é pela maldade em si.

É bem fantástica a quantidade de simbologia presente e tão frequente, o desespero, o rancor, a compaixão e como boas ações podem se transformar em violência e como pode ser pensado como "Por uma boa causa", mas quando se é falado pode soar horrível. Exemplo é quando um personagem de cima diz "Se vocês comerem demais e não deixarem pro de baixo, vou cagar todo dia na comida de vocês" e mais tarde uma personagem fala apaixonadamente "Sim! Você é o Messias, veio para nos salvar! Dê a eles uma escolha! Solidariedade Coletiva ou Merda!".

Mas naturalmente é um filme que pode causar uma treta louca, especialmente por quem gosta de brigar por política. Sendo assim é aquela obra que faz o povo falar "Olha lá! Viram como são os esquerdistas?" ou "Estão vendo? Só podiam ser os de direita!". E ainda "Filme merda! Feito por esquerdistas/direitistas pra puxar o saco pro lado deles!". Mas sinceramente, eu não achei que a coisa puxa muito pra nenhum lado, creio que simbolizou muito bem as atitudes, hipocrisia, medos e como a humanidade por si só é caótica com todo mundo tão cheio de si e acabando de formas horríveis seja pela forma de ser, seja pelo jeito dos outros, seja pelo ambiente inteiro que vai contra.

Enfim, não acredito que seja um filme para todo mundo amar, mas que me agradou demais. Assisti com um amigo usando o Netflix Party, e acho que vale muitíssimo a pena assistir com alguém para conversar com a pessoa sobre certos detalhes. Passa bem rapidinho e ao meu ver é aquele tipo de filme que automaticamente faz os americanos pensarem em um remake (O filme é espanhol).

Postar um comentário

0 Comentários