The Outsider | Horror e elegância em adaptação de Stephen King para série da HBO

É sempre maravilhoso ver uma nova série da HBO né? Afinal de contas o investimento em qualidade é fantástico. E é ainda melhor quando é baseado em algo que já gosto, como é o caso da série de Watchmen, e é o mesmo para essa aqui, que veio do livro The Outsider, que não li, mas como é algo feito pelo Stephen King, já me atraiu demais!

A história tem início com o brutal assassinato de um garoto e após uma breve investigação, todas as evidências levam para um treinador de time infantil que trabalha em uma escola. No entanto, após prenderem o homem de forma inconsequente, as provas contrárias cada vez ficam mais frequentes, com indicações dele estar em dois lugares ao mesmo tempo, incluindo um vídeo e uma multidão de testemunhas, além de eventos bizarros e inexplicáveis passarem a surgir.

Vocês já devem ter notado que as adaptações em geral do Stephen King variam completamente de qualidade. Assim como temos clássicos inesquecíveis, temos filmes trash ao absurdo. E a mesma obra pode mudar completamente. Podemos ver isso com o Nevoeiro, todo o clima tristonho da adaptação para filme e a tosqueira que a coisa fica na adaptação para série.

É claro que no geral o que se destaca são as obras mais tensas tipo o filme 1922 ou a segunda adaptação de It: A coisa. Mas se você fuçar um pouco, logo vai ver que a quantidade de coisas é enorme e tem até mesmo as que começam bem e viram um caos, como é o caso da Under the Dome, que começa absurdamente atmosférica e de repente vai caindo cada vez mais em desgraça.

Felizmente esse não é o caso de The Outsider, que impressionou demais! Ela realmente usa a coisa de uma maneira atmosférica com um clima bem sombrio que é difícil de se ver até mesmo em obras do Stephen King. Pra falar a verdade, em um pensamento rápido, a única série dele que consigo imaginar com um um estilo tão pesadão é Castle Rock, não me vem outra à mente.

A atmosfera realmente é muito semelhante ao tipo de coisa que vemos nos livros do autor, com uma narrativa densa pra caramba e de um ponto de vista mais voltado para agentes da lei intrigados com os acontecimentos. Quem leu obras como Buick 8, conhece bem o estilo que estou falando, aquela coisinha que notavelmente não parece uma história padrão de algo sobrenatural, mas pessoas reais.

E aqui, algo que gostei muito é que parte dos protagonistas não acredita realmente no que está acontecendo. Então não é aquela coisa do tipo "Olha, tá rolando algo sobrenatural" e eles simplesmente aceitam. Existem os que são mais abertos à coisa, e existem os de mente completamente fechada e que vão até o fim. Inclusive há personagens que morrem sem acreditar, o que deixa os deixa muito mais reais.

Inclusive é muito bacana o fato de ter uma personagem que é tipo paranormal, não é explicado o que ela realmente é, mas é algo semelhante de Visão do Além, ou seja... Aquela coisa de um grupo de policiais que precisa de ajuda e chama alguém que tem poderes. Porém a diferença é que aqui, a coisa não é digerida de forma fácil. Além de não se saber o que exatamente a personagem é, ela tem vergonha de dizer o que viu e os outros não acreditam. Ela é ridicularizada e humilhada, e as cenas são constrangedoras.

A fotografia é fantástica, que combina muito bem com a trilha sonora composta por sons tensos que deixam aquela sensação super intrigante. É um visual muito bonito em uma cidade pequena, algo bastante próprio de obras do mestre do horror mesmo e que normalmente até nas obras mais fracas são apresentadas de uma maneira boa, mas aqui saiu elegante, um tanto tenso.

Enfim, apesar de ser do Stephen King, não acho que é pra todo mundo. Essa é uma série obviamente com foco no público adulto mesmo, então muita gente pode achar cansativa de se ver, pois ela é parada e as cenas mais movimentadas e emocionantes estão mais para um extra do que algo que vai acontecer frequentemente. Recomendo demais!

Postar um comentário

0 Comentários