China proibe menores de jogar depois das 22h

Como todo mundo sabe, países orientais podem parecer muito estranhos para nós, e naturalmente a China está entre o países que se destacam, um ambiente que carrega a verdadeira essência Cyberpunk, com fortes injustiças sociais, ambientes em caos e ambientes muito ricos. Mega corporações, alta tecnologia, e claro... Leis esquisitas envolvendo até mesmo entretenimento.



Você já deve ter ouvido falar de muitas histórias tecnológicas altamente bizarras, indo desde o clássico garoto que vendeu o rim para comprar um ipad 2 até coisas relacionadas completamente a video games como a garota de 10 anos que roubou uma loja pra jogar, a garota que deu a luz em uma lanhouse e voltou pro gameplay e claro o casal que vendeu os três filhos pra torrar em jogos online.

Então o vício em tecnologia, mais especificamente jogos ficou absurdo na China. No entanto ao invés de apenas tomarem medidas para ajudar os que tem problemas com isso, partiram para uma solução muito mais radical, lançar proibições! Sendo assim em 2019 os viciados receberam um verdadeiro soco no estômago quando viram a divulgação da "Administração Nacional de Imprensa e Publicações".

O governo chinês decidiu que menores de idade seriam obrigados a usar seus nomes reais e número de identidade ao jogar online. Além disso o limite de uma hora e meia por dia (3 nos finais de semana), e um limite entre US$ 28 a US$ 57 por mês para gastar em jogos, sendo que o valor depende da idade, quanto mais velho, mais pode gastar até chegar em US$ 57. E também uma limitação de só poder jogar até  22h e depois só voltar às 8h.

O curioso é que o ponto de partida da proibição não foram os video games em si, mas sim o surto de problema de visão no país, que acabou sendo atribuído ao vício em jogos e consequentemente adicionaram essa lei, que acabou casando bem com o fato de problemas com vícios no país. No entanto obviamente parece o tipo de coisa que só incentiva mais o vício.

É preciso lembrar que na China o maior público é de jogadores  online e que videogames foram proibidos por lá entre 2000 e 2015, ou seja, a tradição gamer de lá é diferente da maioria dos outros pontos do globo, sendo assim a ideia de apenas jogar offline é mais complicada, porém talvez a lei seja um incentivo para muitos começarem a se dedicar a singleplayers. E vocês, o que acham disso tudo?

Postar um comentário

0 Comentários