Um Lugar Silencioso | Uma baita obra prima do horror

Apesar de ser fácil pensar em alguns bons filmes de terror, quando vamos olhar bem, a maioria é uma desgraça e essa pequena parcela que consideramos bons é porque foram os que se destacaram. Então é sempre maravilhoso quando surge um que se diferencia, e "Um Lugar Silencioso" sem dúvidas é uma bela de uma obra prima.

A história apresenta cinco membros de uma família que tentam sobreviver a um mundo pós-apocalíptico onde algo terrível aconteceu. Criaturas cegas extremamente destrutivas capazes de partir metal surgiram, elas são atraídas pelo som e a única maneira de continuar vivo é não falando, nem fazendo barulhos.

Achei curioso como esse filme conseguiu misturar dois elementos extremamente difíceis, o artístico e o terror para o público geral. Isso porque normalmente filmes artísticos como A Bruxa e Corrente do Mal conseguem despertar a ira no grande público por serem muito parados e às vezes terem um final que não contém todas as respostas. Por outro lado filmes cultuados como Sexta-Feira 13 podem ser olhados com nojo por alguém que quer uma profundidade a mais na coisa.

E aqui temos uma obra que conseguiu juntar os dois, apresentando uma história apelativa com monstrões em um universo pós-apocalíptico, porém com uma narrativa absurdamente elegante e artística, conduzindo a coisa de forma super natural, com um toque delicado que faz você se conectar aos personagens e pegar bem seus sentimentos.

Apesar de tudo eu acredito que não seja um filme que pode ser assistido a qualquer momento. A minha recomendação é de ver durante a noite, porém quando você não estiver com um pingo de sono, pois apesar de interessante, o filme pode fazer a pessoa cair no sono. O motivo disso é que o nome não é em vão,  existem pouquíssimas falas no filme e praticamente o tempo todo o som é do ambiente.

Parece chato, né? Mas não é... Sério! O filme tem uma das cenas maias agonizantes que já vi, acho que esse silêncio todo faz tudo ficar tão imersivo, que você mesmo acaba se segurando pra não abrir o bico, e a ideia de sentir uma dor absurda  e aguentar calado é extremamente sufocante, pois gritos não são só pra expressar dor, são alívios, mas aqui eles não são segurados e é possível sentir bem a agonia que isso causa.

Inclusive algo curioso, é o vergonhoso Mockbuster da Netflix chamado The Silence, que é uma versão fracassada desse filme que no fim acaba servindo bem para mostrar a diferença entre uma equipe super competente e outra que está apenas querendo fazer sua própria versão de uma história, mas que sem a essência, acaba saindo só a bagaceira.

Por exemplo, na versão da Netflix, todo mundo não cala a boca, o povo se comunica com libras nem sei pra que, já que eles não param de falar, e os barulhos ocorrem o tempo todo, os monstros de lá morrem com uma flechada. Já aqui temos algo que faz você se arrepiar com cada sonzinho a mais, as criaturas são absurdamente fortes e destrutivas, e quando as falas surgem, a sensação de alívio é imensa.

Mas como falei, o filme tem suas doses de ação, e é fenomenal como são intensas. Os personagens andando descalços para terem controle total sobre os sons emitidos, o medo das crianças em lidar com algo assim, e curiosidade sobre o que diabos são essas coisas e de onde vieram é enorme. Te faz ficar ansioso para ver o que vem depois.
Enfim, filme maravilhoso! Ótimo passa tempo, só não recomendo ver quando estiver meio sonolento, pois o silencio pode acabar fazendo muitos caírem no sono, fora isso, é uma bela obra prima que consegue misturar o melhor de dois mundos. Obviamente tem sim quem não vai gostar de qualquer jeito, mas no geral é um filme que considero atraente para a maioria.

Postar um comentário

0 Comentários