Kingdom Classic | Reino pixelizado e estratégia minimalista encantadora

Esse é um daqueles jogos em 2D que você fica abismado com o vício que ele consegue passar, é o tipo de jogo que considero a essência pura de jogos indie. Ou seja, o tipo que é feito com um carinho tão grande e dedicação, que fica simplesmente impossível não notar que existe algo de muito especial na coisa, um toque diferente. Não é só o gráfico pixelizado extremamente bem trabalhado e maravilhoso que ele apresenta, fora esse colírio aos olhos, o jogo conta com uma jogabilidade diferente e essência maravilhosa pra quem ama universos medievais.

A história apresenta um reino através das eras onde cada rei e rainha tentam levar prosperidade a seu povo e fazê-lo progredir. No entanto é uma terra perigosa, lotada de criaturas das trevas preparadas para atacar e saquear. E assim a cada reinado o líder tenta ser melhor que o anterior, procurando aprender com os erros do passado e dar uma vida digna às pessoas.

Sabem aqueles jogos indie viciantes que tem um toque próprio tanto na parte artística quanto na jogabilidade da coisa? Jogos como o fantástico Reus, o inovador The Escapists e o completamente viciante Ronin? Esse aqui é um desses jogos, você começa a jogar e pensa "Só mais um pouquinho", mas simplesmente não consegue parar e joga o tempo todo, fica pensando em ir além.

A jogabilidade te coloca no papel de um rei ou uma rainha cavalgando por terras e dando início a um reinado, você precisa fazer seu povo crescer, portanto começa fazendo uma fogueira e depois passa a procurar súditos, dando um trabalho para cada um deles. A medida que as pessoas vão chegando e a quantidade de trabalhadores aumentando, seu reino vai crescendo.

Você pode por exemplo criar arcos e assim os súditos que estiverem por perto vão até a loja coletá-los e viram arqueiros, que servem tanto para proteger a cidade contra ataques inimigos, quanto para caçar animais e assim gerar moedas para que você possa coletar e usar da melhor maneira possível, melhorando estruturas ou doando uma moeda a pessoas para que venham morar em seu reino.

É possível também fazer arquitetos indo até a loja de marretas e pagando para criá-las, o sistema é no mesmo estilo dos arcos, se tiverem pessoas desempregadas por perto elas vão até lá e pegam a marreta para usar. E assim você pode ir até certos lugares e mandar que construam coisas, assim como eles reparam estruturas danificadas.

E aos poucos você vai destravando novas coisas, como os agricultores, que ficam em plantações e de tempos em tempos fazem surgir várias moedas novas, que te entregam assim que te veem ou você pode coletar diretamente se estiver passando pela plantação naquele momento.

O jogo é 2D e seu reino se estende de uma ponta a outra, sendo assim você tem que ficar indo tanto para um lado quanto para o outro e expandindo as coisas, marcando árvores para que arquitetos vão lá derrubar, levantando cercas para que o reino fique mais protegido, criando torres para que arqueiros subam e tenham uma maior precisão na hora de atirar em inimigos.

E os gráficos então? Simplesmente maravilhosos! É um daqueles jogos neo-retro que usam gráficos pixelizados porém em altíssima resolução, além de adicionar diversos efeitos lindos demais como por exemplo o lago que se estende por todo o reino e fica na parte de baixo, sempre refletindo todos os elementos do cenário.

Existe um ciclo de dia e noite, sendo que a noite as criaturas atacam, e ficam batendo nas cercas, elas tentam roubam ferramentas de habitantes, que vão embora do reino quando as perdem, assim como destroem estruturas e principalmente te atacam, a cada pancada que te dão, uma moedinha cai e elas pegam, até não sobrar mais nenhuma moeda, só sua coroa, que se pegarem dá game over e é a vez do próximo rei/rainha.

E por falar em moedinhas, o sistema é fantástico, tem um saquinho de ouro do lado da tela e você vê a animação a cada uma coletada. Tudo envolve dinheiro no jogo, e a coisa é minimalista, sendo que todos os controles são nas setas, esquerda e direita para andar, e seta pra baixo para interagir. Sendo assim se você quer construir uma estrutura e custa 3 moedinhas, você segura pra baixo e vê as moedinhas se encaixando no ar, se não tiver o suficiente elas despencam e você coleta de novo, se quiser súditos, um clique pra baixo e você joga uma moeda, se quiser atualizar um lugar, o mesmo esquema, e assim vai.

O jogo ainda conta com uma série de elementos interessantes que você vai vendo ao longo do jogo, como a lua vermelha onde uma quantidade exagerada de monstros ataca, o comerciante que você pode pagar para que traga ferramentas a seu reino, as estruturas encontradas a medida que você expande.

Esse jogo é simplesmente maravilhoso! Mostra muito bem que apesar de hoje em dia qualquer um poder fazer seu próprio jogo, ser talentoso na coisa faz o diferencial completamente. Sendo assim temos inúmeras obras feitas sem carinho algum e temos algumas poucas como Kingdom que é um verdadeiro grão de areia mágico em um deserto comum.

Enfim, procurando um jogo minimalista mas que oferece uma sensação maravilhosa de imersão? Então Kingdom certamente vai te chamar muito a atenção, um jogo fantástico e viciante que consegue te prender por horas e que sinceramente eu tive que me controlar pra parar de jogar. Recomendo sempre dar uma olhadinha no preço dele na Greenman Gaming antes de comprar na loja direta, algumas vezes os preços deles estão bem abaixo do normal, e sempre lembre de olhar os cupons de desconto que eles espalham pelo site, que deixa a coisa mais barata ainda, dê uma conferida aqui.

Postar um comentário

1 Comentários

  1. Caraca, que jogo bonito. É uma espécie de "God-Game" com um toque de "incremental", "rogue" e "tycoon/magnata"...
    Vou jogar isso aí....

    ResponderExcluir