500 Years Act 1 - Um RPG estranho porém imersivo

Esse é um daqueles jogos que rapidamente você percebe que é bem esquisito por apresentar uma jogabilidade completamente fora do padrão que conhecemos. É um  RPG com várias opções de conversa, mas que parece existir um certo toque de novela gráfica também, mesmo usando gráficos limitados, pode deixar algumas pessoas apaixonadas. Apesar de tudo é também aquele tipo de jogo dedicado a um público em especial e que pode não agradar tanto a gamers em geral. E hoje vou fazer uma análise.

A história é interessante pra caramba e apresenta um futuro onde os recursos naturais da terra se esgotaram, fazendo o planeta morrer e levando a humanidade a ter que abandoná-la para a exploração espacial. Algumas poucas colônias foram estabelecidas e a vida se tornou muito difícil, porém toda a esperança acabou quando surgiu uma nova raça visualmente semelhante a formigas, porém muito superior a humanidade, dominou as colônias e escravizou todos os humanos. Uma pequena rebelião se formou, mas não adiantou muito, e então um dia, as formigas simplesmente foram embora sem motivo aparente.

Eu tenho a impressão de que esse jogo é um dos "filhos" do livro Tropas Estelares, em que é mostrada uma raça alienígena parecida com insetos. Aqui você assume o papel de um personagem que participou dos rebeldes e recebe a ordem de ir atrás de uma das colônias, chamadas de Artemis, e assim você parte, com a missão de encontrar outros humanos, mas acaba achando também muitos perigos pelo espaço, e assim a trama vai se desenvolvendo.

Nesse jogo você tem que viajar por várias áreas do espaço e ir investigando, é um estilo que a primeiro ponto me lembrou um pouco do maravilhoso Out There, porém é apenas uma breve lembrança mesmo, já que os dois jogos seguem caminhos diferentes, mas enquanto está explorando o espaço, existe todo aquele sistema de ir escolhendo certas áreas do espaço, entrar nelas e ter novas opções de lugares dentro para acessar.

São constantes os encontros com outros personagens, e esses podem gerar coisas pacíficas como meras conversas informativas onde você descobre novas coisas, ou pode ser mesmo algo bem rude e que você tem que se cuidar bem em suas escolhas, pois pode acabar de um jeito que não irá te agradar nem um pouco.

E por fim tem os combates do jogo, que apesar de ser um RPG, tem um estilo próprio, onde você escolhe as suas armas e então entra em combate, cada inimigo tem vantagens e desvantagens específicas, por isso você tem que escolher com sabedoria se quiser tirar vantagem da situação. E os combates são bem estranhos, neles você realmente controla a nave, deve mirar nos inimigos e acertá-los até destruir um por um, porém em algo que não para, então não espere por turnos, a ação é contínua.

Graficamente o jogo é bastante simples, completamente em 2D, o que acaba dando um certo toque de Visual Novel durante as conversas e também assustando muita gente, já que acaba não sendo muito apelativa a coisa (talvez por limitação da equipe, não sei), porém é algo muito mais imersivo, com opções de respostas que aparecem o tempo todo. Nada daqueles jogos que você só lê por quase uma hora.

Enfim, se você estiver procurando por um jogo de RPG diferente, que dá uma baita de uma variada em elementos já conhecidos, talvez essa seja uma ótima opção, mas realmente é pra quem está mais "conectado" ao gênero, não é algo para todos. Recomendo sempre dar uma olhadinha no preço dele na Greenman Gaming antes de comprar na loja direta, algumas vezes os preços deles estão bem abaixo do normal, e sempre lembre de olhar os cupons de desconto que eles espalham pelo site, que deixa a coisa mais barata ainda, dê uma conferida aqui.

Postar um comentário

0 Comentários