Campo do Medo | Horror interdimensional em pleno matagal

Esse é um filme que acabou me interessando bastante imediatamente por ser baseado no livro In the Tall Grass, escrita por Stephen King e seu filho Joe Hill, que inclusive tem algumas obras publicadas no Brasil. Dessa forma acabei nem indo atrás da história, pareceu uma oportunidade perfeita de experimentar a emoção de assistir algo sem saber nada sobre.


A história é sobre dois irmãos que estão em uma viagem, mas acabam parando ao lado de um campo de vegetação extremamente alta, e logo ouvem a voz de um garoto pedindo por ajuda, porém assim que entram, percebem que o senso de direção para de fazer sentido e suas posições começam a variar, sem nunca conseguir voltar pra estrada.

Achei interessante como o filme aproveita um conceito antigo, porém dessa vez de forma mais  escrachada sobre o que está acontecendo. No caso, estou me referindo ao local que prende pessoas e não deixa sair. Já vimos isso em obras como A Bruxa de Blair e diversos filmes adolescentes de jovens que se lascam e fazem tudo quanto é burrada.

O diferencial aqui é que imediatamente os personagens comentam sobre o que está acontecendo, eles não ficam igual um monte de galinha sem cabeça e repetindo "O que está acontecendo?", eles logo comentam e o próprio filme mostra de forma escrachada a coisa acontecendo, como o som do personagem vindo de um lado e do nada mudando de forma repentina pro outro (Assistir com um fone de ouvido 7.1 é uma delícia pra ter noção de localização e distância dos personagens).

Me lembrou um pouco o que aconteceu em O Segredo da Cabana, que pegaram clichês extremamente manjados e usaram de uma forma diferente. Inclusive achei bacana como esse acabou virando um elemento principal. É complicado transformar um clichê em algo curioso. Não que tenha se tornado algo genial, mas os personagens brincam com a coisa.

Eu senti que a coisa acabou tendo seus altos e baixos, por um lado parece sim mais um filme de jovens que se dão muito mal e estão correndo loucamente pra não morrer, por outro acaba tendo elementos interessantes que dão um sabor especial à coisa e que o coloca em um nível de qualidade mais digno.

Ele não é o tipo de filme que é explicadinho, mas também não é absurdamente confuso. Senti um certo toque lovecraftiano na coisa, e graças a isso é fácil começar a bolar certas teorias sobre o que diabos está acontecendo no lugar. Mas a ideia de  vegetação viva me lembrou outra obra do próprio King, que é Colheita Maldita, porém sem ser tão bom quanto.

Sobre sentir medo, bom... Não é um filme assustador, tem poucos scare jumps, o que acho louvável, mas as partes que senti alguma coisa relacionada a medo foram nesses poucos momentos mesmo. Então o foco é em ser uma história sombria, apresentar o horror que personagens estão sentindo com isso, mas não causa tensão.

Em relação à fotografia do filme, apesar de não ser impecável, mas achei bem decente, especialmente pelo fato de que tem um climinha de filme de baixo orçamento. Por outro lado o visual da vegetação acaba sendo convincente no geral, inclusive é meio estranho quando vira CGI do nada, pois faz ficar pensando se tudo aquilo era CGI o tempo todo, mas você só começou a perceber por de repente mostrar ângulos difíceis, ou se no geral é tudo feito em estúdio.

Enfim, Campo do Medo é um filme bem bacana para se passar o tempo. Teve um nome tosquíssimo em português, o que é uma pena, já que "Na Grama Alta" seria um título bem estiloso, mas é a vida né? Não é das melhores obras do Stephen King, porém acho que acaba cumprindo bem seu papel em contar uma história. Acho que vale a pena assistir com os amigos.

Comentários