Trials Rising | Morra inúmeras vezes nessa corrida super radical

Não sou fã de jogos de corrida, isso faz com que eu acabe abrindo algumas raras exceções, como The Crew, Wreckfest e Coffin Dodgers. No caso da franquia Trials, eu conhecia, mas nunca tive vontade de jogar, exceto pela versão temática baseada em Blood Dragon, que acabei nem jogando também, porém tive a oportunidade dar uma testada em Trials Rising e acabei aproveitando.


Não é um jogo focado em história e por isso tem uma trama bem genérica de jogos de corrida. Sim! Mais uma vez aqui você é um corredor iniciante que está crescendo em sua carreira e por isso precisa primeiro disputar com os pequenos para então subir, conseguir patrocínio e enfrentar corredores grandes.

O jogo é mais simples do que eu imaginava. Pra falar a verdade foi um pouco de ingenuidade minha acreditar que seria algo de muito diferente, afinal de contas jogos de corrida em geral costumam não ter uma mecânica tão variada, exceto por obras do tipo Mario Kart. Então imagina um jogo com visual 2.5D? Era natural que teria controles bem direto ao ponto.

Aqui você segura pra cima pra acelerar, pra baixo pra frear e usa esquerda e direita para fazer manobras pra frente ou pra trás. O desafio está em usar essa mecânica simples para sair vivo, conseguindo passar pelos obstáculos em meio a pulos, descidas absurdas e rampas que te lançam a imensas distâncias.

Chega a ser engraçado, mas a magia do jogo está focada na física dele, isso porque diferente de jogos de corrida padrão, você tem que ficar sempre de olho no obstáculo e apertar as setas na medida certa. Um pouquinho mais pra frente e você vira e arrasta a cara pro chão, um pouco pra trás e seu personagem vai estar com a costa arrastando. 

Se o piloto encostar em um obstáculo, é fim de jogo imediatamente e precisa reiniciar a pista. Não tem loading, é só apertar o botão de reinício e lá está você de novo no começo. Esse é um daqueles jogos que você tenta de novo e de novo inúmeras vezes, pois é simplesmente muito fácil perder por bobeiras.

Os ambientes são surreais, são coisas como pular por cima de trens, subir em guindastes, parar e então continuar quando ele subir, para então acelerar de novo, ou saltos em meio a explosões e locais prestes a desmoronar. Um pouco menos de velocidade e você simplesmente não consegue passar de certos pontos.

Eu pensava que o jogo era completamente focado em pontuação de manobras, mas a verdade é que boa parte das pistas o que você tem que fazer mesmo é chegar ao fim e as manobras são feitas mais para absorver certos impactos do que para fazer o público vibrar. Em algumas pistas isso pode inclusive atrapalhar, como as de chegar o mais rápido possível. Você pode perder tempo fazendo manobras e não conseguir.

O jogo conta também com modo multiplayer, um deles é indiretamente, já que no singleplayer você joga contra as sombras de outros jogadores, que são jogos gravados mostrando como eles jogaram naquela pista. E existe também o modo online, em que grupos são feitos e você joga realmente contra pessoas ao vivo.

Enfim, é um jogo pra passar o tempo. Acho que para aqueles que curtem uma corrida online, pode dar uma boa variada, afinal de contas essa ideia de ficar preocupado com a física não se vê em todo jogo de corrida. Recomendo sempre dar uma olhadinha no preço dele na Greenman Gaming antes de comprar na steam, algumas vezes os preços deles estão bem abaixo do normal, e sempre lembre de olhar os cupons de desconto que eles espalham pelo site, que deixa a coisa mais barata ainda, dê uma conferida aqui.

Comentários