PUSS! - Gatinhos fofos e rituais satânicos em um só lugar

Nós somos acostumados a ouvir falar dos mais variados tipos de rituais, no entanto sem dúvidas os que chamam mais a atenção são os de magia negra pesadona. Porém será que de alguma forma algo sinistro assim pode ter a ver com um gatinho fofo e amável de olhos brilhantes? Bom... Isso nós podemos descobrir em Puss!


A história tem início no que parece ser os anos 80 em uma noite tranquila, onde um simpático gatinho ficou assistindo TV até tarde, no entanto uma estática surge na tela com um pedido de socorro, e obviamente o gatinho resolve entrar na tela da TV pra ajudar né? Porém logo descobre que lá dentro há um grupo de cultistas que só estavam esperando o bichinho chegar para o sacrificarem como oferenda em um ritual satânico.

Esse é aquele tipo de obra que acaba sendo inevitável não rir com o toque macabro que causa um contraste tão gritante, lembrando coisas como o filme A Babá ou o desenho Mr. Pickles, ambos com seus toques satânicos em coisas que deveriam ser muito mais tranquilas e suaves, gerando aquela atração imediata.

No fim das contas parece que o fofo ficou mais para a parte visual enquanto o macabro ficou para a jogabilidade, isso porque o que temos aqui é um jogo extremamente hardcore, sendo assim se você não gosta de jogos como Abomination Tower e Necrosphere,  certamente vai querer ficar longe desse aqui, pois pode ser uma experiência frustrante.

No entanto se você é do tipo de jogador que gosta de um desafio e coisas difíceis só te fazem querer ainda mais passar daquela fase, certamente irá se apaixonar muito por Puss, pois existem inúmeros níveis que a sensação de desespero é imensa, já que parece que a coisa é absurdamente cabulosa demais para ser verdade.

O jogo se passa em mundos e você tem uma certa quantidade de vidas, à primeira vista pode parecer um roguelike ou algo assim, no entanto não é. O negócio é que o jogo só salva depois que você mata o chefe do mundo em que está, ou seja, se você perder todas as vidas nesse mundo, vai ter que reiniciar ele.

A jogabilidade é bastante semelhante ao que temos no jogo mais difícil do mundo, porém ao invés de você controlar com o teclado, controla com o mouse, o que pode dar uma agonia ainda maior, já que você precisa mesmo ter uma coordenação motora boa e bancar o cirurgião mantendo a calma enquanto move o mouse.

Basicamente você tem um labirinto aleatório nos níveis e precisa puxar o gatinho por ele, se tocar nas paredes você perde uma vida, se for atingido por algum tiro, você perde uma vida, se cair em um buraco, você perde uma vida. Ou seja, é aquele tipo de jogo que em praticamente tudo você morre e é preciso tomar cuidado.

O jogo ainda conta com fases em que é preciso ir até certos pontos para ativar uma plataforma e então voltar correndo para atravessar um lugar antes que ele volte ao normal, ou mesmo é preciso ir até áreas de ativação para ativar a saída do lugar. Tudo isso em um visual Seapunk extremamente psicodélico que me fez ter medo de ter um ataque epilético em live.

Enfim, Puss é um jogo simples, mas que pode gerar muita gritaria e gargalhadas, é um daqueles jogos que pode ser ótimo jogar com os amigos e se desafiar ou mesmo em live. Recomendo sempre dar uma olhadinha no preço dele na Greenman Gaming antes de comprar na steam, algumas vezes os preços deles estão bem abaixo do normal, e sempre lembre de olhar os cupons de desconto que eles espalham pelo site, que deixa a coisa mais barata ainda, dê uma conferida aqui.

Comentários