Temporario



Jogos | Séries | Filmes | RPG e Tabuleiro | Animes | Creepypastas | Quadrinhos | Livros | Mapa do Blog | Sobre o Blog | Contato |

sábado, 9 de setembro de 2017

Absolver | Coop de combate extremamente sofisticado

As pessoas são naturalmente apaixonadas por artes marciais, existe algo de intrigante nesses movimentos que podem ser extremamente belos e ao mesmo tempo mortais. Sendo assim quando surge um jogo como Absolver, é quase imediato o encanto presente. Isso porque tem um foco enorme nisso e ainda vários outros elementos atraentes.




Esse jogo se passa no império de Adal, um ambiente em ruínas muito belo, porém muito perigoso. Você é um andarilho que tenta provar seu valor, para se tornar um absolver, um guerreiro de máscara que faz parte de uma antiga ordem onde somente os melhores são capazes de entrar.

Esse é um jogo com visual maravilhoso, usa um design com poucos polígonos, porém com texturas chapadas que dão um visual cartunizado bastante especial como já vimos em algumas obras como Treeker, Battlefield Heroes e Cross of the Dutchman, mas sempre gera um certo encanto especial ao usar simplicidade de uma forma inteligente.

Mas existe um toque especial, que é a presença de elementos orientais presentes no visual, então além das máscaras, as roupas e enfeites de construções tem todo aquele toque tão peculiar como aqueles chapéus, lutas com espadas, elementos presentes como "meditação", e muito mais. O mundo misterioso em ruínas e tão colorido ajuda bastante a manter a atmosfera.

Apesar de que não dá pra dizer que é a primeira obra a ter essa ideia, um bom exemplo é o jogo brasileiro Blade & Bones, que facilmente poderia se misturar com o universo de Absolver, tanto visualmente (Já que usam a mesma técnica cartunizada), quanto em todo o mistério, mostrando um guerreiro mascarado e um ambiente que lembra cultura oriental.

Mas esse jogo tem seu charme próprio, assim como uma proposta bastante atraente. Colocar pessoas conectadas de forma aleatória em um mundo cheio de perigos e mistérios escondidos. Itens que podem ser ganhos, golpes para serem destravados. É uma mistura de jogo de aventura, com jogo de combate mesmo, a pessoa escolhe como quer jogar.

O mundo é dividido em áreas conectadas que você pode vagar à vontade, se outro jogador estiver nessa área ao mesmo tempo, aparece a mensagem "Fulano entrou na área" e se ele sair, a mesma coisa. Não quer dizer que entrou ou saiu no jogo naquele momento, apenas que estava passando por ali.

Aí você escolhe se quer ser amigável, neutro ou hostil, caso entre em combate, a pessoa ainda pode te reviver. Alguns jogadores fazem isso e depois fazem um cumprimento, ou simplesmente levantam a outra para entrar em combate novamente. É sempre possível tentar fugir, é claro, isso depende de cada jogador.

Se a pessoa só passa reto e sai do ambiente, ela desaparece. Esse não é um MMORPG onde o mundo inteiro está conectado simultaneamente, isso acontece de forma aleatória, provavelmente o servidor seleciona as pessoas de ping mais equivalente para serem colocadas juntas em um lugar. Sendo assim não dá pra simplesmente marcar de encontrar um amigo em lugar X.

Por outro lado você pode também convidar jogadores para entrar em modo cooperativo, portanto se estiver próximo, pode selecionar e se aceitarem, dá para vagar entre as áreas juntos, enfrentar inimigos espalhados por aí, coletar tesouros e até mesmo enfrentar outras equipes de jogadores que estejam no mesmo lugar.

Não existe chat (nem de texto e muito menos de voz), mas existem movimentos que podem ser selecionados. Com eles é o suficiente para entender, já que são gestos bem conhecidos do tipo mexer a mão chamando, balançar o dedo negativamente, saltar comemorando vitória, fazer aquele cumprimento oriental de baixar o corpo, entre outras coisas. Isso dá um toque bem simpático à coisa.

Existem altares em certos lugares do mundo, você tem que descobrir e destravar eles. Servem como pontos de renascimento, mas também tem uma série de coisas úteis. Lá você pode convidar amigos para jogar, ver membros da escola do seu personagem, consultar encontros recentes e ainda recupera vida. Então é sempre normal ver jogadores dando uma paradinha por lá.

Mas sem sombra de dúvidas o sistema de combate é o que rouba a cena nesse jogo, é claro que existem outras obras de combate corpo a corpo sofisticados, seja usando armas como For Honor e Blade Symphony, ou em combates desarmados como Enter the Matrix e Lugaru, mas Absolver se destaca por usar vários outros elementos extras, dando um charme próprio na coisa.

Você começa escolhendo o seu estilo de combate, que vai ter foco em determinadas coisas como a vida, a força do impacto, a velocidade, a defesa, o cansaço, etc... Então isso já vai influenciar no personagem como um todo, e dependendo do tipo de jogador que você encontrar, a forma de combate dele pode ser bem superior ou inferior ao estilo que você usa.

Depois, tem os atributos, que você pode melhorar de acordo com a evolução do personagem. Algo interessante em relação a isso é que dependendo do estilo que você escolher, esses atributos poderão ser mais ou menos valiosos. Sendo assim se você muda o estilo de combate, talvez uma quantidade de pontos de vitaldiade que fazia você ter 1500 de vida, possa fazer você ter só 1200, por não ser um estilo que priorize a vida.

Graças a essa alteração nos pontos, mesmo que você encontre um jogador que use um certo estilo de combate, talvez ele tenha colocado tantos pontos em um determinado atributo, que isso tenha acabado compensando a falta de prioridade que aquele estilo coloca ali. E assim os personagens ficam extremamente moldáveis.

E existe o deck de combate, que provavelmente é o que mais deixa inesperado o jeito de lugar de alguém. Sabem aqueles jogos que você aperta o botão de porrada e ele aplica um golpe, você aperta o mesmo botão logo em seguida e ele faz um movimento diferente, mas é basicamente o mesmo golpe já que é o mesmo botão e assim vai enquanto você seguir apertando? Pois é, Absolver usou isso de uma forma inteligente.

O deck de combate são golpes que você destrava e coloca na sequencia, cada vez que você apertar o botão, o personagem vai dar o golpe que estiver equipado. Por exemplo se o primeiro é um soco na cara e o segundo é um chute na perna. Você sempre terá que apertar o botão de ataque duas vezes para que ele dê um chute na perna, a não ser que você equipe o chute como primeiro golpe.

Cada ataque tem uma listinha de atributos, que são poder, velocidade e distância. Sendo assim você pode criar decks especiais completamente baseados em um atributo por exemplo, mas também pode fazer algo balanceado e assim criar uma estratégia, seja para enfrentar um chefe do jogo, seja algo que você acha que será mais útil contra determinados jogadores.

Além disso alguns ataques tem características especiais, como por exemplo não poder ser interrompido, evitar ataques baixos e assim vai. Isso aumenta ainda mais a estratégia na hora de criar esse deck, pois pode ser completamente com foco em ataques nas pernas, como rasteiras por exemplo, e isso evita ataques altos.

O deck é dividido em quatro partes, então existem quatro linhas de golpes que você vai colocando ataques. Pra acessar cada linha depende da posição que seu personagem está. Você pode ficar meio de costas para o inimigo, só que olhando pra ele e selecionar esquerda ou direita. Mas também pode ficar de frente e escolher esquerda ou direita. É possível mudar de posição a qualquer momento pra acessar uma determinada sequencia de golpes.

Você vai destravando novos espaços para encaixar mais golpes, e na medida em que usa certas habilidades, vai carregando barrinhas que quando estiverem completas, liberam golpes novos que podem ser colocados nesses encaixes. Sendo assim se você quiser muito destravar uma voadora, terá que ver que tipo de movimento você terá que fazer pra dar "xp" pra aquela habilidade até liberá-la.

Bom, tem muito mais coisas e pequenos detalhes no jogo, tipo o sistema de bloqueio, as habilidades especiais, a "invocação" de armas brancas e assim vai. Mas iria enrolar muito se fosse falar de cada uma delas, acho que o que mais se destaca mesmo é o deck de combate e as possibilidades que ele é capaz de proporcionar.

Tem também o sistema de inventário, onde você pode equipar várias partes, elas afetam os atributos do seu personagem de formas variadas, então pode valer a pena não usar armadura para ter um personagem mais veloz. Depende bastante do estilo do jogador. Alguns são tão velozes e habilidosos em bloquear ataques, que simplesmente não vale a pena equipar certas coisas.

Mas fique atento, apesar de tudo, esse jogo é um pequeno mundo, e nesse quesito achei ele muito parecido com Unturned. Isso porque é aquele ambiente que a princípio parece imenso, mas após algum tempo jogando você percebe que é um pequeno lugar onde tem as coisas. E a campanha também é bem minúscula.

Aliás, há uma imensa comparação com Dark Souls, mas isso não é pelo elemento Soulslike, já que ele nem está presente nesse jogo. E sim pelo combate mais pesado e outras coisas como a forma de se conectar a outros jogadores, e os ambientes esquisitos com certos chefes esperando pra você chegar e enfrentá-los.

Mas é tudo muito pequeno, a campanha pode ser terminada em umas duas horas, é como se fosse um pequeno jogo com alguns chefes que você vai lá, vence e depois pode ficar explorando. Ainda há mistérios para achar, mas a novidade da coisa acaba rápido. O que fica mesmo é o PvP, você pode sim evoluir personagem, matando NPC's ou só acompanhar outros jogadores para ajudá-lo, mas é notável que a maioria vai jogar mesmo pela disputa, já que a campanha termina em um piscar de olhos.

Enfim, ótimo jogo, mas para o público certo e também depende muito da conexão da pessoa. Como é algo com combate preciso, você precisa ter uma conexão legal para usufruir da coisa da forma adequada, uma conexão ruim pode gerar bastante frustração. Recomendo!


Nenhum comentário: